Tem que manter isso aí, viu? (por Márcio Machado)

“Tem que manter isso aí, viu?”

Usando o exemplo histórico do (por ora) Presidente Temer (sem levar em conta que o contexto dele era de bandalheira), uso a frase para destacar o bom momento do nosso time no campeonato e pensar em maneiras de nos mantermos com esse desempenho por mais tempo.

A primeira coisa é tentar ampliar o elenco. Já não cabem dúvidas de que temos titulares à altura dos principais adversários da competição. O que nos falta são opções e o próprio professor Abel demonstrou isso na última entrevista pós-jogo.

Jogador útil para o elenco não precisa ser caro, como já demonstrado pela diretoria nessa gestão ruim em vários casos: Richard, Nathan, Jadson etc. A questão agora é procurar um bom meia e um camisa 9 para compor o elenco e entrarem sem causar maior prejuízo na saída dos titulares. Camilo, que está cogitado, pode servir; já o João Carlos, trazido da Cabofriense, talvez não e aqui teríamos o maior problema do time, que pode ter sérios prejuízos na campanha com a eventual falta do Pedro.

Outro ponto importante é que, por mais que o clube tenha de vender jogadores no meio do ano até mesmo para manter salários em dia, não dá pra desmanchar um grupo que vem atingindo resultados desse naipe. Uma grande solução financeira, quase milagrosa, seria a vitória no caso Scarpa. Outra: gerar recursos com um jogador que não está no grupo. Na total impossibilidade, a negociação menos traumática entre os jogadores com mercado é de Ayrton Lucas (ainda que, se não me engano, o Flu só tenha uma parte dos direitos federativos), por termos o Marlon (que aí pode ser contratado em definitivo) e o Mascarenhas (resgatado). Se não é o ideal, e não é mesmo, ao menos não chega a constituir um desastre. Fundamental é segurar o Pedro de qualquer maneira, se souberem trabalhar ele sairá futuramente sim, mas por uma fortuna e com resultados esportivos também para o clube.

Portanto, há de se reconhecer que a aposta em uma comissão técnica e um diretor de futebol experiente, com observação atenta do mercado, resultou em bom time para o Fluminense, mesmo com o teto salarial restrito. Mas, como diria Temer a Joesley, “Tem que manter isso aí, viu?”. Reforçar a aposta, manter critérios na janela tanto para entradas como, principalmente, para as saídas.

Com a base atual já esta claro que podemos sim sonhar com libertadores, como eu disse lá atrás. Mais do que isso ainda é excesso de sonho. A única coisa que peço à diretoria: permita-nos sonhar.

Saudações tricolores a todos.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: m2

Comentário