Madureira 1 x 2 Fluminense (por Marcelo Vivone)

Madureira-Fluminense-Foto-Cleber-MendesLANCEPress_LANIMA20150408_0256_52

Primeiro tempo

Drubscky surpreendeu com o avanço de Marlon para a cabeça de área e a entrada de henrique na zaga.

Aos 2 minutos, Walter fez bonito lançamento para Kenedy dominar já dentro da área, mas a jogada não teve sequência.

Aos 4 minutos, sofremos o primeiro perigo de gol. Em saída de bola errada do nosso time, o Madureira quase marcou.

Depois do susto, o Flu aumentou o ritmo de jogo e todo o time começou a se movimentar. Destaque para Kenedy.

Aos 11, depois de boa troca de passes e inversão de jogo para o Gerson, o garoto cruzou bem na cabeça de Wagner que quase marcou de cabeça. Pena que a cabeçada foi em cima do goleiro que conseguiu defender.

Até os 20 só dava Flu.

Continuamos bem no ataque e com sucessivas e conhecidas falhas na defesa, até que aos 21 o Madureira se aproveitou de uma dessas falhas e acertou a trave de Cavalieri. Na cobrança de escanteio, o zagueiro adversário ganhou no alto e novamente sofremos perigo.

Depois disso, o jogo passou a ficar equilibrado.

Aos 24, Wellington Silva lançou, Walter fez o corta-luz para Gerson, que dominou e rolou de calcanhar para Walter bater longe da meta adversária.

A partir daí, nosso time começou a insistir nos cruzamentos da intermediária, o que facilitou a defesa do Madureira, que cresceu na partida e passou a dominá-la.

Aos 36, Wagner inverteu o jogo para Gerson, que dominou, cortou para o meio e bateu de fora da área por cima do gol.

Aos 40, num contra-ataque originado em falta sofrida pelo Gerson que o juiz não apitou, o Madureira quase marca novamente. O atacante Rodrigo Pinho apareceu na cara de Cavalieri, depois de mais uma tentativa equivocada da nossa defesa de fazer a maldita linha burra. Cavalieri salvou.

No primeiro tempo, com exceção de um lançamento para Wagner, Walter errou tudo o que tentou. Giovanni, Jean e Wagner estiveram também muito ruins.

Tirando Cavalieri, que salvou quando solicitado, não deu para apontar nenhum jogador como destaque.

Apesar de termos começado bem, caímos ao longo da primeira etapa e jogamos mal mais da metade dos 45 minutos iniciais. O primeiro tempo acabou com o Madureira muito melhor. Por conta de nossos conhecidos problemas defensivos, praticamente todo ataque do adversário se configurou eu perigo real de gol. Em duas ou três oportunidades o Madureira chegou perto de marcar.

Segundo tempo

O professor trocou o esquema com a entrada do Marlone no lugar do Henrique.

Começamos o segundo tempo do mesmo modo que terminamos o primeiro: muito mal.

Logo aos 4 minutos, Rodrigo Pinho entrou entre Marlon e Gum e recebeu o lançamento. Por sorte, a bola correu um pouco e o atacante perdeu o ângulo, facilitando para Cavalieri fazer a defesa.

No lance seguinte, nova confusão na área do Flu e o Madureira levando algum perigo.

Aos 9, novo perigo. Walter conseguiu travar o chute do jogador adversário já dentro da área.

Até os 10 minutos só um time atacou e não foi o Fluminense. Nosso time voltou completamente perdido em campo para a segunda etapa. Erros de posicionamento e individuais em profusão.

Aos 14, Drubscky tentou mais uma vez mudar o cenário do jogo, com a entrada de Vinícius no lugar do inoperante Wagner.

Aos 22, na primeira jogada trabalhada pelo nosso time desde a defesa no segundo tempo, Jean começou tocou para Vinícius, que meteu nas costas do lateral do Madureira para Wellington Silva cruzar da linha de fundo para trás. Jean chegou na área e tocou de cabeça para marcar.

Aos 23, dessa vez pela esquerda, chegamos com perigo em um cruzamento de Giovanni para o meio da área. A bola foi espanada pela zaga do Madureira.

Com a desvantagem no placar, o Madureira mexeu, colocando um centroavante no lugar de um marcador.

Aos 27, quase gol do Flu. Lindo chute de fora da área do Vinícius que o goleiro adversário espalmou para escanteio. Na sequência uma amostra da desorganização do nosso time. Sofremos um contra-ataque muito perigoso no rebote do adversário da cobrança de escanteio. Wellington Silva recuperou-se muito bem e salvou.

Aos 28 minutos, nova chance de gol do Flu. Kenedy foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou para a pequena área. Vinícius se esticou, mas não conseguiu chegar na bola. Nesse lance, Vinícius sentiu alguma contusão e teve que ser substituído. Estamos tão mal que o melhor jogador em campo fica somente 19 minutos em campo após entrar. Que fase.

Aos 30, em mais uma bobeira defensiva, o Madureira tocou a bola como quis na entrada da nossa área e Rodrigo Lindoso tocou no canto de Cavalieri, que não conseguiu chegar na bola: 1 x 1.

Aos 33, com o Flu com menos um e todo no ataque, Jean perdeu a bola e o Madureira teve um contra-ataque de seis jogadores contra dois. A bola foi chutada de fora da área e, dessa vez, Cavalieri conseguiu chegar e espalmar.

Lucas Gomes entrou no lugar do contundido Vinícius.

Aos 37, conforme esperado, o Madureira começou o cai-cai para impedir a sequência da partida. O jogo ficou parado quase dois minutos.

Aos 39, Kenedy mostrando afobação arriscou de muito longe e a bola passou sem perigo.

Completados 41 minutos e escanteio cobrado pelo Fluminense. Por pouco a bola não sobra para Gum na falha do goleiro adversário.

Aos 45 veio o gol da vitória. Kenedy fez um bom cruzamento de muito longe. O goleiro saiu caçando borboleta e atrapalhou o zagueiro que acabou tocando sem querer contra a sua rede. Gol quase espírita!

Jogamos muito, mas muito mal mesmo, mais uma vez hoje. Os jogadores até mostraram disposição e não dá para reclamar desse aspecto. Mas o time na maioria do tempo é um bando disforme em campo. Taticamente nosso time não existe.

E a falta de organização acaba por comprometer as individualidades. Fica difícil até escolher um melhor jogador. Hoje, acho (só acho) que foi o Wellington Silva, que aliás está fora do primeiro jogo das semifinais, por ter recebido o terceiro cartão amarelo neste jogo.

A camisa TRICOLOR mais uma vez venceu o jogo na noite de ontem e nos colocou nas semifinais. Mais uma vez nosso MANTO nos deu a vitória nos últimos minutos do jogo. O peso das TRÊS CORES QUE TRADUZEM TRADIÇÃO é enorme.

Precisávamos da vitória e aos trancos e barrancos a alcançamos. Agora é tentar de alguma forma arrumar muita coisa para jogar as semifinais. Como disse o Wellington Silva, deixaram a gente chegar, vão ter que aturar.

E torcer muito para conseguirmos repetir já no final de semana a único partida que jogamos muito bem na fase de classificação. O adversário é o mesmo.

Panorama Tricolor

@Panoramatri @Mvivone

Imagem: lancenet.com.br

#SejasóciodoFlu

Comentário