Torcidas organizadas (por Isabela Cabral)

bandeirao-do-flu

Torcedor organizado é tudo vagabundo?

Só existe vândalo dentro da torcida organizada?

Não é bem por aí.

Tenho 26 anos, sou membro de torcida desde 2007, e pasmem, NUNCA matei ninguém.

Sim, isso é possível.

Não dá para negar que existam alguns marginais transvestidos de torcedores organizados (minoria), que existem aqueles que só estão lá com a intenção de brigar. Mas em contrapartida são muitos os torcedores que estão lá pela festa e pelo prazer.

Por muito tempo, torcida organizada significou festa, alegria, diversão.

Hoje se perdeu um pouco esse contexto, exclusivamente por conta de uns e outros que fazem da arquibancada um ringue, e do trajeto estádio x casa um campo de batalha. Mas esse é um problema de segurança, de polícia e havendo vontade política, tudo se resolve.

E se não existissem as torcidas organizadas?

Será que haveriam as festas tão admiradas e divulgadas nas arquibancadas?

É sempre complicado falar disso, mas como membro há anos posso afirmar: nada seria igual se nós não existíssemos.

Torcida organizada foi criada justamente para mostrar  “estamos aqui por vocês, jogem com raça em campo que nós fazemos a festa aqui na arquibancada”. O principal ponto a se mudar é que, infelizmente, hoje em dia, há quem enxergue a torcida como idéia central, o que não é: ela existe porque o time existe! O amor ao time é o que sempre deve falar mais alto; a torcida e sua ideologia vêm como conseqüência desse contexto.

Torcida organizada é festa, é demonstração de amor e apoio ao time, é crítica e cobrança quando necessário, mas sem violência. A instituição é o que nos liga, nos mantém.

Hoje em dia, o que se vê nas arquibancada é uma briga de egos, entre presidentes de torcidas organizadas, onde uns querem ser mais do que os outros e ter mais status, mas no que isso muda?

Em nada.

O time vai permanecer o mesmo e se ele não existir, nós também não existiremos.

É preciso mudar o pensamento, é preciso perceber que todos somos um só e juntos iremos muito mais longe.

A arquibancada tem uma força e tanto, desde que se torne uníssona, se una e deixe a vaidade de lado.

As festas podem ser ainda mais espetaculares se unirmos as forças e os cantos… Quem não se lembra da final da Libertadores 2008?

E como você acha que são feitos esses mosaicos?

Eles não são feitos por apenas uma torcida, mas por muitos tricolores que vestem apenas a camisa do Fluminense e estão lá por ele, apenas.

Não importa se são das bandeirinhas, do surdo ou do bandeirão; eles são torcedores e ponto: merecem respeito e reconhecimento pelo que vem sendo feito. As festas estão lindas e têm que continuar, mas para que sejam sustentáveis é preciso união.

Espero um dia poder reviver o Maracanã de 2007, 2008, 2009… a festa já está quase lá, Só faltam os sinalizadores para ficar perfeita.

Fundamentais são a consciência e o canto uníssono. Não ao futebol moderno. O Fluminense somos todos nós!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: estádio vip/google

LIVRO LUCIO E RODO

 

 

Comentário