Scuderie Le Bofe II: confissões (por Alva Benigno)

CONFISSÕES

O BLOGAYRO

“Meu nome é Francismar Felisberto Amauri. Sou um conhecido blogueiro tricolor e ninguém chega aos meus pezinhos tratados no salão de Montebello; muitos dizem que eu sou o novo Nelson Rodrigues e, sinceramente, tenho motivos para acreditar, ainda que teatro, artes em geral e literatura não me interessei (sic) muito – quem é que vai perder tempo com isso? Minha admiração por Zanzibar vem do fato dele ser um dos mais notáveis exemplos da raça humana na Terra: bem nascido e criado, chegou ao topo por seu próprio esforço; é um homem de Deus, católico praticante; tem uma bela família com sua elegante esposa Esmeralda e seus filhinhos; é um incansável general no combate à corrupção e pela guerra santa contra o comunismo; elegante, educado, plural, logo se vê que ele tem berço. É um liberal e acredita que a livre iniciativa é o caminho para a paz entre os homens na Terra. Depois de ontem, passei a admirá-lo ainda mais. Conversamos, já somos praticamente íntimos e ele me prometeu um cargo no club para o futuro, de acordo com o meu status de celebridade tricolor. Confesso que ele me encantou profundamente com seu olhar experiente, vivido, e acho que pode ser um verdadeiro mentor para mim, apontando os caminhos, abrindo brechas e manobrando sempre que for necessário nos bastidores, ou por debaixo dos panos. Meu sonho é publicar um livro e, com o meu talento, sinceramente não sei como nestes anos todos nenhuma editora se interessou em publicar meus escritos, que são best sellers por natureza. Imagine, até aquele comunista do Paulo Andel já foi pago para isso, mereço pelo menos o triplo. Mestre Zanzibar vai me dar as dicas.”

O VELHO ESCROQUE

“Quando Filhão me apresentou aquela peça, tive crise de urticária. Detesto viadinho cheio de salamaleques pra falar, de vozinha fina. Entendido gosta de homem macho, pegador, com testosterona e não bichinha doce de fazer cunhetinha. Mas era o que tinha pra ontem mesmo, e era melhor fazer suruba com carne nova do que repetir prato requentado. Imagine, não sabia nem onde era o Encontros da Gomes Freire! Outra coisa que me irritou foi a toda hora ele vir atrás de mim no banheiro, dando bandeira. Respeito é bom e eu gosto, ainda mais no club. É, fez gostoso, era meio desajeitado mas deu pro gasto. Eu não pagaria, mas como fiz de graça, está feito. Burrinho também, achando que eu ia pagar livro pra ele escrever, coitado! Eu quero é curtir e compartilhar, isso é que dá Ibope. Vou agradecer ao Filhão de toda maneira, foi um bom lanchinho. Tomara que volte no Carnaval, porque Esmê vai para um retiro evangélico de personal trainers em Cabo Frio, argh! Tudo bem que tem carinha de paraíba mas pelo menos é branco.”

FILHÃO

“Achei que seria uma boa mas acabei ficando com ciúmes. Eu gosto do Zanzi e sei que ele tem tesão por mim. Mas acabamos tendo uma noite feliz, mesmo que não tenha sido exatamente como eu queria.”

X, AMIGO DO LUTADOR

“Eu fico bolado com esse velho, não por ele ser boiola e nem por ser velho, mas é foda do jeito que ele fica manjando o Toninho e colocando a mão na bunda, dentro da calça, como se estivesse ajeitando a cueca. Na moral, por mim eu já tinha quebrado ele de porrada lá fora. O cara pode ser homemsexual mas não precisa ser viado, tem que saber se dar ao respeito. Ele fica manjando outras pessoas também, e é porco: fica toda hora assoando o nariz com a mão, puta que pariu meu irmão. O cara pode ter 50 anos de clube mas isso não dá direito a ele de proceder assim”.

GIRARDO, MODELO E LOVERBOY

“Olha, o clima na Sebastiana estava alto astral, numa boa. O Seu Chiquinho me arrumou ingresso e bebida, mas eu não ia descontar se fosse ter programa não, porque ele me dá presentes, mas fica de muquiranagem na hora de acertar o serviço. Ontem eu tava na boa com uma coroa que conheci lá, e vi que ele se mandou com a turma que eles chamam de Bonde dos Bofes, aí não me pediu nada. Também eu não tava afim de arregaçar entendido ontem não. Deve me ligar antes do Carnaval, ele sempre liga pra fazer uma brincadeira. Não gosto de ir à casa dele porque a esposa fica sempre me olhando atravessada, esquisito.”

ANDRÉ MUMUNHA, EMPRESÁRIO DE ESPECIARIAS DO ORIENTE (TRAFICANTE)

“Já deixei dois recados no celular do Seu Chiquinho porque ele tem parada pra acertar comigo. Ele compra de tudo, mas enrola a pagar a rodo quando tem muito sacolé na conta. É foda. Por isso que eu trabalho mais para o Doutor Agnaldo, que compra a purinha e paga cash, sem discutir. Mas pagando, qualquer um serve. Que mal tem? Eu quero é o meu.”

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: ox

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres