Vasco 1 x 0 Fluminense: atuações (por Mauro Jácome)

No primeiro teste para valer do time de Fernando Diniz, o Fluminense mostrou que precisa evoluir muito no principal: no poder de finalização. Foram noventa e poucos minutos de troca de passes pouco efetiva. Bruno Silva cabeceou na trave, Luciano chutou forte e bola também explodiu no travessão, mas com a bola rolando, foram poucas jogadas que levaram perigo ao gol de Fernando Miguel. O Vasco não é Madureira, Americano e Portuguesa. O Flamengo também não. O Fluminense rodou, rodou, mas pouco frequentou a área do adversário. Então, Diniz tem pela frente a difícil tarefa de fazer com que a bola chegue a Yoni González e a Luciano.

Por outro lado, num jogo em que surgem poucas oportunidades de gol, uma omissão da arbitragem influi no resultado. Marcar um pênalti para um lado e ignorar um para o outro, desequilibra as forças. E foi o que aconteceu.

RODOLFO

Errou várias saídas de gol com os pés. Quase deu um gol de presente a Ribamar.

EZEQUIEL

Nulo na frente. Nas vezes em que chegou, cruzou para a zaga vascaína. Atrás, foi envolvido algumas vezes.

MASCARENHAS

Não teve tantas oportunidades de lançar no vazio para os atacantes tricolores. Insistiu muito em cruzamentos da quina da grande área.

NATHAN

Teve dificuldades com Ribamar. Ficou desprotegido e, quando o Vasco subiu com suas linhas, teve que disputar contra mais de um.

MATHEUS FERRAZ

No mesmo nível do companheiro. Não teve oportunidades em bolas aéreas na área do Vasco.

CAIO HENRIQUE

Tocou muito na bola, mas com passes curtos e laterais.

BRUNO SILVA

Do meio para a frente, a bola sempre passava pelos seus e pela cabeça.

MARCOS PAULO

Uma jogada ousada, mas o sistema defensivo do Vasco estava muito compactado.

DANIEL

Tocou, tocou, tocou, mas longe do gol de Fernando Miguel.

MATHEUS GONÇALVES

Entrou para dar velocidade na transição da defesa para o ataque, mas o desgaste dos companheiros e o forte esquema defensivo do Vasco não permitiram.

EVERALDO

Ciscou demais. Driblava um, dois, três, mas perdia a bola.

LUCIANO

Um primeiro tempo apagado. No segundo, saiu mais da área. Perdeu a melhor oportunidade de gol, ao pegar o rebote do goleiro e chutar no travessão.

YONI GONZÁLEZ

Muito marcado. Não conseguiu impor a sua velocidade.

FERNANDO DINIZ

Precisa pensar em alternativas ofensivas para os jogos em que o adversário é de melhor qualidade. Caso contrário, o Fluminense vai trocar passes até um afoito tentar uma esticada.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

#credibilidade

2 Comments

  1. Muito boa narração. Fernando Diniz tem muito trabalho pra fazer nesse time.

  2. Bom dia Mauro,
    Para voces tao lidos pela nossa torcida é nécessario relativisar.
    A analise da performance individual deve levar em consideraçao o inicio de temporada, o curto tempo de formaçao do grupo e a ansiedade para por em pratiqua um sistema de Jogo ousado e ofensivo que nas circunstancias de um Jogo contra o Vasco (sempre roubado, inevitavelmente!) cria Uma tensâo suplementar.
    Quanto ao Diniz, justamente pelo exposto acima, esta tua analise sera correta para o inicio do brasileiro…

Comments are closed.