Sem cheque em branco… sem Sub-25! (por Antonio Gonzalez)

DOWNLOAD GRÁTIS DA TRILOGIA “RODA VIVA” – CLIQUE AQUI.

Sabedor de que o PANORAMA ainda está de férias, merecidas, deixa eu passar por aqui e deixar o meu recado.  À moda da casa, curto e preciso.

Deixando claro de saída alguns pontos:

  • continuo apoiando integralmente a gestão do Presidente Pedro Abad, sabedor de que as alternativas existentes, em seu dia e hoje, são inócuas, sem conteúdo e sem princípios, sem história;
  • acho injusto avaliar, pelo pouco tempo no cargo, o trabalho do novo Vice Presidente de Futebol, Fabiano Camargo, pessoa pela qual nutro simpatia, de caráter, íntegro e que tenho em alta estima;
  • frequento as Laranjeiras, o clube em si, assim como as suas dependências, todos os dias, portanto sei exatamente qual é o sentimento que existe no interior dos sócios do clube;
  • sei a exata importância que tive na passada eleição, e falo isso com a humildade como escudo, mas me devo a inúmeras pessoas e jamais será a minha intenção defraudá-las.

Dito isto, vamos em frente.

FUTEBOL 2018

Não estou gostando do que vejo. As dispensas foram justas, com erro na forma. O clube precisava ganhar fôlego financeiro para honrar os compromissos de uma folha que tem que ser reduzida.  Mas reduzir a folha não significa EMBARANGAR o elenco. Não podemos regressar aos tempos de Breno Lopes, Guilherme Santos, Vitor Oliveira, Fabrício, João Filipe, entre outros. Dentro de 13 dias começa o Campeonato Carioca e o atual retrato é assustador. Com o Flamengo e o Vasco na Libertadores, com o Botafogo perdendo espaço com relação ao ano passado, inclusive com a saída do seu treinador, a competição estadual poderia ser vista como prioridade inicial de conquista pelo Fluminense.

Mas não!  O medo da nossa torcida já alcança ao Campeonato Brasileiro. Hoje por hoje, comparando com os outros 19 elencos que disputarão as 38 rodadas desse torneio, a expectativa quanto à tranquilidade de resultados (sem ir longe a da permanência na Série A) é praticamente nula. E cá para nós… quem pode ir em contra do que pensa o nosso torcedor, diante da realidade que vê?

Fica difícil, para não dizer impossível, dar qualquer sustentação política ao que vem acontecendo.

Tudo é confuso… Empresta-se o Mascarenhas ao Botafogo de Ribeirão Preto e o Léo Pelé ao Bahia, traz-se de volta o Airton Beijo no Pescoço e tenta-se prorrogar o empréstimo do indecifrável Marlon. Verdadeiro samba do albino maluco.

Do nada, resolve-se renovar os contratos do Igor Julião e do Airton (jogador lançado pelo Vanderlei Luxemburgo no fatídico ano de 2013), jogadores que não servem para nada… a não ser que na cabeça do iluminado que comanda o futebol do Fluminense desde as sombras, tenha-se em mente criar a categoria Sub-25.

Empresta-se o zagueiro Derlan, da base, ao Paissandu, sem ter rodado no time principal e agora, promove-se ao elenco principal o também zagueiro Ibañez, com 19 anos, sem a devida rodagem na base. Conclusão: nem o Mascarenhas, nem o Ibañez estarão na vitrine da Copinha (Taça Cidade de São Paulo), torneio que conquistamos cinco vezes (1971, 1973, 1977, 1986 e 1989), sendo o segundo clube com mais títulos na competição, atrás apenas do Corinthians que tem dez (que conste que oito destes foram conquistados a partir de 1995, coincidentemente o ano em que oficialmente foi inaugurado o Centro de Treinamento Sylvio Kelly dos Santos, em Xerém).

Mas vamos além… Jadson e Gilberto, contratados até o momento, têm como agente o filho do ex-treinador Valdir Espinosa, que por acaso é o mesmo do Douglas…  Será que o Jadson, que é bi-rebaixado (2016, pelo Santa Cruz e 2017, pela Ponte Preta) ganhava mais de 50 mil reais no clube de Campinas?

Ora senhores, nem scout, nem banco de dados… o mercado sul-americano tem jogadores de melhor nível que esses e por muito melhor preço. Mas tem que levantar a bunda da cadeira.

João Boueri (VP de Futebol campeão carioca em 1969 e 1971, campeão brasileiro em 1970), o meu tio, Antonio Castro Gil (VP de Futebol campeão carioca  em 1984 e 1985, campeão brasileiro em 1984) e Alcides Antunes, pessoa com quem eu não falo (VP de Futebol campeão carioca em 1995 e campeão brasileiro em 2010) jamais precisaram de interferências, nem de ouvir pessoas que nunca souberam o que é o mundo do futebol, que o mais redondo que viram na vida foi a pia batismal.

O que eu quero dizer é que o Fluminense tem que voltar a criar dirigentes na casa, que não precisem de iluminados paraquedistas que estão mais preocupados com os seus polpudos salários.

Bato palmas pelo fato que todo contrato que está sendo assinado passa pelos Departamentos Financeiro e Jurídico. Isso é evolução na forma de gerir. Ponto.

A outra coisa é o que se contrata, como joga, de que joga, como se comporta nos vestiários, se é jogador de grupo.

Qual é o critério de avaliação? Sabem definir se o melhor é o jogador que conduz a bola por dentro ou por fora do seu pé? Coisas básicas. Sabem ver se o jogador é modelo escolinha de futebol que só chuta de raspa bosta? Sabem diferenciar qual deve ser o posicionamento de um zagueiro de corte e do um zagueiro apenas de impulsão?

É muito pouco apenas definir que time só funciona com os salários em dia.  Tira das costas um maior aprofundamento e encontra-se respostas básicas na falta de dinheiro. Futebol tem que ter tempero, canja de galinha só serve para hospital. E principalmente, mão de ferro no quesito disciplina.  Sem compromisso de atleta, a casa vira do avesso. Basta uma laranja podre para melar o cesto.

Repito: estou com a gestão, mas não assino cheque em branco.

GUSTAVO SCARPA

Não foi por falta de aviso, há tempos venho avisando.  Se acha o reizinho, líder negativo de vestiário e o atual comportamento é de moleque.  Está na cara que não quer ficar.

Bastava, de forma simples, com que se analisasse a atuação dele na derrota na penúltima rodada do Brasileiro contra o Sport de Recife, por 2 a 0 em pleno Maracanã. Por muito menos, o Eraldo e o Tadeu não voltaram a vestir a camisa do Fluminense no final de 1982.

XERÉM

Tem que avisar ao responsável pela captação de atleta que existem indicações e INDICAÇÕES. Indiquei uma pessoa ao clube que já colocou uns 15 atletas de meia confecção em Portugal. Três desses jogadores foram posteriormente vendidos para o futebol russo por transações que beiraram os 10 Mi de euros.  Ou seja, a pessoa indicada conhece de futebol, principalmente do mercado do nordeste. Quis indicar um jogador ao Fluminense (segurou uma transação quase fechada com o Atlético-PR), volante canhoto de 17 anos.

Fiz os trâmites, ele falou com o diretor, que passou para o responsável pela captação em Xerém. Recebeu um áudio do tal funcionário no final de novembro. Recebeu como resposta que em 2017 as avaliações estavam encerradas e que, como muito, poderia enviar o observador que o clube tem em Fortaleza para a próxima competição que o atleta disputasse.

Uma pessoa nessa posição tem que ter FEELING. É certo que milhões de pessoas querem indicar filho, papagaio, bem te vi e arara, dizendo que são as mais novas maravilhas do mundo…  Outra coisa é quem se coloca do outro lado da mesa.

Por muito menos o Barcelona contratou o Messi (em nenhum momento quero comparar)… o que quero dizer é que, em muitas vezes, as oportunidades passam na nossa cara e não conseguimos ter a capacidade de vê-las.

COMUNICAÇÃO

Não mudou nada desde 2013… mesmos erros da época da Lívia Andrade, mesmo modus operandi do Sergio Arêas…

Não quero me aprofundar muito, porque existe muito mimimi do Departamento que se queixa da minha pessoa.  A única coisa que eu acho estranha é que a Globo.com está publicando algumas notícias, algumas oficiais, antes que o próprio site do Fluminense.

Raul Seixas foi, da sua maneira, um ser de luz.  Em “Metamorfose Ambulante” ele renega qualquer tipo de sistema definitivo, principalmente a quem se diz dono da palavra:

“Prefiro ser essa metamorfose ambulante
Prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes
Prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”…

Reafirmo o meu compromisso com todos os sócios e torcedores que confiaram em mim quando lhes pedi votos para a atual gestão. É meu dever não decepcioná-los.

Espero que a gestão do Presidente Pedro Abad ouça definitivamente a toda a sua base; pode descobrir que nem tudo que reluz é ouro.

Feliz 2018…

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: gonz/google

4 Comments

  1. Realmente, acho que além do tempo instável, como muita chuva, mais NUVENS NEGRAS estão surgindo no horizonte TRICOLOR.
    Acho que esse 2018 vai ser difícil aturar…
    Apesar da nossa torcida para que isso não aconteça.

  2. Mais uma vez preciso e conciso. Concordo e só lhe peço que continue cobrando posicionamentos corretos da atual administração, da qual você foi um tremendo cabo eleitoral. Ainda acredito na administração Abad por tudo o que tem sido feito em termos administrativos. Com o Autuori creio que o futebol deverá ter uma alavancada. Continuarei esperando. ST

  3. “Não quero me aprofundar muito, porque existe muito mimimi do Departamento que se queixa da minha pessoa. A única coisa que eu acho estranha é que a Globo.com está publicando algumas notícias, algumas oficiais, antes que o próprio site do Fluminense.”

    Isso é simplesmente imperdoável.

    Ninguém ignora que esta “mídia imparcial” é encabeçada por esta empresa e que ela vive para denegrir o Flu….sem explicação nem justificativa essa exposição.

    ST

Comments are closed.