O amargor do machismo no futebol (por Daniele Brandão)

Informática para pequenos e médios ambientes – CLIQUE AQUI

É um assunto sempre revisitado por quem se dedica a falar dele, e a primeira vez que escrevo sobre. Tanto pela semana temática quanto por vivências que eu tento esquecer – sem sucesso. Por isso é apenas uma rápida reflexão, e ao mesmo tempo um mergulho no passado.

Ser mulher e gostar de futebol é um prato farto para o preconceito (na verdade, em se tratando de esporte ele é a única coisa que atinge mulheres de todas as cores, origens, classes sociais e preferências políticas por igual). Quem nunca escutou a velha pergunta em tom de deboche “sabe o que é impedimento?” pode crer que ainda vai ouvir.

Mas começa dentro de casa, afinal “isso não é coisa de menina” e surgem aí os primeiros questionamentos alheios sobre a sua sexualidade. E você nem sabe o que é isso ainda! Depois, você quer debater com alguém… com quem? Não dá para se intrometer nas mesas-redondas dos amigos do seu pai, porque ali você não sabe e nunca saberá o suficiente.

E o estádio? Não, “é um ambiente muito bruto para alguém tão delicada”. Ou então “você só vai para admirar os jogadores”. Para quem diz isso, não importa se o seu interesse é genuíno.

Por outro lado, você descobre a grande rede e conhece pessoas que têm a mesma paixão futebolística. Aí fica tudo bem, até o dia em que você discorda do cara que está do outro lado da tela – e ele pode ser seu confrade de torcida ou vestir a camisa adversária, mas não vai perder a chance de te desqualificar, seja de forma sutil ou liberando toda a agressividade.

Quando você começa a se policiar, a não falar de um tema que gosta para evitar ser atacada, é uma droga. Ainda mais porque tais ataques não são meramente ofensivos, mas também desestabilizantes do ponto de vista psicológico. Quem te ataca sabe muito bem porque está fazendo isso e supõe quais serão os resultados.

Por mais que eu ame o futebol, de vez em quando reaparece aquele gosto amargo… sempre acompanhado das lembranças mais chatas.

xxxxxxxxxx

Em tempo: até onde se pode ir para destruir a história de um clube? Lamento profundamente pelo Boa Esporte…

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @FluminenseDNL

Imagem: brand

Informática para pequenos e médios ambientes – CLIQUE AQUI.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres