Corinthians 3 x 1 Fluminense (por Paulo Tibúrcio)

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVROS “RODA VIVA” 1 E 2

Castelo de Cartas

Desta vez não deu. Nem o imponderável atura mais este time do Fluminense. Mais uma vez tivemos um placar favorável. Mais uma vez levamos uma virada. Mais uma vez saímos de um time bem estruturado para um bando desorientado correndo atrás da bola.

Que o jogo era difícil todo mundo sabia. Era o “jogo dos caras”: título antecipado, em casa, estádio lotado por um bando de loucos e arbitragem minando o time visitante. O torcedor consciente entende uma situação como esta e sabe que não vai dar para ganhar sempre. Tolera derrotas, desde que o time jogue honrando o manto verde, brando e grená. Nem sempre precisa ser Rivelino, Delei, Romerito ou Samarone. Nossa história também é feita de jogadores operários que encarnaram bem o espírito das três cores. Só não pode avacalhar com o jogo.

A definição do que tem sido o time do Fluminense me foi dada no evento de relançamento do excelente livro “Duas Vezes no Céu – Os Campeões do Rio e do Brasil” de Paulo Roberto Andel. Conversávamos a respeito do Fluminense e Luiz Felipe, tricolor que tinha acabado de conhecer, fala que o time do Fluminense parece um castelo de cartas. A analogia é perfeita. Uma estrutura difícil de construir, com uma boa apresentação, mas que pode ruir a qualquer brisa ou leve tremor.

E assim foi o jogo. Começamos bem. Logo no primeiro ataque, gol do Fluminense. Cobrança de escanteio e cabeçada do zagueiro Henrique. A partir do gol, atuamos de maneira firme. A defesa segurou a pressão. As jogadas de ataque eram raras, mas ainda assim conseguimos assustar a equipe Paulista em alguns lances. O primeiro tempo não foi perfeito, mas extremamente eficaz, dada as condições de jogo.

Começa o segundo tempo e aquilo que foi construído com todo esforço sucumbe em poucos minutos. O castelo de cartas se desmorona. A defesa falha grotescamente em dois lances e o Corinthians consegue virar o jogo em menos de cinco minutos. A partir daí foi um festival de erros. O time se descontrolou, começou a correr atrás da bola, chegando atrasado e sendo envolvido por um adversário que nem era tão superior tecnicamente. Falhas grotescas, jogadores tropeçando em si próprios ou facilmente driblados. O terceiro gol foi estarrecedor, foram dados todo o tempo e condição para que o adversário preparasse a jogada. Em resumo, foi uma derrota feia e vergonhosa, capaz de trazer preocupação para este final de campeonato. Faltam três jogos aparentemente fáceis e aí mora o perigo. Se não entrar para jogar de forma séria e já contando com o resultado, podemos ter problemas.

Acabamos entregando o título antecipado ao Corinthians. Alguns ficam revoltados com isto. Para mim, com toda a sinceridade, não me traz qualquer indignação. Este é o menor dos problemas. Que fique o exemplo do campeão. Um time mediano, mas que soube atuar bem no campeonato. Para os que reclamam do excesso de patrocinadores na camisa do Fluminense, vale uma olhada no uniforme do Corinthians. Futebol se faz com dinheiro, além de uma boa gestão.

Na próxima rodada, temos o jogo de nossas vidas. A vitória se faz obrigatória. Espero que a torcida compareça e empurre o time. Não por eles, pois não estão merecendo. Que seja, então, pelo bem do nosso Pavilhão. É o que importa no momento.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @paulotiburciojr

Imagem: bit

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres