Calma, tranquilidade e energias positivas (por Marcelo Savioli)

Amigos, amigas, depois de duas vitórias seguidas importantes, uma derrota fora de casa e ressurgem os mesmos questionamentos de sempre. O Fluminense é o único time do mundo que perde porque joga bem, bonito e ofensivamente.

Nos últimos cinco jogos, foram três vitórias e duas derrotas. Nossas derrotas foram para São Paulo e Atlético MG. O São Paulo, horas antes do jogo do Fluminense, derrotara o Santos, de virada, por 3 a 2, jogando melhor. O Santos é só o líder do campeonato, que joga bem, bonito e ofensivamente, mas, ao contrário do Fluminense, não perde por causa disso.

O Atlético, time que nos derrotou, vive seu melhor momento na temporada. Está nas quartas de final da Sul-Americana e subiu para a quarta colocação no Brasileiro, a cindo pontos do líder. Vou ser honesto com os amigos e reconhecer que não vi o jogo de sábado com a concentração que requer uma boa análise.

O que eu vi, no entanto, foi suficiente para reconhecer uma grande partida entre dois grandes times. Não foi o modelo de jogo ou a escalação que proporcionou ao Atlético as inúmeras oportunidades de gol que teve. É que o time do Atlético é infernal quando vai à frente. São jogadores muito rápidos e com muito talento.

O Fluminense vai, gradativamente, se afastar da zona de rebaixamento. O futebol do Fluminense não tem nenhuma relação com a posição em que se encontra na classificação. Perder para São Paulo e Atlético MG não é nenhum absurdo. Nós ainda temos, até o final do turno, algumas pedreiras. Encaramos Palmeiras fora e Corinthians em casa. Em compensação, receberemos no Maracanã CSA e Avaí, enquanto sairemos para pegar o Fortaleza, que também não vai bem das pernas.

Então, não adianta a gente espernear. O time está fortalecido e o elenco também. A gente perde o Pedro por algumas semanas, tem João Pedro para substituí-lo. Esse é o nosso elenco superhiperultralimitado.

Tudo que o Fluminense precisa nesse momento é calma, tranquilidade e boas energias.

Mas tem um problema tático que eu venho observando já há algum tempo. Nossos laterais jogam sempre muito avançados e sem cobertura. Quando o Fluminense é desarmado ou o adversário faz a bola longa na recuperação, nossos laterais levam bola nas costas.

O Allan entra no meio dos zagueiros para fazer a saída de bola, mas não faz o papel de terceiro zagueiro na recomposição. Em consequência disso, você não pode sair o zagueiro para fazer a cobertura do lateral.

Convido os amigos a repararem nisso nos próximos jogos. A recomposição dos laterais é lá na última linha, quando a função dos mesmos na fase ofensiva é atuar praticamente como atacantes. A gente até pode dizer que Daniel , Ganso e Allan fazem esse cobertura. E fazem. O problema é quando enfrentamos um adversário extremamente rápido como é esse time do Atlético.

Enfim, tem que continuar fazendo ajustes, mas com consciência clara de quem somos e onde estamos.

Saudações Tricolores!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

14 Comments

  1. Marcelo, eu continuo sendo favorável a manter o Diniz, mas discordo da sua análise sobre o problema na defesa. O problema maior não tem sido a cobertura e sim a má qualidade dos dois zagueiros (os bons que tínhamos, perdemos, Mateus Ferraz e Ibañez) e o erro constante de passes na nossa intermediária. Quer trocar passes como o Barcelona, tem

    1. Eu acho que esse é um outro problema. Inclusive, no último programa do Panorama eu falei da questão do Digão. Ele deu duas assistências para o ataque do Atlético. Contra o Vasco foi aquela sequência de solas, que era para ter sido expulso na primeira. Se fosse comigo, o copo já tinha transbordado. Colocaria o Frazan no lugar dele, que jogou bem em todas as partidas que entrou no ano. Mas essa questão do avanço dos laterais também é um complicador, principalmente se a defesa demonstra fragilidade. O que não pode é o pessoal dizer que a culpa é da nossa transição quando o Nenê, com três minutos em campo, vem lá da frente para fazer aquela trapalhada. É complicado. Coisa de fundamento. Está de costas para o campo adversário, não tem 100% de certeza do passe, domina a bola e busca alguém melhor posicionado.

      ST

      ST

  2. Savioli,
    Toda segunda fico entrando no site compulsivamente para ler seu texto. É a visão mais encorajadora que conheço. Sou otimista como você e me sinto representado! Precisei, inclusive, parar de seguir uns histéricos nas redes sociais. Mais uma vez, obrigado por manter essa coluna. ST

    1. Eu prefiro entrar nos sites para ler algumas análises mais honestas, porque tem coisa que não dá para levar a sério, a língua coça e eu não tenho tempo. rsrs

  3. Saviolli:
    Saudaçôes!
    Aconselho à assistir os melhores momentos
    do jôgo e reparar, quando estava 0x0, Daniel
    esticou uma bola para o Jonhy, que deixou ele
    em condições de marcar, quando o atacante tricolor foi atropelado faltosamente pelo goleiro do galo, fora da área, sendo ignorado pelo juiz e pelo war e o goleiro que deveria ser
    expulso, nem advertido foi. Esse war já nos tirou mais 6 pontos e ficam discutindo se o Diniz deve ou ser demitido. Esse lance aconteceu quando o Flu era…

    1. Não é fácil de analisar. A gente tem que colocar tudo no pacote. Se pegasse os pontos que nós perdemos para arbitragem estaríamos no meio da tabela.

      ST

  4. …Oi Marcelo, como você, não fico por ai externando meu desagrado ao Diniz. Porém, pelo “pouco” que entendo de futebol (joguei a minha vida toda) não se pode jogar na casa do adversário sem uma defesa com boa cobertura. Se ele não quer mexer (trocar) nos jogadores, que ele treine os mesmos para solidificar nossa defesa quando jogarmos fora!!! Um time de futebol é composto destacadamente,de três setores: defesa, meio campo e ataque, que até prova em contrario tem que atuarem harmonicamente…

    1. Eu vou mais além. Eu acho que não pode jogar desprotegido em lugar nenhum, exceto você chegue aos 20 minutos do segundo tempo perdendo de 2 a 0. Aí você precisa aumentar a cota de risco para aumentar a cota de possibilidades.

      St

  5. Bom dia à todos,
    Nas redes sociais os mesmos de sempre fazem campanha de destruição pela destruição do nosso Fluminense. Fogo de “inimigos” e pior de muitos que se auto-intitulam tricolores.
    E necessário que os tricolores de sangue grená e que são formadores de opinião tomem a defesa do Diniz nestes mesmos meios de comunicação. Temos um grande técnico e precisamos preserva-lo.
    ST

    1. Fluminense e redes sociais é um problema sério há muito tempo.rs

      ST

  6. Bom dia, Savioli. O lance do goleiro em Yonni foi “um assalto da arbitragem”. Agora, outro dia, o Muricy elogiou o Diniz dizendo que ele “morre abraçado com o esquema”. Ok. Na minha opinião tem que rever a questão da saída de bola que está nos matando. Tem hora que não precisa. Os caras estão apertando, então encontre alternativa. É gol em cima de gol. Eu cresci ouvindo “bola pro mato que é jogo de campeonato”. É só não complicar. Abraços.

    1. Eu realmente não vi esse lance porque eu tive que sair várias vezes da frente da televisão. Abração!

  7. Savioli,
    Concordo contigo em tudo somente porque estou vendo o mesmo que vc. Acrescentaria apenas que uma das causas de derrotas é nosso pouco aproveitamento nas finalizações. todo jogo, criamos, se não muitas, mas, algumas, e erramos. Assim, peremos sempre pois que não faz…
    S.T

    1. Eu concordo com você, mas, por incrível que pareça, é mais um dado positivo, porque mesmo assim nós estamos entre os seis melhores ataques do Campeonato Brasileiro. Imagina a hora que o time acertar a pontaria. Nós criamos muito.

Comments are closed.