Quatro personagens de domingo (por Paulo-Roberto Andel)

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO 2 – POCKET FINAL

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO – POCKET FINAL

A vantagem de não ter jogos durante o meio de semana: você pode sorver mais lentamente as boas coisas do domingo que passou, sem a habitual correria descartável do Planeta Bola. Foi o caso deste jogo contra o São Paulo, um dos grandes times do futebol brasileiro, que não se impõe sob nosso mando há mais de uma década.

Gostaria de falar sobre quatro nomes nossos no empate com o time paulista, neste domingo passado no ex-Maracanã.

O primeiro é o lateral estreante Léo. Foi o maior injustiçado em campo de toda a rodada. Seu chute que explodiu na trave direita, na forquilha, deveria ter sido o gol do campeonato até aqui: um balaço fantástico, preciso, uma porrada daquelas! Uma jogada fantástica que premiaria o début na equipe tricolor. No mínimo, será uma boa sombra para Gilberto.

Em segundo, Pedro. Embora ainda precise de cancha e poder de fogo nas disputas de área, tem se firmado a cada partida e fez mais um lindo gol nesta rodada passada. Um golaço de gente grande, de maturidade. Uma bela cabeçada no ângulo, digna dos grandes matadores. Tivesse o Fluminense condições de trazer um atacante experiente para lhe acompanhar na frente, Pedro teria uma evolução ainda mais rápida. De toda forma, está caminhando. Tem boa técnica, merece progredir.

O terceiro, Robinho. Tirado dos holofotes, veio a campo e logo se tornou um protagonista da partida. Acertou uma bola na trave esquerda, impecável, e fez o cruzamento para o lindo gol de Pedro. No fim, desperdiçou a chance da virada tricolor, mas acertou um balão. De toda forma, durante o pouco tempo que esteve em campo, mostrou que não precisa ser rifado e apresentou saldo positivo.

Para finalizar, Marcos Jr. Mesmo quando tem uma atuação apagada, caso deste empate com o São Paulo, sua entrega é admirável. Nunca sai do campo sem ter suado muito a camisa tricolor. Luta o tempo inteiro e é um exemplo para o elenco. Quando não vai bem tecnicamente, parece se aplicar em dobro para compensar as eventuais desvantagens em campo. Mais uma atuação de muita luta.

É certo que o time do Fluminense precisa de reforços, é uma evidência há muito repetida aqui. Mas é inegável que, em seu conjunto, há peças que podem se destacar com o decorrer do tempo. Se estamos longe dos melhores elencos do país, podemos compensar parte das deficiências com uma aplicação incessante. As três primeiras partidas, disputadas contra equipes favoritas ao título, mostram que o Fluminense de garra pode jogar de igual para igual, não caindo na empáfia e mantendo a dedicação.

Bons exemplos do passado não faltam.

xxxxxxxxxx

Faltou dizer da parte ruim, mas nem era preciso: todos já sabem que o Fluminense foi garfado de novo.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

#JuntosPeloFlu

Imagem: rap

Comentário