Eu não me misturo com gentalha (por Antonio Gonzalez)

Jogo fácil e vitória sem qualquer tipo de risco ou sofrimento. Aula de futebol coletivo com o Maestro Sornoza no comando, assim como o Wendel, que tem se mostrado com condições absolutas de ser titular do Fluminense. Temos Richarlison vivendo o seu melhor momento desde que chegou, o Wellington renascido jogando pela direita, e a equipe Tricolor se apresenta, a cada dia que passa, como uma das equipes com futebol mais sólido jogado no Brasil neste momento.

E com um detalhe que poucos perceberam ainda: o nosso banco, através da base, começa a apresentar soluções de responsabilidade, vide a mexida no intervalo de jogo contra o Botafogo.  As entradas de Wendel e Pedro permitiram ao Fluminense se equilibrar na partida, a rifar menos a bola e a ter o controle do jogo, o que nos permitiu alcançar a vitória numa virada espetacular.

Ontem, a única coisa desagradável foi mais uma vez o comportamento burro das nossas arquibancadas, onde a vaidade e os interesses pessoais  – e agora políticos, por parte de alguns – não permitem a UNIDADE que a ocasião exige.

Não existe mais espaço para esse tipo de atitude, e o pior, por gente que não tem um segundo de história nas arquibancadas, que se acha dona da palavra, infantiloide em essência, mesmo já tendo atingido há anos a maioridade física.

Pelo visto, de saída, nos encontramos com mais uma punição à Torcida Young Flu, o que lamento e, ao mesmo tempo, me faço a pergunta de porque, até hoje, nem as organizadas, nem os movimentos populares têm um acompanhamento legal para momentos como esse? Nem de uma Associação de Torcidas que nunca funcionou, nem da FTORJ, cujos diretores são omissos, nem do próprio Fluminense.

Enquanto isso, torcidas pequenas, sem nenhuma representatividade, disputam um palmo de espaço para as suas faixas, em alguns casos visíveis, se prostituindo em forma de franquia.

Não! Ontem me prometi…  vou comprar esse barulho de lutar por uma ARQUIBANCADA FORTE, sem divisões por culpa daqueles que não conseguem enxergar que as coisas mudaram, menos ainda permitir a GENTE BOBA, que se acha dona da verdade, ditar o que deve ser feito.

E o pior: nessa bagunça, vem uma galera que ninguém sabe quem é, com o nome de Convocação Tricolor, pedindo dinheiro para fazer um mosaico, de claro cunho político… Ou seja, duas ou três pessoas decidem fazer uma festa e colocam como verdade absoluta…  Tem tanta coisa que se pode fazer antes do que um mosaico, tem tanto para ser resgatado na nossa história, da nossa cultura Tricolor…

E o principal… a presença de muito talco, sinal maior da nossa identidade.

Aí vocês vão me dizer que o GEPE só permite 50 quilos… e eu vou começar a rir, porque é o Fluminense quem faz o espetáculo, quem banca… então tem que ser o Fluminense que faça as normas para o espetáculo… é claro que com a participação da Polícia Militar, só que como órgão regulador e disciplinador das condutas humanas, jamais da festa.

E para não falar que tudo são críticas da minha parte, ontem vi nascer um pequeno raio de luz, numa galera já cascuda de arquibancada, pois participou do antigo Núcleo de Festas da Young Flu que, com pessoas como o Leonardo Moretti, criaram o movimento #SOMOSFLUMINENSE, onde a única ideologia existente é o Fluminense, partindo de uma arquibancada UNIDA.

Pelo que vi ontem, terão o meu apoio.  Têm muito para crescer, e o melhor, podem trazer o frescor com identidade que a nossa torcida tanto necessita.

Junto com o Sobranada, estamos diante de MOVIMENTOS que podem ser o elo definitivo dos ventos de transformação que tanto se necessita.

>O meu último toque será para a Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro, pela qual eu nutro um grande respeito.  O trabalho realizado para a prisão dos assassinos do torcedor do Botafogo foi de uma grandeza ímpar. Que fecunde o exemplo neste país, que NADA FIQUE IMPUNE…  menos ainda os agressores do Tricolor Pedro Scudieri que ainda estão soltos. Nos undergrounds dos grupos de whatsapp, com ligações com o mundo das torcidas organizadas, todos sabem quem participou da covarde agressão.

E que fique claro, pois a minha opinião é transparente: lugar de bandido e de arruaceiro é na cadeia.  Prisão para que estiver à margem da lei. Mas sem que os clubes sejam prejudicados nas suas festas e no desenrolar das suas atividades.

No mais, um recado para os bobalhões e bundões de turno: não tenho etiqueta de preço, menos ainda sou marionete de ninguém, menos ainda carreguei o Peter Siemsen no meu ombro, nem caminhei dentro do clube por causa de cargos ou empregos, nem me alio a grupinhos. Então senhores bobalhões e bundões, aprendam que comigo a banda toca sempre Rock & Roll extremamente pesado.

Cristiano Calil é um Tricolor que está muito doente e precisa das nossas orações e carinho. Quem quiser enviar um vídeo de uns 15 segundos dando força para ele, por favor me procure via inbox, lá no meu Facebook – CLIQUE AQUI. Parabéns a todos os envolvidos nessa iniciativa para amenizar a dor que ele está sofrendo.

Aprendi desde pequeno em casa (típica educação espanhola) que “UM HOMEM SE VESTE PELOS PÉS”… Fica a dica, pode até não gostar da minha pessoa, é um direito. Só não inventa mentiras a meu respeito, e isso o blogueiro dos SS vai ter que explicar porque no dia 26 de novembro passado, lá na eleição do Fluminense, falava aos quatro ventos que eu ocuparia um cargo na gestão do futebol do Fluminense…

No mais, continuo com um excelente feeling para este 2017… Nosso time recuperou a sua cara, a sua alma. É hora de todos os Tricolores entendam isso de verdade… Porque se não for assim, vou começar a pensar de verdade que tem gente que realmente TORCE CONTRA. Então que mudem de camisa e vistam definitivamente a camisa do Cifrão E$$porte Clube.

Vida que segue…

#ForçaCristianoCalil

#ForçaScudi

#SOMOSFLUMINENSE

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: gona

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres