Ponta de estoque (por Márcio Machado)

A gestão do futebol pós-Abel e Copa 2018 fez o que se pode entender como possível para um clube sem dinheiro: contratou todas as opções disponíveis de graça no mercado. Um risco considerável dessa estratégia é que são jogadores sem ritmo, vindos de contusão ou do banco de reservas. Se isso pode resultar num time motivado com jogadores botando sua carreira em campo, também pode resultar num elenco que continua carente de poder de decisão.

Se a partida contra o São Paulo era o momento para um time mais reativo a princípio, o jogo mudou depois e expôs a deficiência para decidir. Os próximos têm tudo para aprofundar essa percepção se mal trabalhados tecnicamente – o Vitória de fraca campanha e um Botafogo à beira do caos. Será preciso propor o jogo.

Para isso, a primeira coisa é ter o camisa 9 de verdade que temos no time no momento jogando efetivamente nessa posição. Kayke jogou pelo lado de campo no domingo e foi completamente nulo num jogo onde ele podia ter sido muito mais importante. Daniel é a opção de ofício na armação e tem de ser usado até mesmo porque vinha jogando como titular, mesmo que na serie B. Everaldo mostra como isso é importante frente a muitos jogadores melhores que ele, mas que estando sem ritmo pagam banco para ele.

Outro aspecto importante: o treinador anterior não tirou o 3-5-2 do nada, pois ele é fundamental para o aproveitamento digno dos nossos laterais titulares, que não são bons defensores. A diferença do Ayrton Lucas que “tem de segurar, porque é fundamental e os gringos vem com tudo” para o que entrega dois jogos seguidos é simplesmente ele ter mais responsabilidade na marcação, quando será mais útil armando o jogo na frente.

Nosso elenco está longe de ser ótimo como foi em outros tempos, é verdade, mas está na média do futebol brasileiro e está a fim de jogo. Se for bem armado, podemos sim fazer resultados que nos classifiquem até a Libertadores e buscar a Sul-Americana. Que o Marcelo Oliveira acerte.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

3 Comments

  1. Não sei se é implicância de torcedor. Afinal quando se torce para um time, o julgamento fica falho pela paixão. Mas em várias oportunidades o Everaldo prefere sempre cortar para o meio ao invés de passar para a corrida do Airton Lucas na ponta. Vejo o Airton babando pedindo a bola em profundidade e o Everaldo resolver conduzir a bola… Alguém mais vê isto?

  2. Acabei de ver a lista dos relacionados para o jogo com o Vitoria e o nome do Daniel nem relacionado foi.
    Esse careca quer nos rebaixarmos. como fez com Coritiba.

  3. Acabei de ver a lista dos relacionados para o jogo com o Vitoria e o Daniel nem relacionado foi.
    Esse careca quer rebaixaremos, como fez com o Coritiba.

Comentário