Chapecoense 1 x 2 Fluminense (por Paulo-Roberto Andel)

Vamos lá: todos sabem de tudo o que cerca o Fluminense em seu cenário atual, dentro e fora das quatro linhas. Como a parte externa é muito repetida e chega a ser cansativa, falo do campo. O fato é que, com elencos qualificados ou médios, todo mundo sofre para vencer a Chapecoense na Arena Condá. Assim sendo, três excelentes pontos conquistados, que não permitem descanso, mas dão ao Flu algum pequeno conforto temporário na distância para o Z4.

Interessante como o um gol fortifica a personalidade de um jogador. Lá estava o Everaldo tentando, chutando, fazendo o que podia. Marcou seu primeiro com a camisa tricolor e logo fez o segundo, em bela finalização ontem. Sornoza marcou o segundo em outro belo chute. Alguém aí sabe dizer quando foi a última vez que o Fluminense fez dois gols de fora da área num mesmo jogo? E ambos belos gols? Ponto muito positivo. Ah, lá se foi o taboo

De resto, a luta permanente de um elenco muito bem descrito nestes dias pelo Fleury e pelo Jácome neste espaço, muito lutador, honrado e sabedor de seus horizontes restritos. O que temos em campo não difere muito de temporadas honestas ou complicadas, casos de 1991, 1993 ou 2006, evidentemente sem Super Ézio e outrem. A coisa agora é que está mais difícil. Num campeonato muito nivelado por baixo, qualquer time de baixo complica para o de cima, e o Fluminense  está na linha média – ou seja, sofre com as duas pontas. Contudo, apesar de todas as adversidades, é possível acreditar que o atual onze tricolor possa entregar um temporada digna em dezembro – ainda temos a Sul-Americana, que a gente quer e precisa muito porque é uma competição internacional, mas que tem cada time de doer…

Próximas paradas: Grêmio, Paraná e Gávea. Sete pontos cairiam bem demais. Quem sabe o médio, limpinho e barato do Flu chega onde a gente quer? Torcer é preciso. Vamos em frente.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

1 Comments

  1. ÚLTIMO GOL TRICOLOR, BELÍSSIMO ARREMATE, QUASE, QUE, DO CÍRCULO CENTRAL, AQUÉM, ATÉ MESMO DA INTERMEDIÁRIA, BOLA EM PARÁBOLA, WENDELL, ANTE O SÃO PAULO NO MORUMBI, BRASILEIRÃO ANO 2017..

Comentário