Fluminense 1 x 0 Avaí: atuações (por Mauro Jácome)

O time tricolor, pressionado pela campanha, começou a procura do gol para ter tranquilidade e construir a vitória. Aos 13’, Sornoza mandou na trave, Marcos Junior explodiu na zaga e Henrique Dourado de voleio colocou nas redes. O placar de 1 a 0 fazia jus ao time que colocava intensidade. Depois do gol, o Fluminense diminuiu a ocupação do campo adversário e o jogo ficou pelo meio-campo. Nos minutos finais do primeiro tempo, o Fluminense apertou novamente, Wendel quase marcou num chute que desviou em Alemão, encobriu Douglas, mas passou rente à trave. Bom primeiro tempo.

O jogo recomeçou com o Avaí pressionando em busca do empate. Até marcou, mas o gol foi bem anulado. O Fluminense tinha dificuldades para manter a posse de bola. Somente depois dos 15’, chegou perto do gol de Douglas. Marcos Junior recebeu ótima bola em profundidade, mas o atacante tricolor não fez a melhor escolha e Douglas abafou. Gustavo Scarpa lançou Matheus Alessandro, que marcou de cabeça, mas o árbitro anulou equivocadamente. No momento em que o Avaí foi para a frente, faltou uma boa organização para o contra-ataque.

DIEGO CAVALIERI

Atuação tranquila. Não teve trabalho.

RENATO

Dentro das suas limitações, teve boa presença ofensiva no primeiro tempo. Contundiu-se logo no início da etapa complementar.

MATHEUS NORTON

Pouco chegou à frente. É quebra-galho, não tem poder ofensivo.

GUM

Trouxe vibração ao time. Também se coloca melhor do que Nogueira. É líder e isso faltava ao time em campo.

NOGUEIRA

Não comprometeu.

REGINALDO

Joga sempre sério. Dificilmente perde um lance pelo alto, tem bom tempo de bola e sabe se antecipar.

MARLON

Mais regular do que Leo. Não tem bom poder ofensivo, mas é mais atento na marcação.

RICHARD

Produção muito superior a Orejuela. Marca forte, sempre se coloca entre o gol e a bola e, ainda, arriscou algumas chegadas à frente e chutes de fora da área.

WENDEL

Depois da apertada do Abel, voltou a fim de jogo. Apareceu para as triangulações e procurou os espaços na defesa avaiana. Quase marcou um gol num chute de fora da área. Cansou no final do jogo.

GUSTAVO SCARPA

Participou pouco do jogo no primeiro tempo. No segundo, distribuiu boas bolas: um escanteio bem cobrado na cabeça de Reginaldo, uma enfiada para Marcos Junior chegar ao gol de Douglas e um lançamento para Matheus Alessandro marcar (o árbitro anulou).

SORNOZA

Procurou dar continuidade às transições. Mandou uma bola no travessão, mas esteve sumido parte do jogo. Errou passes que mataram alguns ataques.

MARCOS JUNIOR

Tentou fazer a ponta-esquerda, mas não conseguiu levar a melhor com a marcação dobrada. Teve boa oportunidade pouco antes de sair, mas perdeu na disputa para o goleiro Douglas.

MATHEUS ALESSANDRO

Entrou para manter a proposta com Marcos Junior: contra-ataque pelo lado do campo. No entanto, correu muito sozinho e não conseguiu evoluir.

HENRIQUE DOURADO

Artilheiro é artilheiro. Na chance que teve, guardou. No segundo tempo, chutou uma bola perigosa.

ABEL

Méritos em firmar Gum, Richard e Marlon. Os três deram outra vida ao conjunto. Tecnicamente não tornaram um time um primor, mas injetaram ânimo ao ritmo do jogo tricolor. Fez duas substituições de Gum e de Renato por necessidade física e, por isso, ficou sem opções para melhorar a posse de bola para matar o jogo.

AVAÍ

Sem qualidade para aproveitar os espaços que o Fluminense deu no segundo tempo.

ARBITRAGEM

Juan fez falta em Henrique Dourado, dentro da área, logo no começo de jogo. Acertou na anulação de gol do Avaí logo no início do segundo tempo. Apesar de ter marcado tiro livre indireto, talvez um impedimento, Alemão empurrou Diego Cavalieri. Anulou um gol de Matheus Alessandro injustamente.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: Jam

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres