Carta aberta a Fernando Diniz (por Márcio Machado)

Aqui fala um torcedor preocupado com seu clube, que começou mal o Brasileiro, parou de jogar bem nas últimas partidas.

Quero melhorar, quero ser feliz com meu Fluzão, mas estou preocupado contigo. Você tem potencial para ser muito bom técnico, não se perca por pequenas coisas, faça aquilo em você acredita. Será melhor para todos.

Quando se cogitou o jogador Nenê por aqui e estávamos negociando o Ganso, você afirmou ser possível ter ambos no time e obrigação sua colocar sempre os melhores em campo, adequando o sistema a eles e não o contrário. Se tivesse feito isso nessa semana não estaria no sufoco. O esquema que privilegia a posse de bola sem criação de jogadas no meio campo nasce morto, professor!

Os três volantes, que nem assim se posicionam, resultam num time que tem o pior da sua filosofia, que é o toque pro lado excessivo sem a construção de jogadas que efetivamente apertam o adversário no campo dele. Compare os dois jogos contra o Santa Cruz. O que diferencia o show em campo da vergonha é muito pouco. Concentrar a armação de jogadas pelas laterais torna nosso time facilmente marcável e estoura num sistema defensivo fraco, com laterais que não defendem direito e volantes fora de forma e/ou posição batendo cabeça. Os bons Mateus Ferraz e Nino são vítimas. Rodolfo pode não ser goleiro para titularidade, mas em boa parte o problema não é ele.

Está claro que o time terá dificuldades em qualquer partida que faça jogando assim. Precisamos de um meia jogando até a volta do Ganso, o Allan não tem essa característica, minha sugestão é colocar logo o Pedro para jogar de início. Por mais que ele não tenha condições para 90 minutos, só vai adquiri-las em campo, e pode ser substituído por outro atacante de área, como o garoto João Pedro ou a depender do jogo por peças de outras posições Com isso, se você não confia nos seus meias fora o Ganso, que são Daniel e Léo Arthur – tão elogiados e acostumados com o seu esquema -, improvise o Luciano como ontem, quando partimos no segundo tempo para a vitória que nos foi arrancada pela arbitragem, mas isso é papo pra outra circunstância.

Porque sua carreira está em jogo. Não quero o senhor marcado como técnico sonhador que não forma times de verdade, que só ficam tocando bola inutilmente, que alguns comentaristas de TV gostam, mas os clubes passam longe. Essa escalação das últimas partidas não ganha de ninguém e, se não for revista, a pressão vai aumentar e naturalmente os candidatos a presidente vão rifá-lo sem dó: vai aparecer técnico do candidato M, chapa de T, conversa com L, candidato X promete trocar Diniz e por ai vai.

Salve sua carreira, jogue de acordo com o que você acredita e rumo às vitorias.

ST.

O TRICOLOR – informação relevante.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

3 Comments

  1. Bom dia. Ele sabe de tudo isso. Mas é empregado do Fluminense (como todos os técnicos burros e teimosos que tivemos) – clube refém da figura mais nefasta do futebol que é o Empresário. Não é verdade? você já deve ter repetido isto em seus comentários, à exaustão, de todos os nossos técnicos anteriores. Como a maioria deles já passou pelo Flu, serão eles todos burros e teimosos? é só pensar um pouco. Abraços.

  2. Exato Jurandyr, joga aquele que tiver o empresário com mais força. O Flu virou um time pequeno, um ameriquinha, com a diferença que não é amado por todos, e sim, detestado. Eu sou da época dos timinhos da década de 50/60, da máquina de 70, do tricampeão dos anos 80. Hoje, torço por teimoso que sou, já sem esperança de ver algo de bom sair dessas diretorias nefastas que, pouco a pouco, matam um clube de tradição, com uma história rica como nenhum outro tem. A eleição do Peter e do Abad foi uma…

Comments are closed.