Boavista 0 x 2 Fluminense: atuações (por Mauro Jácome)

Informática para pequenos e médios ambientes – CLIQUE AQUI

Na estreia da Taça Rio, o campeão da Taça Guanabara foi até Bacaxá para pegar o Boavista, que terminou o primeiro turno com somente quatro pontos.

1º TEMPO

Lentidão, passes errados e espaços ao adversário marcaram os vinte primeiros minutos do Fluminense. Depois da parada técnica, a marcação ficou mais compacta e resolveu os espaços que o Boavista tinha na intermediária tricolor. No entanto, a bola continuava sendo tocada com imprecisão ou, quando chegava mais perto do gol de Felipe, os cruzamentos eram errados. Foi um primeiro tempo muito chato e longe das características do Fluminense nesse início de temporada.

2º TEMPO

Abel mandou o Fluminense pressionar a saída de bola do Boavista, com isso, a posse de bola foi grande, no entanto, faltava criatividade para transformar o volume de jogo em oportunidades de gol. O jogo se arrastou até os 27’, quando Calazans arrancou, driblou no meio-campo e acionou Richarlison. O atacante foi para cima, cortou para o meio e bateu rasteiro, abrindo o placar. Depois do gol, o Fluminense se animou. Pouco depois, Pedro fez ótima assistência para Renato, que entrou e fuzilou Felipe para marcar o segundo.

DIEGO CAVALIERI

Praticamente assistiu ao jogo. Uma única intervenção importante: aos 40’2ºT, saindo nos pés de Robert. Não dá para fazer alguma avaliação do retorno.

RENATO

Como o jogo se desenvolveu pelo lado esquerdo no primeiro tempo, não teve função no jogo. Na segunda etapa, foi mais acionado, lançou-se bem para receber de Pedro e mandou um balaço para ampliar o placar. Mesmo assim, não tem cacoete para criar jogadas ofensivas. Fraquíssimo. Nem o gol o salva.

REGINALDO

Teve visa fácil no jogo. Muito alto, tentou levar vantagem nas bolas aéreas de ataque. Aos 9’2ºT, aproveitou cruzamento de Marquinho e quase marca.

NOGUEIRA

Sóbrio, fez uma partida muito tranquila e controlou os poucos ataques do Boavista.

MARCOS CALAZANS

Pela esquerda, teve muita liberdade, no entanto, em vez de investir para cima da defesa adversária, preferiu chuveirinhos de longe. Quando se soltou da lateral e partiu pelo meio, iniciou a jogada do gol de Richarlison.

PIERRE

As trombadas tradicionais. Não consegue passar sem um cartãozinho. Ficou nos vestiários durante o intervalo.

LUIZ FERNANDO

Deu mais dinâmica à saída de bola do Fluminense. Tecnicamente é superior a Pierre.

WENDEL

Não fez um bom primeiro tempo. Tentou ir à frente para participar nas trocas de passes, mas embolou com Marquinho. Com a entrada de Luiz Fernando subiu de produção e contribuiu para construir a ampla superioridade no segundo tempo.

MARQUINHO

Fazia a transição com lentidão e também distribuía a bola sem profundidade, acumulando o jogo longe da área do Boavista e facilitando a marcação. Mesmo com o domínio integral do segundo tempo, não conseguiu criar. Joga muito lateralmente.

MARCOS JUNIOR

Muito preso pelo lado esquerdo no primeiro tempo, teve dificuldades para se soltar da marcação. No segundo tempo, centralizou, mas abusou nos passes errados. O velho problema: não consegue uma boa sequência de jogos.

LUCAS FERNANDES

Pouco ousado, passava para o lado ao receber o passe. Mais uma vez, não soube aproveitar a oportunidade.

PEDRO

É um atacante que tem boa visão de jogo. Não recebeu nenhuma bola na área, mas foi decisivo fora, ao dar excelente assistência para o Renato.

RICHARLISON

A luta de sempre, no entanto, teve dificuldades para avançar porque os passes eram errados ou na fogueira. Geralmente, corria contra dois ou três adversários. Graças a sua insistência no primeiro gol, o Fluminense abriu o caminho da vitória. Mais uma boa atuação.

MARANHÃO

Pouco apareceu. Nas vezes que recebeu a bola, tentou o individualismo e não foi feliz.

ABEL

Depois da maratona com viagens complicadas pela Copa do Brasil, o técnico tricolor resolveu poupar os titulares. A surpresa se deu pela volta de Diego Cavalieri, finalmente, recuperado da contusão no tornozelo. Para o segundo tempo, melhorou a transição colocando Luiz Fernando no lugar de Pierre. Ao subir a marcação na etapa complementar tomou o controle total do jogo. A entrada de Pedro também foi positiva. Mesmo não fazendo uma partida no mesmo nível das anteriores, muito pelas alterações, o segundo time mostrou estar bem preparado para necessidades com a de hoje.

BOAVISTA

Comandado por duas moscas mortas – Robert e Fellype Gabriel – não vai chegar a lugar algum.

ARBITRAGEM

Sem registro negativo.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: ajm

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres