Pra quem odeia o Flu… (por Sergio Trigo)

vem

Prezados, saudações!

Sim, eu retirei “amigos” e “tricolores” da minha saudação habitual. É que dessa vez eu estou falando com você. Com você mesmo, que odeia porque teme, e que sofre porque odeia. Falo com você, que chega a espumar quando se refere ao Fluminense e que se presta a torcer por qualquer coisa que acredite poder nos prejudicar. Falo com você que abre mão até mesmo da sua inteligência e dos seus valores morais em defesa do que sabemos indefensável. Falo com você. Isso, você…

Peço desculpas por ser o portador da má notícia, mas apesar de você, apesar dos muitos esforços da banda podre da imprensa esportiva e até mesmo dos muitos problemas que o clube vive por conta da política interna, o Fluminense não acabará. E não acabaria nem mesmo se a presidência da patrocinadora tivesse mudado de mãos e o patrocínio mais invejado do Brasil fosse descontinuado.

Chato, não? Mas é a mais pura verdade… sugiro que você volte para a terapia e tente aprender a lidar com isso. Não sei bem o que te fizeram, mas desconfio que tenha sido um tricolor. Em nome de toda a torcida do Fluminense, te apresento as nossas mais sinceras desculpas por tudo o que você passou até aqui.

Não deve ser mesmo fácil. Penso no quanto você se contorceu com as defesas do Félix, do Paulo Victor e do Wellerson (quem diria!). Penso em tudo o que você sofreu nas mãos (ou nos pés) de Cafuringa, Samarone, Flávio e Lula. Penso na dor que o Rivelino te causou. Penso em tudo o que o Romerito, o Assis e o Washington te fizeram passar. Penso em todas as vezes que o Ézio te derrubou. E não queria estar na sua pela quando o Renato te empurrou com a barriga.

Fico pensando no que você sentiu quando o Time de Guerreiros do Cuca subverteu a lógica e escreveu um dos mais belos capítulos da história do futebol e em tudo que você deve ter passado no ano seguinte, quando voltamos a conquistar o Brasil. Não, 2012 não conta. Ganhamos de ponta a ponta. Acredito que você tenha tido, no máximo, uma dor de cabeça quando trouxemos a taça de Presidente Prudente.

Imagino o que você deve ter sentido quando eclodiu o escândalo Gávea-Canindé. Fico imaginando o quanto você que, diferentemente da maioria dos de vocês, tem CEP, CPF e algum grau de escolaridade, deve ter sofrido na tentativa de sustentar o insustentável e defender a virada de mesa que nos levaria à Série B. Sofrido, não? Mas o Fluminense é assim.

O Fluminense resiste e resistirá por muito tempo. Com ou sem patrocinadora, com ou sem títulos, com ou sem time. O Fluminense resistirá para sempre, sustentado por sua gente. Por uma gente que, por meio das redes sociais e de obras literárias produzidas com amor e por amor ao clube, se levanta contra os muitos que insistem em nos diminuir na grande imprensa.

Saiba que, para cada um de vocês, temos outro, que não desistirá de zelar pela honra do nosso Tricolor. E se você quer saber, temos um timaço!

Temos Marcello Vieira, Marcelo Savioli e Nelson D’Elia. Temos o Conselheiro Caldeira e o Couceiro. E temos o Paulo-Roberto Andel. Temos Walterson Botelho, João Garcez e Zé Augusto Catalano. Temos Wallace Cestari e Vinícius Toledo. E temos Rodrigo César, o Rods.

Temos João Claudio Boltshauser, Dhaniel Cohen, Heitor D’Alincourt e Carlos Santoro. Temos o Eduardo Coelho e o Roberto Sander. E temos o Gustavo Albuquerque. Temos a Crys Bruno, Juliana Rolhano e a  Ise Cavalieri. Temos o Marcelo Vivone e o Mauro Jácome. E temos o Hélio Lemmers, o Tricolor Verdadeiro.

Temos o Cláudio Kote, a Claudia Magalhães e a Juliana Brum. Temos Toni Platão e Marcelo Janot. E temos o Alexandre Berwanger. Temos Gustavo Valladares e Sergio Duarte. Temos o Beto Meyer, o Leandro Dias e o Rodrigo Mendes. E temos o PC Filho.

Temos Hugo Ottati, Cristiano Barbosa Lima e Cezar Motta. Temos o Leo Prazeres, o Ricardo Almada e o João Leonardo Medeiros. E temos o Cezar Santa Ana. Temos o Gustavo Reguffe, o Lennon Pereira e o Rafael Rigaud. Temos Fillipe Souza, Luis Brito e Gilmar Prado. E temos a Natália Lacerda.

Temos Leo Prata, Marô Sussekind e Renato Reis. Temos o Gilson Moura Junior, o Pedro Lerner e o Diogo Cavalcanti. E temos o Marcos Caetano. Temos o Edu Rocha, o Pedro de Luna e o Marcelo Natarelli. Temos MR, Marcelo Meira e Marcelo Pitanga. E temos o Antônio Carlos Teixeira.

Além destes, temos outros, que insistem em desdizer o que querem nos impor como verdade. E depois destes, outros virão, para que a história do Fluminense não fique nas mãos de quem insiste em deturpá-la.

E aí? Vai encarar?

===

Aguardarei com ansiedade a cobertura da transição presidencial da Guaraviton e da Telexfree e acompanharei pela imprensa as especulações a respeito dos possíveis impactos da indicação do novo presidente da Caixa.

Ah, e sabe a eleição da Unimed? Fontes seguras garantem que o Celso Barros comprou votos e escrutinadores. Liga não. Entra com recurso… mas cuidado com o Mário Bittencourt.

===

Saudações Tricolores.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @S_Trigo

Se preferir, entre em contato através do endereço eletrônico strigo@globo.com, twitter ou facebook.

===

P.S.: Se você, assim como eu, tem o hábito de guardar os ingressos de partidas do Fluminense, entre em contato comigo. Possuo uma coleção de ingressos de quase mil partidas do nosso Tricolor e tenho interesse em trocar ou adquirir aqueles que não figuram na minha coleção.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres