Vamos empurrar o Fluzão! (por Francisco da Zanzibar)

Meus queridos deste Brazil que vai pra frente porque lá vem gente, quero dizer que estou FE-LI-ZÉR-RI-MO em finalmente ter uma coluna neste espaço. Sei de muito Bill por aí que era lo-ko para estar no meu lugar, mas agora Inês é morta, jaburu. Eu sabia que um dia meus esforços iriam ser reconhecidos em nome do nosso club e, finalmente, este momento chegou.

Preciso me dirigir a todos os leitores com um juramento: dizer que aqui nada é mais importante do que o nosso Fluminense. Ser Tricolor é ter garbo, ter élan, é ser distinto.

Também é importante dizer uma coisa: em nome da democracia que tanto respeito, sei que aqui mesmo neste PANORAMA muita coisa foi dita a meu respeito. Só que é tudo mentira, MEN-TI-RA. Não tenho nada a ver com essas histórias de sauna, de esfregar o popô na cara dos outros, de fumar baseado. Que cafonice, meu deus! Veja se eu iria me sujar com esses calanguinhos de barbicha e picaretas que rondam o Fluminense? Sai fora, caipora! Um mais feio do que o outro…

Pronto, falei.

Alva Benigno, minha irmãzinha, começou uma brincadeira engraçada, a coisa foi crescendo, crescendo e hoje só se fala no meu nome para lá e para cá. Um homem criado nos salões do Copacabana Palace, Antiquarius e o saudoso Um Des Troix não pode ser confundido com gentinha de fofoca. Alva é gênio, mas aquilo tudo não passa de bobagem.

Claro que alguém com o meu berço e a minha posição no club sabe, vê e escuta muita coisa, mas eu não estou aqui para fazer caça às bruxas do que quer que seja. Quando for o caso, posso dar dicas de algum bafão, mas nada dessas cafonices de áudio de Whatsapp, de print de tela, que isso é de uma pobreza de dar gosto.

Vamos alegrar a nossa torcida, espalhar felicidade, vamos nos abraçar. Chega dessa disputa de arquibancada e clube, isso é coisa de quem não sabe gozar a vida nem pelos seus próprios meios. Eu tenho uma esposa maravilhosa, nunca expus meus romances e minhas relações: são privadas e respeitosas. Tem muito entendido dentro do armário aí que já falou de mim, mas que ninguém viu com mulher, nem com homem.

Estamos num momento muito delicado e não se pode falar. Cada tricolor deve ser um soldado do exército do Fluminense, pronto para lutar e defender sua pátria, em nome de Deus e sempre contra a corrupção. Temos que jogar junto com o time, que o resultado positivo virá. O Abel vai ajeitar o time e vamos abafar no Fla-Flu! Será o começo de uma linda reação.

Vamos defender o Fluminense que ele está precisando!

Queria aproveitar estas linhas para pedir desculpas a um colega de Conselho que muito prezo, o Antonio Gonzalez. Já tivemos nossas divergências, mas somos homens de Deus e estamos dialogando.

Ai, que dia! Finalmente PANORAMA!

Do seu conselheiro, seu amigo e seu político Francisco da Zanzibar y Zanzibar.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: zanze

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres