Fluminense 0 x 0 Madureira: atuações (por Mauro Jácome)

Um dos dois capítulos do manual “Como Acabar com o Futebol”: uma semifinal da Taça Guanabara, que em outros tempos já teve mais de cem mil no Maracanã, com meia dúzia de gatos pingados e jogado num campo vergonhoso. O outro capítulo foi escrito em Volta Redonda.

1º TEMPO

O Fluminense começou com o freio de mão puxado, muito relaxado, sem a intensidade dos jogos anteriores. Lentidão e passes errados fizeram com que o jogo, além de feio, se desenvolvesse no meio-campo. Ainda, com uma marcação mais conservadora, permitiu que o Madureira fizesse a transição com tranquilidade. O Madureira foi melhor e chegou com mais perigo ao gol.

2º TEMPO

Sem Gustavo Scarpa, machucado, o Fluminense quase tomou um gol logo aos 2’. Júlio Cesar salvou chute de seu xará. Na frente, Richarlison, que entrou no lugar de Wellington, colocou mais fogo e criou dificuldades para a zaga do Madureira. No entanto, Marquinho não conseguia sequência e as jogadas morriam.

Aos 24’, quase o Madureira chegou. Sorte que Rezende errou quase debaixo das traves e a bola bateu no travessão e saiu. Pouco depois, Douglas recebeu o vermelho. Daí em diante, o Fluminense se fechou para levar o resultado até o final, então, foi ataque contra defesa. Aos 30’, Souza cabeceou rente à trave, Júlio César só torceu.

Nos minutos finais, o Fluminense foi inteligente e conseguiu manter a posse de bola até o apito final.

JÚLIO CÉSAR

Defesa milagrosa no começo do segundo tempo. Lento na reação das bolas cabeceadas pelo Madureira, deu alguns sustos na torcida. Tem uma péssima saída com os pés e desperdiça posses de bola com chutões errados em bolas recuadas.

LUCAS

Teve dificuldades para marcar Douglas Lima, Júlio Cesar e Wellington Saci, no primeiro tempo, que atacavam pelo lado direito da defesa do Fluminense. Quando subiu, esbarrou numa parede amarela. Foi importante nos minutos finais ao ajudar na marcação.

RENATO CHAVES

Bobeou no lance que tomou amarelo logo no início. Ficou várias vezes no mano-a-mano com Souza ou com Júlio César. Pelo alto, levou desvantagem quando a disputa foi com Souza.

HENRIQUE

Escorregou em lance capital e quase o Madureira abriu o placar. Por baixo, conseguiu interceptar algumas tabelas do Madureira. Nas bolas aéreas, também perdeu para Souza.

LÉO

Vacilou no começou e deu uma bola de graça e perigosa. No segundo tempo, teve Soares pela frente e suou para segurar o ex-tricolor. Nas vezes que arriscou bolas de fundo de campo, não conseguiu cruzar bem.

OREJUELA

Correu para todos os lados para fechar os espaços. Preocupou-se exclusivamente com a proteção à zaga e não teve oportunidades de participar na saída de bola.

DOUGLAS

Puxou algumas transições, mas a rápida recomposição do Madureira impedia com que a bola chegasse ao pessoal mais avançado. Parou um ataque do Madureira e tomou o segundo amarelo.

SORNOZA

Sumido, pouco apareceu na criação. Correu muito para ajudar na marcação, principalmente, pelas laterais.

GUSTAVO SCARPA

Movimentou-se muito pelas meias direita e esquerda, mas teve dificuldades de encontrar Henrique Dourado. Tentou algumas conclusões. Levou uma entrada violenta no fim do primeiro tempo e não voltou para o segundo tempo.

MARQUINHO

Irritante. Não fez uma única jogada no campo do Madureira. Perdia a bola e ficava reclamando.

WELLINGTON SILVA

O mais ativo no começo de jogo. Partindo da ponta direita, procurou invadir a área com dribles e triangulações.

RICHARLISON

Impôs velocidade nos contra-ataques, mas ficou sempre isolado contra os adversários. Atrapalhou alguns lances ao segurar a camisa do adversário.

HENRIQUE DOURADO

Isolado no primeiro tempo, não viu a cor da bola. Melhorou no segundo. No único lance de perigo, numa escapa, bateu cruzado, mas fraco.

PIERRE

Entrou para compensar a expulsão de Douglas e ajudou a segurar o resultado.

ABEL

Com exceção da eterna recuperação de Cavalieri, não teve outros problemas para a decisão e escalou o que tinha de melhor. Perdeu Gustavo Scarpa e não tinha muitas opções. Mandou Marquinho, mas o nível caiu muito. Richarlison entrou no segundo tempo para tentar contra-ataques. Conseguiu alguns, mas estava muito só. Pierre foi para o jogo para suprir a perda de Douglas. O time ficou muito aquém daquela equipe aguerrida e intensa das partidas anteriores.

MADUREIRA

Jogou duro e explorou as bolas aéreas para Souza.

ARBITRAGEM

Rigoroso nuns momentos, negligente em outros, principalmente, no lance em que Gustavo Scarpa levou uma entrada violentíssima por trás.

…SAINDO DE CAMPO

As perdas de Gustavo Scarpa e Douglas mostraram que o elenco está na conta do chá para o Brasileiro. Reforços são necessários para evitar maiores problemas.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: ajm

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres