Nada pode abalar a nossa fé (por Paulo Rocha)

A greve dos caminhoneiros nos impediu de ir ao Maracanã sábado passado. Mas nem foi preciso o pé-quente do meu filho Arthur na arquibancada: o Fluminense acabou com o tabu de não vencer a Chapecoense e deu um belíssimo salto na tabela do Brasileirão. Quem poderia apostar em tal performance quando a competição começou? Muito poucos.

A molecada está honrando a camisa, Abel tem se mostrado um mentor além da imaginação. Aliás, onde estão os seus críticos agora? Bom, deixa pra lá, vamos curtir o momento. O Fluminense é assim; quando pouco se espera dele, cala os “experts” e também os imbecis.

Que alegria ver Pedro brilhando com a mítica camisa 9 tricolor. Que golaço o terceiro contra a Chape – gol de Fred, eu diria. O acompanho desde a base, sabia que um dia ele seria titular e goleador. Um jovem ídolo que está nascendo. E futebol é ídolo.

A lamentar, somente, a saída do Paulo Autuori. Gostaria de ver Ricardo Gomes em seu lugar. Mas, só para lembrar, Autuori não entrava em campo e nem fazia gols – como tampouco não evitava os dos adversários. Não é insubstituível.

Portanto, não deixemos que nada abale nosso bom momento. Vamos seguir com fé, ela não costuma falhar.  Temos um jogo dificílimo contra o Grêmio, no Sul, e podemos fazer frente ao atual campeão da América.

Gum e Marcos Junior serão poupados e devemos atuar com Nathan e Robinho. Creio que ambos podem dar conta do recado. Mesmo enfrentando um time forte, temos que encarar de igual para igual. Agora, sem hipocrisia: um pontinho seria muito bem-vindo.

Fazer campanha mais do que digna com todas as dificuldades e com um time formado em boa parte por Moleques de Xerém está dando um orgulho do cacete. Esse Fluminense aí, que luta contra as adversidades e cala a boca dos babacas, é aquele que tanto amamos, o clube tantas vezes campeão. E vamos em frente.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

Imagem: paro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres