A esperança no returno tricolor (por Paulo Tibúrcio)

tiba red

Foi dada a largada para o segundo turno. É quase um novo campeonato.

Alguns times conseguem manter a regularidade. Outros despencam na tabela. Ainda tem raros casos de recuperações heroicas, como vivenciamos em 2009.

Tem sido assim nos pontos corridos. Não tem como ser diferente em um campeonato com 38 rodadas, equilíbrio entre as equipes e o vai e vem do mercado. Técnicos caem, times são reformulados.

Os campeonatos anteriores podem servir de referência para as possibilidades do Fluminense.

A seguir, uma pequena análise baseada nas últimas cinco disputas do Brasileiro.

Terminamos o primeiro turno na 10ª colocação, a 11 pontos do 1º colocado. Mesmo com um jogo a menos, as chances de título são muito remotas. Os últimos campeonatos reforçam esta tendência. Praticamente, todos os campeões terminaram o primeiro turno na primeira colocação, com exceção de 2012, quando o Fluminense nos agraciou com o tetracampeonato. Na ocasião, terminamos o turno inicial na segunda colocação.

Outro desejo muito cobiçado pela torcida é a tão almejada vaga para a disputa da Libertadores. Embora difícil, é um objetivo possível. Terminamos o turno a nove pontos do rival Flamengo, que ocupava a última vaga para o torneio. O histórico registra alguns casos de times que saíram de posições inferiores do primeiro turno rumo ao G4. Em 2010, o Grêmio saiu da 16ª para a 4ª colocação. Tirou uma diferença de 11 pontos. Em 2011, mais uma vez o Flu surpreendeu e saltou da 10ª para 3ª posição, tirando uma diferença de 10 pontos.

A esperança de conseguir boas colocações tem que ser balanceada com o risco de queda para posições baixas na tabela. Times caem de rendimento no segundo turno, a ponto de se aproximar ou, na fatídica hipótese, terminar o campeonato na zona de rebaixamento.

O Guarani foi rebaixado em 2010. No primeiro turno era o nono colocado, a nove pontos das posições que decretavam a queda. Vasco caiu em 2013 estando na 11ª colocação, embora a diferença fosse de apenas cinco pontos para o 17º colocado. E temos que guardar bem o campeonato de 2015 para que fique como lição aprendida e nunca mais se repita. O Fluminense saiu de 4º colocado para a frustrante 13ª posição, em um 2º turno em que marcamos míseros 14 pontos.

Claro que as análises acima não são definitivas, pois o futebol está longe de ser uma ciência exata. Surpresas acontecem e são elas que fazem deste esporte uma das grandes paixões da Humanidade. O Fluminense melhorou bastante nas últimas rodadas. Ainda carece de entrosamento, pois a equipe foi bastante modificada. De qualquer forma, ganhamos com alguns bons reforços e o time parece motivado.

Acredito que teremos um segundo turno melhor que o primeiro, pois o time está muito mais competitivo. As entradas de Wellington e Marquinho reforçarão o meio de campo, permitindo que Scarpa mostre seu futebol. A luta pelas melhores posições será árdua. Se não perdermos ninguém do elenco, eu acredito na chegada.

No momento em que escrevo, o Fluminense iniciou bem o segundo turno, ganhando do enjoado América Mineiro. Que venham mais vitórias. Não seria nada mau disputar uma Libertadores no ano que vem, para variar.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: pat

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres