Vitória 1 x 2 Fluminense (por Paulo-Roberto Andel)

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO 2 – POCKET FINAL

LIVRO – A ESSÊNCIA DO FDP BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO – POCKET FINAL

O Fluminense desceu para o intervalo derrotado por 1 a 0 pelo Vitória. Descontadas as hipérboles tecnocratas dos números do jogo em seus primeiros 45 minutos, teve mais bola, mais volume, só que não finalizou: ou a bola nem era chutada, ou saía disforme. A rigor, o goleiro rubro-negro só fez um defesaço no comecinho do jogo, em falta cobrada por Marlon. Quem não faz, leva: o primeiro chute do Vitória foi o golaço de Neílton, contando com a generosidade da defesa tricolor – todo mundo olhando, em linha.

Ainda sobre defesa: bons lances do estreante Nathan, pancadas do Frazan, Renato Chaves foi o de sempre. Nos contragolpes do Vitória, ficamos sempre com menos homens no combate. O Abel se esgoelou debaixo da chuvarada.

Segundo tempo, Pablo no lugar de MJ para dar velocidade, confere? Não, não mudou o cenário propriamente. Vários passes errados do Fluminense e a incapacidade de entrar rápido na intermediária adversária, ainda que com o tal volume de jogo. Só aos 20 minutos é que Richard acertou um chute pererecante à direita do goleiro Caíque. Sornoza, sumidão. E nova tentativa: Jadson, apagado, deu vez a Robinho (ele não ia embora, feiquenius?). Acreditemos, Senhor!

Deu. Aos 28, depois de uma pressão com escanteios, um rebote na área sobrou para o Pablo, livre mas com vários jogadores na frente. Chutou rasteiro, forte, no meio do gol e o nosso grande Rhayner deu aquela força, matando o goleiro de vez. Empate. Depois Julio Cesar deu um susto ao comer mosca num cruzamento, mas se recuperou com outra saída de gol, boa desta vez.

Nos dez minutos finais, Frazan quase fez um gol de taekwondo e Gilberto, logo ele, que tem crédito mas tinha até batido lateral errado, deu uma de camisa 9, cabeceou com categoria no canto esquerdo e virou o jogo para 2 a 1. Abel então colocou o estreante Didi no lugar de Pedro, pra dar aquela segurada. Firmou.

Virada tricolor merecida pelo volume de jogo e pela iniciativa ofensiva, ainda que sobre um adversário bem limitado. Richard foi vacilante no primeiro tempo, melhorou no segundo. Nathan estreou bem, foi seguro nos lances. Pedro lutou e buscou jogo. Pablo, pela luta, foi o aríete.

O Fluminense ainda precisa de um meia de arranque, fullgás, mas segue lutando. Vencer é sempre bom. Sempre. Vamonos a Potosí! Ninguém me encha o saco com politicagem, que hoje eu tou de bobeira.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

#JuntosPeloFlu

Imagem: rap

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres