O Flu e a confusão de sentimentos (por Ise Cavalieri)

PROCESSO PARA DESTRUIR O LIVRO “DUAS VEZES NO CÉU”

DOWNLOAD GRÁTIS – LIVROS “RODA VIVA” 1 E 2

Vivi os anos 1997/98/99, 2009, 2013 e o desânimo nunca foi tão grande quanto 2017. Aliás, até nas piores épocas, o medo era constante, mas o desânimo não. Para o torcedor sempre presente, embora houvesse o sentimento de medo e de um futuro incerto, como em décadas passadas, aquela ponta de fé sempre esteve ali junto.

Não há nada mais que doloroso do que perder o tesão em ver o próprio time em campo e precisar implorar todos os dias para que o ano acabe logo, antes que o fantasma de outra série (B) nos acompanhe.

Como pedir ao torcedor que compareça aos jogos restantes, se os próprios sentimentos estão confusos? Como esperar o apoio ao time que, durante a maior parte do ano, dormiu em campo, cedeu resultados, afora um técnico que cisma com um esquema visivelmente fracassado, com substituições erradas e uma presidência que só me desanima com essa gestão? Ah… deixando claro: gosto e considero o Abel um dos melhores técnicos do país, mas ele tem cometido muitos erros.

Como convencer a ida ao estádio se o desânimo vai de elenco à diretoria?

O pior desempenho defensivo dos últimos doze anos, um time que leva gol de jogadores que estavam há tempo sem marcar, que ‘ajuda’ times que estão tentando desde fugir do rebaixamento até uma simples vitória para ser campeão. Que cede pontos como se estivesse na posição mais confortável da tabela.

Antes a diretoria tivesse feito promoções enquanto ainda brigávamos por algo, não só na remediação. A parte mais dolorida é saber que a nossa chance de não cair vem de uma maior deficiência dos times que estão abaixo de nós.

Como consigo convencer alguém a gastar um dinheiro suado e ir ao Maracanã sabendo disso tudo acima?

A vitória contra a Ponte representaria parte de um alívio definitivo, pra que possamos encerrar o ano dignamente e pensar em 2018, esperando não cometer os mesmos erros. Temos três jogos tecnicamente “fáceis”, sendo dois em casa, mas sendo o Fluminense são três jogos de extremo cuidado.

A torcida não entra em campo, mas pode mudar o rumo de uma partida. Já mudamos o rumo de um campeonato inteiro, como foi 2009, então, o que são três jogos?

Não julgo aos que cansaram dessa situação, mas não vá pelo elenco, técnico, diretoria, grupo político ou qualquer outro motivo. Vá pela instituição FLUMINENSE FOOTBALL CLUB! Ela precisa de você, só a torcida pode segurar essa e reverter essa situação, impedir que algo pior possa acontecer.

Ano que vem a história é outra: chega de passividade e de aceitar essa situação pífia. Vemos outros clubes onde uma simples derrota gera protestos e confusões e é por isso que estão sempre no topo da tabela, lugar que deveríamos estar todos os anos. Passar a mão na cabeça não faz ninguém querer melhorar. Contudo, nesta segunda-feira, vá para apoiar ou para cobrar, mas compareça!

Ou empurramos o time ou o barco afunda de vez, com milhões de corações juntos.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: ise

1 Comments

Comentário