Primeiro o Bangu, depois o Urubu (por Paulo Rocha)

O Fluminense inicia a disputa da Taça Rio em clima de velhos tempos. Moça Bonita é um dos templos sagrados do futebol carioca e enfrentar o Bangu lá nunca foi moleza. Ainda mais agora, momento de reconstrução tricolor e de afirmação banguense.

A campanha do Bangu no primeiro turno foi melhor que a nossa, tanto que o time se fez semifinalista. E poderia até ter decidido a Taça GB tal foi o ímpeto que o permitiu empatar um jogo praticamente perdido contra o Boavista.

É animado com a boa campanha e orientado pelo profundo conhecedor do futebol Alfredo Sampaio que o Bangu espera o Fluminense na tarde desta quarta-feira. E é justamente esse conjunto de dificuldades que torna a partida como fundamental para o Tricolor.

Se vencer o Bangu em seus domínios, o time de Abel Braga engatará a quinta vitória seguida e ganhará mais confiança visando o Fla-Flu de sábado, na Arena Pantanal. Não derrotamos nosso arquirrival no ano passado temos a obrigação de fazê-lo. Ainda mais por que o adversário sequer deve escalar força máxima pensando na Libertadores.

Bom, mas como bem falou Gum em recente entrevista coletiva, o assunto é Bangu, e não Flamengo. O time da Zona Oeste é um adversário tradicional, joga em casa, motivado. Superar esse obstáculo significará que o Fluminense subiu mais um degrauzinho na escalada para o sucesso. É um duelo que tem história e é sempre bom vencer.

Portanto, esqueçamos o jogo do próximo sábado e concentremo-nos no Bangu. Que nossa torcida invada a estação de Guilherme da Silveira com suas bandeiras, lote a arquibancada e empurre nosso jovem time para mais uma vitória. Será um jogo muito interessante de se ver.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: paro

Comentário