A grande noite do Flu (por Paulo Tibúrcio)

Acredito que a estreia na Copa do Brasil tenha sido o primeiro grande teste da equipe tricolor neste ano. Não estou desconsiderando os jogos anteriores. A vitória no clássico e as partidas da Primeira Liga foram importantes. Porém, o duelo de hoje teve algumas características peculiares e desafiadoras. Jogo fora de casa, classificação em partida única e a disputa contra uma equipe desconhecida e motivada. Mesmo o Fluminense sendo superior na teoria, a história do futebol tem vários momentos de Davi derrubando Golias. Um descuido e o gigante tricolor poderia sucumbir por um golpe de funda.

Vários torcedores presentes no Barretão para apoiar o Time de Guerreiros: FluCaicó, FluNatal, FluMossoró. O número de tricolores no estádio foi grande e o apoio recompensado pelo bom futebol jogado pelo Time de Guerreiros.

O jogo prometia uma pressão muito grande por parte do Globo, uma equipe forte fisicamente, rápida e bem entrosada. Mas o Fluminense tratou de fazer um gol logo no início, em um belo chute de Lucas. Não foi o suficiente para diminuir o ímpeto da equipe Potiguar, mas deu tranquilidade ao time, que se movimentou bem e melhorou muito a qualidade do passe. A diferença em relação ao ano passado é visível do espaço.

Com Scarpa bem marcado, o protagonismo ficou por conta de Welington e Lucas, que se entenderam bem, culminando em dois gols marcados pelo nosso atacante. Henrique Dourado tem queimado a minha língua e a de muitos torcedores. Recuperou o faro de artilheiro e tem se saído bem jogando fora da área, permitindo o prosseguimento das jogadas. Que continue assim.

Ainda no primeiro tempo, tivemos a contusão do goleiro Júlio César, dando lugar ao jovem Marcos Felipe, que não chegou a comprometer. Sofreu um gol no final da primeira etapa, mas foi prejudicado pela falta de atenção dos zagueiros. Este gol premiou a dedicação da equipe adversária, que sempre jogou no ataque, buscando o resultado.

Perdemos mais um pênalti. Tudo bem que o placar estava relativamente tranquilo e que Sornoza está merecendo fazer um gol como recompensa pelas suas excelentes assistências. Nem considero que ele tenha cobrado mal. Ele o fez no melhor estilo sul-americano, forte e no alto. Infelizmente, subiu demais e bateu na trave. Mas que, de agora em diante, a cobrança seja da responsabilidade do batedor oficial. O début de Sornoza balançando as redes está sendo guardado para um momento especial, contra um certo time…

O segundo tempo começou parecido com o primeiro. Logo no início, Golaço de Welington Silva, desta vez tabelando com Léon Pelé. Os dois laterais estiveram muito bem no apoio. Este gol praticamente definiu a partida e a classificação tricolor. Permitiu que Abel fizesse substituições para poupar alguns jogadores da maratona de jogos deste início de ano. O Globo ainda conseguiu marcar um segundo gol, mas passou longe de uma reação.

Scarpa esteve sempre muito bem marcado. Fazia uma partida discreta, participava pouco. Até que, em um lance de genialidade, viu o goleiro adiantado e, do campo de defesa, chutou forte. A bola entrou no ângulo. Um golaço, que merece um parágrafo exclusivo neste texto, a disputa do prêmio Puskas e os aplausos de todos que estavam no estádio.

Enfim, o desafio foi superado. O time do Globo está de parabéns, dificultou bastante o jogo para o Fluminense e em nenhum momento se entregou na partida. Destaque para o jogador Romarinho. Todavia, prevaleceu a eficiência técnica do Fluminense. Claro que ainda não temos o time ideal. Algumas falhas na defesa podem complicar jogos contra times mais qualificados. Mas está claro que estamos evoluindo a cada jogo. Abel está fazendo um excelente trabalho. Reforçando o elenco, podemos pensar em um ano promissor. Que venha o próximo desafio.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: bit

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres