Na hipocrisia dos fanfarrões de turno, Brasil mostra a tua cara! (por Antonio Gonzalez)

DOWNLOAD GRÁTIS DA TRILOGIA “RODA VIVA”

” E o curioso, é que NENHUM CAMBISTA FOI PRESO !

NENHUM !” (by Leonardo Moretti)

As pessoas de dentro do Fluminense sabem o que penso sobre a cessão dos ingressos para as Torcidas Organizadas, a partir do Fla-Flu de outubro passado: a forma como foi feita demonstrou um alto teor de “SER MUITO CABAÇO”…

Bastava ter consultado a quem conhece de Torcida Organizada para saber que entre as 3 torcidas (Young, Força e Fiel) juntas não perambulam pelas arquibancadas do Maracanã mais de 15 peças de bateria, nem mais de 15 bandeiras e faixas…  Portanto, se queria ajudar, bastava credenciar 30 componentes…  nada além disso.

Mas no Fluminense de hoje existem assessores para tudo, entre os quais alguns que não sabem de nada. Mais de uma vez ouvi dizer que “fulano conhece a beltrano da torcida A e a cicrano da torcida B”… eu sempre disse que isso não era assim…

Mas agora o problema é outro, já que discutir o que passou não vai resolver o que está se passando…  Como dizia um velho filósofo da Vanguarda Tricolor, em 1999: “merdas cagadas não voltam aos intestinos!”.

O problema é o que está acontecendo hoje.  A detenção do assessor de imprensa da presidência do Fluminense, Artur Mahmoud, nos transporta ao centro de um circo mediático que está sendo montado.

Estamos diante de um inquérito com tintes totalmente atípicos, esdrúxulos.  Em que momento existe uma relação direta dos funcionários do Fluminense com o cambismo?

O fato de repassar (repito a minha indignação com essa ação mal feita pelo clube) ingressos para Torcidas Organizadas para nada significa qualquer relação do clube com qualquer cambista ou ação desenvolvida pelo mesmo.

Repito:  é atípico.

Ou será que esse processo ainda esconde detrás de si outras coisas e/ou atividades e/ou ações?

Não é possível que esse repasse de ingressos possa levar à prisão de alguém.

Estavam as Torcidas Organizadas do Fluminense punidas ou banidas dos estádios pelo Ministério Público?

NÃO!

No máximo, uma ação do GEPE exigindo cadastro e não permitindo, enquanto da não existência de um NOVO CADASTRO, a entrada de  faixas, bandeiras e instrumentos.

Portanto, estamos diante de um oba-oba midiático sem limites.

Conheço o Artur Mahmoud, não é meu amigo, posso ter até algum tipo de divergência com relação ao trabalho por ele desempenhado.

Isso é uma coisa!

A outra coisa é permitir que seja tratado como um marginal, o que está claro que não é.  É uma pessoa que se veste pelos pés.

E é dever do nosso clube defendê-lo à capa e espada.

O Fluminense precisa reagir, não podemos permitir que o Ministério Público paute o nosso métier político…

Menos ainda o sensacionalismo da imprensa.

Num país onde 450 quilos de cocaína encontrados num helicóptero no dia 24 de novembro de 2013, com gente do meio do futebol não dão em nada…

Recordemos…

“A apreensão do helicóptero dos Perrela com 450 kg de pasta base de cocaína fez aniversário de 4 anos e ninguém foi punido. Horas antes da apreensão pela PF, a aeronave parou para abastecer na fazenda da família de Aécio Neves. Dono do helicóptero é hoje Secretário Nacional do Futebol no governo Temer.  Sem muito destaque na mídia tradicional, o caso do “helicoca” como ficou conhecido na internet, ficou esquecido, sem que houvesse respostas para a origem e destino da cocaína. O portal Diário do Centro do Mundo recebeu ordem judicial para retirar do ar suas reportagens investigativas sobre a apreensão. Um estudante chegou a ser expulso de um debate onde o ex-candidato à Presidência da República Aécio Neves participava, ao perguntar sobre o caso.

Zezé Perrela foi indicado para compor a comissão que avaliou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado. Ele ainda fez campanha em apoio à Polícia Federal.

O ex-deputado estadual Gustavo Perrella é o novo secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor. A nomeação foi publicada na edição de 17 de junho de 2016 do Diário Oficial da União. Vale lembrar que seu pai é um dos representantes da bancada da bola no Congresso Nacional!”…

Diante disso…

Num país onde 450 quilos de cocaína encontrados num helicóptero no dia 24 de novembro de 2013, com gente do meio do futebol não dão em nada…

Será que o que realmente promove a violência no Brasil são os 200 ingressos cedidos de forma equivocada pelo Fluminense às Torcidas Organizadas?

Ou mais uma vez (desta vez sem selfies de policiais com o traficante de drogas Rogério 157) estamos vivendo no reino da hipocrisia e dos fanfarrões?

Em seu dia Cazuza e Gal cantaram…

“Brasil! Mostra tua cara… Quero ver quem paga… Pra gente ficar assim…

Brasil! Qual é o teu negócio?  O nome do teu sócio?

Confia em mim!”.

Ao Presidente Pedro Abad, três conselhos:

a) não se isole, procure a realmente quem quer o melhor para o Fluminense, deixe que o que existe de melhor na sua gestão se aproxime da sua pessoa e do Conselho Diretor;

b) é preciso extirpar o Judas do nosso Conselho Deliberativo. Para hipocrisia e fanfarronice já basta a externa;

c) QUEREMOS TIME!.

#JUNTOSPELOFLU

PS1: Agradeço aos advogados criminalistas com quem conversei.  São dois feras da área… Ao Fernando Cesar Leite, Presidente em exercício do Conselho Deliberativo do Fluminense (se depender do meu voto e campanha, será o Presidente de fato) e ao Marcelo de Carvalho, Conselheiro Eleito do Fluminense (pelo Grupo Unido e Forte) o meu muito obrigado;

PS2: Ao Leonardo Moretti o meu obrigado pela inspiração.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: agon

A verdade sempre vence

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres