Qual é o futuro do Fluminense? (por Márcio Machado)

 

Inspirado por essa campanha boba da Globo, hoje vou estimar o futuro do time do Fluminense na temporada. Antes de pensar num clube sem corrupção e incompetência – como pedem para o país na TV – e pensar muito no futuro, o que precisamos é de um time que mostre um pouco mais que disposição em busca dos pontos que ele tem de fazer.

Neste ponto, as duas próximas rodadas – contra adversários logo à frente na tabela – permitem, em caso de vitórias terminarmos a semana na zona da Libertadores (ou muito perto dela), praticamente apontando um fim de ano com mais tranquilidade na tabela e podendo se dedicar mais à Sul-Americana. São jogos perfeitamente ganháveis.

Nesta quarta-feira temos o Corinthians, que perdeu a maior parte das suas últimas partidas, vem jogando mal, sem definição de esquema tático e enfraquecido sobremaneira na janela. No sábado à noite o jogo é contra o Cruzeiro, que não se foca no campeonato brasileiro e, mesmo quando atua com o time principal, não rende nem perto da performance nas Copas, vide as partidas em sequência contra nosso rival maior.

Por sinal, é até bom o tratamento de time decadente que estão nos aplicando. A responsabilidade será dos adversários. Cabe jogar fechadinho como no domingo passado e como se jogava com o Abel. Os laterais têm vocação ofensiva e não temos tantas boas peças pro meio mas sim muitos atacantes de velocidade; logo temos de jogar de maneira reativa mesmo dentro de casa. Com todo o respeito a quem perseguia o Abel por isso e elogiou o inicio do Marcelo, precisou tomar uma porrada – de certo modo até injusta – pra ver que essa defesa desprotegida entrega e que esse ataque faz muito mais volume de jogo que gols.

O Fluminense não é nenhuma maravilha de time, mas não é esse horror que não ganha a X rodadas também. Joga fechadinho, deixa o problema pro adversário e, quem sabe, possamos fazer muitos pontos que a gente nem imaginaria.

Mesma coisa nas fases mais decisivas da Sul-Americana. O Cuenca provavelmente é o último jogo fácil. O Flu passando contra Nacional do Uruguai ou San Lorenzo, teremos um adversário com camisa forte e confrontos onde, para jogar fora de casa, o esquema terá de ser cuidadoso. Ainda assim, temos uma competição acessível e que pode entrar como estrela na nossa sala de troféus.

Por fim, pedir duas coisas simples, mas em falta nesse clube há tempos: 1) Diretoria, pague em dia ou próximo a isso; o grupo montado está mais preocupado em crescer na vida do que propriamente dinheiro no momento, mas uma zona estilo ano passado joga tudo por água abaixo – inclusive a presença de vocês onde estão agora; 2) Torcedor, vamos comparecer. Um final de ano mais tranquilo é a gente que faz junto à equipe, não na rede social tocando a corneta.

Saudações Tricolores.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Comentário