A importância de um ídolo, a volta de Fred e Dona Leda (por Wagner Victer

Não só na política, como também na história de uma nação, mas principalmente no esporte, a existência de ídolos é fundamental para estabelecer uma referência, para muitos passarem a cultuar e se agregar em torno daquela admiração.

No futebol, isso fica extremamente claro! Muitos clubes continuam captando novos torcedores e efetivamente consolidando sua trajetória a partir de um ídolo como referência ou uma série de ídolos, ao longo do tempo, aliás, isso na própria dinâmica do clube é importante para atrair novos jogadores, torcedores e manter essa tradição viva. O bom exemplo no Futebol Brasileiro, é o “Pelé do Santos” ou o “Santos de Pelé”, que se tornou a marca mais importante da história do clube, não só do seu passado, mas para toda perspectiva futura.

Temos grandes ídolos na história do Fluminense do passado, como o lendário Castilho, que amputou o seu dedo para continuar jogando. Destaco alguns que particularmente vi jogar durante minha fase de adolescência, como Manfrini, Rivelino e Paulo César Caju. Não há a mínima dúvida de que nossa galeria tricolor de ídolos recentes é imensa. Após a Máquina de Francisco Horta (aliás, um verdadeiro Presidente ídolo), tivemos Assis, Romerito e, com a breve passagem de Renato Gaúcho, especialmente pelo “gol de barriga” contra os mulambos na final.

Porém Fred se tornou o grande ídolo tricolor contemporâneo, e ainda em atividade, continua sendo uma grande referência a dezenas de milhares de jovens, especialmente no período que atuava não só com virada épica quando fugimos do rebaixamento, virando o “O Time de Guerreiros”, mas depois com o Bicampeonato Brasileiro, quando tivemos em Fred, o nosso principal ídolo. Da maneira como foi feita no Fluminense, sua saída foi totalmente inadmissível.

A forma como Fred se relacionava com seus torcedores sempre foi um grande patrimônio de nossa torcida, e é um destaque de seu perfil de ídolo e inclusive de excelente “marqueteiro”, que independente de alguns problemas que ele possa ter criado no relacionamento, por sua forte personalidade. Me lembro de diversas vezes que meu filho Francisco encontrou com ele e toda atenção que ele dispensava ao então pequeno tricolor, porém, uma passagem me marca muito, em especial, com minha mãe, Dona Leda.

Como minha família não morava no Rio, muitas vezes, ficávamos hospedados no hotel que o Fluminense fazia sua concentração, que era o Windsor, antigo Le Méridien, e atual Hilton. Minha mãe, Dona Leda, era uma grande fã do Fred. Um dia, em jogo do Fluminense x Botafogo, que não me recordo qual, encontrei com o Fred no saguão e pedi para ele falar com minha Mãe que estava ao telefone. Ele me perguntou qual era o nome dela e quando pegou o telefone logo falou: “Dona Leda, aqui é o Fred. Hoje vou fazer um gol para a senhora!”. E não é que naquele dia ele fez um gol contra o Botafogo?Minha mãe durante anos idolatrava ainda mais o Fred e tinha certeza de que aquele gol tinha realmente sido feito para ela, e que após a comemoração ele estava olhando para ela.

Essas histórias de torcedores, a partir dos seus ídolos, não tem preço, e são as verdadeiras externalidades criadas pela existência dos ídolos. Para todos que me conhecem como um gestor considerado muito duro e até tipo “Mãos de Tesoura” com a busca incessante da economia de custos, acho que a vinda do Fred, mesmo nesse momento de crise financeira, seria um grande acerto e uma decisão correta da atual direção do Fluminense, até porque existem valores como essas externalidades que não estão diretamente ligados a somente ao gasto, pois Fred reestabeleceria a figura de um grande ídolo para o Fluminense, principalmente se vier ainda para se aposentar no Fluminense, pois certamente virará um patrimônio eterno e vivo para muitas gerações.

Por mais que considere que ele atualmente não esteja na mesma forma, é claro, mas termos um ídolo é questão de marketing e sobrevivência do nosso clube. Portanto, a volta do Fred é bastante positiva e apoio integralmente o seu retorno! Cada gol que ele vier a fazer certamente valerá por dois ou três nas reprises em todo o Brasil, e teremos milhares de novos tricolores atentos para o antigo e novo ídolo Fred e o regozijo de muitos tricolores por conta do seu gol. Não tenho a mínima dúvida que Dona Leda, lá no céu, estará vibrando e achando que aqueles gols novos do Fred também serão para ela.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

2 Comments

  1. Esse comentário do Diretor da Alerj, Wagner Victer,
    muito apropriado sobre a importância do ídolo de futebol na vida das pessoas, no emocional, na condução natural do relacionamento dos torcedores.
    Descreve a profunda importância psicológica das pessoas com os ídolos, e no caso específico, do grande ídolo Fred com sua querida mãe.
    Fiquei extremamente comovido com o texto.

  2. Esse comentário do Diretor da Alerj, Wagner Victer,
    muito apropriado sobre a importância do ídolo de futebol na vida das pessoas, no emocional, na condução natural do relacionamento dos torcedores.
    Descreve a profunda importância psicológica das pessoas com os ídolos, e no caso específico, do grande ídolo Fred com sua querida mãe Dona Leda.
    Fiquei extremamente comovido com o texto.

Comments are closed.