Fluminense 2 x 1 Atlético-MG: atuações (por Mauro Jácome)

O Fluminense jogou num ritmo forte no primeiro tempo. As chances se sucediam, no entanto, Victor aparecia bem e evitava a abertura do placar. Foram pelo menos cinco boas oportunidades, mas somente aos 37’ a bola conseguiu vencer Victor: Gustavo Scarpa bateu escanteio perfeito e Henrique Dourado cabeceou por cobertura e fez 1 a 0.

O Atlético começou o segundo tempo no campo tricolor. Pressionou e conseguiu o empate aos 11’. Cazares recebeu, passou por Renato Chaves e deixou Valdívia livre para marcar. O Galo continuou avançado, dificultando a vida do Fluminense. Não fosse Júlio César e a trave, o Atlético teria virado o jogo. Nos últimos dez minutos, o Fluminense foi para cima do Galo e com muita movimentação desorganizou o sistema defensivo adversário. Num cruzamento perfeito de Scarpa, Henrique Dourado colocou a bola do lado oposto de Victor. Ótima vitória.

JÚLIO CÉSAR

Belíssima defesa aos 44’1ºT numa cabeçada à queima-roupa de Elias. Aos 32’2ºT, fez outra defesa espetacular e, com a ponta dos dedos, desviou a bola para o travessão.

LUCAS

Chegou bem em alguns ataques: cruzou, chutou. Cobrou laterais que levaram perigo ao gol atleticano. No segundo tempo, depois de uma cotovelada de Fábio Santos, ficou atrás até ser substituído.

MATHEUS ALESSANDRO

Começou errando passes perigosos. Depois se acalmou e fez uma boa dupla com Peu pela direita.

RENATO CHAVES

Deu o bote precipitado e desnecessário em Cazares no gol de empate. Levou o drible e vendeu todos o sistema defensivo. Renato Chaves comete esse erro em todos os jogos.

HENRIQUE

Vacilou no lance em que Elias ficou livre para cabecear e quase marcar.

LÉO

Chegou com velocidade no ataque, mas alternou na qualidade dos cruzamentos.

MARLON FREITAS

Fez uma boa proteção à zaga e tentou auxiliar as trocas de passes no campo atleticano. Às vezes, demora no passe por insegurança.

MARCOS JUNIOR

Boa participação na blitz tricolor em buscar da vitória.

OREJUELA

Fez uma boa dupla com Marlon Freitas. Só teve dificuldades no início do segundo tempo até o empate do Galo.

WENDEL

Não teve muito sucesso quando carregou a bola entre as duas intermediárias.

GUSTAVO SCARPA

Jogou mais dentro da área, com boas infiltrações. Teve chances de marcar: um voleio, um chute que desviou em escanteio, outro num rebote, um arremate de longe. Victor fazia milagre. Num escanteio, levantou na cabeça de Henrique Dourado abrir o placar. Diminuiu o ritmo no segundo tempo, mas o suficiente para fazer um cruzamento perfeito para Henrique Dourado marcar o segundo. Ótima partida.

WELLINGTON SILVA

Aberto pela esquerda, driblou para o meio em busca do chute ou da assistência. Achou companheiros bem colocados na área. Cansou no final do segundo tempo.

PEU

Entrou com muita vontade e ajudou a sufocar o Atlético no final.

HENRIQUE DOURADO

Um belo gol ao cabecear por cobertura e fazer o primeiro gol. Um belo gol ao cabecear e deslocar Victor. Para que mais?

ABEL

Parece que definiu o time que começou o jogo como o titular. E é o melhor que tem de disponível. Por outro lado, o banco de reservas está carente. Com a volta de alguns jogadores contundidos, o elenco ficará mais encorpado. As entradas de Marcos Junior, Peu e Matheus Alessandro foram para recuperar o poder ofensivo. E conseguiu. O técnico teve responsabilidade direta pela vitória.

ATLÉTICO

É um time muito insosso.

ARBITRAGEM

Os erros normais.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: jam

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres