Sheique, o porco (por Thiago Muniz)

porquinho

O (às vezes) irreverente jogador Emerson “Sheique”, aquele mesmo que fez o gol do Fluminense contra o Guarani na última rodada do Brasileirão 2010, que resultou na vitória tricolor por 1 a 0 e, conseqüentemente, pelo tricampeonato brasileiro para as Laranjeiras.

Aquele mesmo, que dentro do ônibus na concentração para um jogo da Libertadores em 2011, cantou uma música de apologia rubro-negro carioca e, por conseqüência disso, foi desligado do elenco.

Esse mesmo jogador que gosta de aparecer e dar declarações polêmicas, esse mesmo, se lembrou?

Pois esse mesmo sujeito vem a público e diz que Laranjeiras é um curral.

Curral de luxo, só se for.

Um curral altivo, cuja sede é um majestoso palácio.

Patrimônio histórico do Estado do Rio de Janeiro e do mundo.

Em 21 de julho de 1914, o nosso tapete debutou a seleção brasileira.

Esse curral recebeu Santos Dumont. Ele, Sheique, que te fez andar de avião até o Oriente Médio e posteriormente ganhar seu apelido pífio, fazia parte de nosso quadro social.

Este curral onde você teve o privilégio e o despudor de por os pés e ignorar, desprestigiar, recebeu o Papa.

A bênção, João de Deus!.

Emerson, vulgo Sheique, com a grafia grotesca que lhe cabe, não cuspa no prato que comeu.

Aqui um dia a torcida tricolor te respeitou por gratidão ao pouco tempo em que você jogou no clube.

O curral que te abraçou quando você saiu pela porta dos fundos (para variar…) do mesmo clube que defende nos dias de hoje e se vangloriou com isso.

Fanfarrão.

Falastrão.

Bobalhão.

Nada melhor que um dia após o outro.

Apesar de já ser um veterano em fim de carreira, quanto mais idade tem, mais moleque você é.

Respeite esse clube que te abraçou e te amparou um dia, mesmo contra a vontade de muitos.

Ingrato.

O “curral” do Fluminense é muito maior do que você.

Já recebeu Rivellino, Carlos Alberto Torres, Didi, Telê Santana, Gerson, Romerito, o Casal 20 e muitos outros galáticos

Quem é você nessa história?

Nada

Ressalte-se que o gol do último jogo não resume a campanha de 2010 do Fluminense. Dar esse crédito é tirar o mérito dos outros jogadores, tão importantes quanto.

Esse mesmo “curral” serviu de tapete para os quatro títulos brasileiros, o título da Copa do Brasil dentre os inúmeros títulos cariocas.

Sheique, o Fluminense não precisa de você e nunca precisou.

vamos focar dentro de campo e apoiar o nosso time, dane-se o resto – se fizermos isso, lá na frente veremos quem vai rir por último.

Perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.

Mas pensando bem, Sheique, se sentir num curral faz parte da tua essência. A foto acima diz bem quem você é.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: sheique

LIVRO LUCIO E RODO

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres