Acho que sei o que está acontecendo (por João Leonardo Medeiros)

12550195633_c91a19a6ea1. Dentro de campo

O Fluminense será campeão estadual. Quem já viu várias conquistas do clube, sabe como elas são: um time bom, sem fé de outros, sem fé em si próprio; uma torcida que, por uma razão qualquer, abraça o time fielmente; adversários com ódio nos olhos. É assim que a pecha de “timinho”, o timinho-timão, colou em esquadrões diversos que passaram pelo clube.

Hoje, temos, em minha opinião, um time promissor. Carente de muitos ajustes, todo mundo sabe, mas promissor, por várias razões. Primeiro, porque tem o melhor jogador em atuação no Brasil em seu elenco: o nosso soberano, Rei Conca. Segundo, porque está recuperando, e em breve contará com, o centroavante titular da seleção brasileira. Terceiro, porque – cantemos todos – “BOOOOOOOOLA, o gordinho pede BOOOOOOLA”. Quarto, porque temos três ou quatro ótimos jogadores, aparentemente bem motivados, dos quais destaco o grande Carlinhos e o raçudo Sóbis. Loas aos dois. Quinto, porque nossos medianos são bem bonzinhos, inclusive – que meu ídolo Gustavo Albuquerque me desculpe – o recém-contratado Chiquinho (olho nele, porque eu acho que dá caldo).

Já submetemos Édipo (o filho apaixonado pela mãe, uma rameira, e com ódio mortal do pai) à primeira humilhação do ano, tivemos belas atuações com os pequenos e nos preparamos para botar o rival-petit no chão. Se vencermos o petit, creio que será difícil nos tirar a Taça Guanabara, o que provavelmente abrirá nosso caminho para a final. E nela, aposto no Conca.

2. Fora do campo

Sou um dos que vê com apreensão a exiguidade de nossos reforços defensivos, embora discorde da opinião de que a carência maior é na zaga e não na cabeça de área e também… pasmem, na armação. Isso mesmo: se nossa defesa melhorou, foi, entre outras coisas, porque temos o Conca para segurar a bola na meiúca, impedindo que ela rebata na frente e volte de pronto para os zagueiros se virarem com atacantes em velocidade na defesa aberta. Se, além do Conca, tivéssemos dois cabeças-de-área confiáveis – Valência é de cristal, Diguinho é Diguinho e Jean é um mistério, joga quando quer –  e outro bom armador, poderíamos escalar eu (1,67) e Biro-Biro (1,62) na zaga. Tudo certo.

Mas atenção: não entro (ainda) na onda histérica dos comentários da internet, por uma única razão, que explico logo. Até o fim de fevereiro, nem o Fluminense, nem a Unimed podem contratar, por razões diferentes. O Fluminense não pode contratar porque está com a grana retida, em razão das penhoras do ano passado, ainda não resolvidas. Dizem que tudo se resolve até o final do mês. Já a Unimed está em processo eleitoral e o atual presidente, Celso Barros, vem sendo contestado pelo opositor flamenguista (sempre Édipo) por gastar muito dinheiro no patrocínio. Se você fosse Celso, candidato, enfrentando este tipo de acusação, iria fazer um grande investimento agora? Claro que não, queridão.

Por isso, estamos sem reforços. Mas, como disse, a questão fiscal deve se resolver até o fim do mês (pelos bastidores, sem confirmação) e Celso deve ser reeleito. Ouvi que vão contratar Thiago Silva, David Luiz, Paulinho, Messi e Cristiano Ronaldo. São reforços à altura, principalmente o ídolo Thiago. Vamos cobrar.

3. No tribunal

A Portuguesa dançou e está desesperada, numa tática de quanto pior, melhor – devia perguntar ao América se isso dá certo. O Flamengo se livrou, salvo pela imprensa, pois, se ninguém abriu o bico até agora, não vai abrir. Já a Lusa se enrolou, porque ficou difícil não confessar que havia gente do clube envolvida numa aparente trapaça, um suborno sem subornador, como disse o panoramista Andel. Sem subornador tricolor ou alvi-negro, na verdade, mas que talvez tenha um rubro-negro. É a leitura direta da frase, para quem não quer entender.

Seja como for, o fato é que a sorte da Portuguesa foi decidida na reunião do arbitral, quando os 19 dos 20 clubes concordaram em não se beneficiar de resultados da justiça comum que confrontassem a justiça esportiva. O filho bastardo (DNA nele) ficou choramingando, parecia a Chiquinha, mas deve ter ficado com o rabo entre as pernas na reunião, acuado pelo papelão de ter cometido um erro tão banal e com tantas consequências para todos.

4. Na vida

O infeliz do bastardo-Édipo quer nos destruir  porque estamos chegando junto de seus “recordes” de títulos, contados por eles mesmos. Vejamos os últimos movimentos. Primeiro, o filhote tenta empurrar a sujeira que ele mesmo produziu ao colocar um jogador irregular em campo para cima da gente. Poucas declarações foram tão ofensivas a um clube adversário quanto a do senhor presidente desse clube no momento da divulgação da escalação irregular dos jogadores da Portuguesa e do próprio. Isso sem contar a mobilização da Fla-Press, que neste episódio finalmente comprovou sua existência.

Em segundo lugar, vem a candidatura rubro-negra para a Unimed. O bonitão deles adora o contrato da Peugeot, um contrato esquisito, no qual a sigla BNDEs vem amarrada na sigla FLA. Dizem, e quem seria eu para confirmar um absurdo destes, que o presidente do filhote é ex-funcionário do BNDEs, que a Peugeot obteve um financiamento do BNDEs e que, depois, financiou o filhote. Isso é imaginação da turma, claro.

Por fim, o episódio do clássico dos 100 reais, risível pelo desfecho. Agora, honestamente, neste caso, foi só olho gordo. O Vasco disse que NÃO praticou preços absurdos no jogo com o filhote: no lugar de 100 reais, cobrou 80 reais – ah, bom, time do subúrbio, contra o racismo, contra o preconceito social (toma tenência Dinamite). Resultado: o assim-chamado clássico dos milhões, entre os dois, teve menos público que Fluminense e Boa Vista. Repito: FLUMINENSE E BOA VISTA, SÁBADO 19:30h, TEVE MAIS PÚBLICO QUE VASCO E FLAMENGO, DOMINGO 16:00h. Comprovado: no estádio, somos a maior torcida do Rio.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

Foto: Nelson Perez / Fluminense F.C.

12 Comments

    1. Vindo de quem vem, um comentário como este é troféu.

      Valeu, Caldeira.

      Abraço,
      João

  1. Muito bom! Bom mesmo!
    É digno de comédia pastelão as manobras rubro-negras para tentar esconder o óbvio. Pior ainda a Flapress que “fecha os olhos” e deixa tudo passar… Sempre foi assim… Assim como sempre ganhamos deles nos jogos importantes.

    1. Ernesto, meu caro,

      mas também há sinais de que a batata-quente do demo está assando. A repercussão do roubo contra o Vasco foi atípica, por mais que o fato em si tenha sido absurdo (como foi). Em outras épocas, a Flapress ia provar que a bola não entrou.

      Abraço,
      João

      1. Queria vwr o tira teima do gol do Flamengo… Esse ninguém falou. Ate onde sei a bola tem que entrar toda. Essa história de braço dentro do gol pra mim… Sei lá.

  2. Esse negócio de 100 está acabando com eles.
    100 anos deles, barrigada.
    100 anos de Fla x Flu, bicicleta.
    Clássico dos 100 reais, uma goleada, com gol do Nhonho.
    Benfeito para esses 100 caráter.

    1. Mas o que vai deixá-los malucos é ficar este ano 100 títulos. Vamos pegar ele.

      ST,
      João

  3. Excelente texto!
    Acrescentaria uma sexta razão para acreditarmos no time: Renato Gaúcho; nunca o vi com tamanha sabedoria.
    E como o sobrenatural Conca faz bem a todo o time…
    Rumo ao 32º!

    1. Valeu, grande Leo. Saudações tricolores e comunistas.

      Abraço,
      João

    1. Obrigado, amigo Sergio. Nunca vi a torcida tricolor tão unida e creio que assim não nos derrubarão.

      Abraço,
      João

Comments are closed.