Anestesiada (por Juliana Rolhano)

anestesiada

Finalmente retornamos ao Brasileirão e, após a decepção da Copa, ainda temos muito futebol pra ver, curtir e torcer. E brigar.

A reestreia do Flu foi com derrota para o Criciúma quarta-feira passada. A reação foi linda? Sim, mas poderia ter sido completa – e sem aquela arbitragenzinha…

O Flu enfrenta o Santos amanhã no Estádio Raulino de Oliveira. O desejo é de vitória, sempre, mas a realidade é de alerta. O time já perdeu quatro partidas na competição em dez rodadas, hoje é o recordista de derrotas entre os onze primeiros colocados, está a seis pontos do líder Cruzeiro e o Santos é um adversário direto na briga da parte de cima da tabela. Precisamos de equilíbrio.

Confesso que ainda estou de ressaca. Ainda não esqueci a derrota humilhante do Brasil. Talvez não tenha conseguido virar esta página, mas estou tentando estar de peito aberto para a competição nacional.

O Fluminense, antes da pausa, estava muito bem. Encontrava-se no alto da tabela. Com muitas vitórias e confiança no céu. Agora, o sentimento é de incerteza. Não pelo time, mas pelo clima que ainda está no ar.

O maior rival é a irregularidade. Aliás, rival de todo mundo. Precisa-se alcançar uma constância para ver algum resultado favorável neste campeonato. O que não é novidade pra ninguém. Mas por que é tão difícil alcançá-la?

Pra muitas coisas, o inesperado é bem-vindo. Para outras, a preparação e organização são fundamentais. Apesar de o futebol ser uma surpresa, ainda se faz necessário um ótimo planejamento para dar aquela ajudinha ao acaso.

Afinal, desejamos o equilíbrio.

O que realmente falta para que o time tricolor seja realmente imbatível?

Uma defesa menos furada, agora com nomes novos? Meio-campo de marcação? Muitos gostaram da junção de Cícero e Jean, o que garante qualidade no toque de bola e pode dar certo. Precisa de tempo. Ataque? Calma: Fred vai voltar.

A lista é grande. As opções são maiores ainda.

Mas, de verdade, independente de tudo isso: planejamento, treino, táticas e jogadores bons, jogadores medíocres e etc, o sentimento de imprevisibilidade ganhou um espaço enorme dentro do coração de muitos torcedores.

Espero de verdade por uma vitória em Volta Redonda, mas ainda estou anestesiada se ela ainda não vier. Pelo menos pra mim, ainda está difícil focar.

Apesar de toda a má fama adquirida na Copa (graças à vingança de parte da imprensa esportiva), Fred está fazendo falta. Muita falta.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: bubok.es

SPRIT

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres