Papo sério (por Gilmar Prado)

 

 

Hoje é coração na ponta da chuteira. É Libertadores, é Grêmio, um dos times mais acostumados a esse tipo de torneio.

Os caras perderam na estreia, vão ter que vir com tudo logo mais, senão Luxemburgo fica com a corda no pescoço.

E aí é que entra a NOSSA inteligência.

Inteligência do time, sabendo dosar calma e explorando com velocidade os buracos que eles serão obrigados a deixar em campo.

Inteligência da torcida, sem nenhuma flub@b@ca vaiando com 5 minutos de jogo ou porque alguém errou um passe. Tentaram cornetar o Deco em Volta Redonda no domingo, ele errou dois e acertou depois uns 50.

Nada de modinhas tirando foto de costas pro campo enquanto o jogo rola. Já que vai pagar a p*&¨%$orra dos 80 reais, que pelo menos torça e ajude.

Hoje é dia de papo sério, papo reto.

Libertadores não é pra romancezinhos do futebol lindo e vistoso. Muitas vezes tem que entrar rachando, botando banca, valorizando o suor, porrada. Ai, não pode jogar feio. Ai, não gosto da falta de espetáculo. Ai, tinha que ser bem melhor. PQP pra todos os que vierem com essa frescurite.

Libertadores não é pra torcedor ficar batendo pezinho de palhaçada na arquibancada reclamando em vez de apoiar.

Não é pra espetaculozinho. Não é Broadway! Não é Festival de Cannes!

Libertadores é pra Gum guerreiro, pra Valencia, pra Edinho, pro Nem. Pro Deco e pro Fed também, que são craques, mas nem por isso ficam de frescura: chegam junto.

Libertadores é pro Fluminense mostrar a força da sua camisa, a sua tradição, a torcida linda cantando junto e incentivando. Pouco importa se vão ter 20, 30 ou 35 mil: o barulho tem que ser o mesmo.

Libertadores é pra gente ser mais Fluminense do que nunca.

Contra, já tem a televisão, os jornais, os adversários e as suas torcidas.

Ninguém é mais Fluminense do que o outro porque tem dinheiro ou não para ingresso, nem porque grita mais ou menos (embora isso seja desejável) do que o outro, ou ainda porque “conhece o clube mais do que o outro”. Tudo isso vira uma tremenda b@b@quice diante do objetivo principal: passar a limpo a injustiça de 2008.

Libertadores é pra gente ir atrás do único troféu que ainda nos falta na história. E neste 2013, o Fluminense é um dos grandes favoritos a esse título.

Então vamos trabalhar todos juntos para que esse favoritismo supere grandes adversários e saia do papel para a realidade.

Libertadores é hoje. É logo mais. É Flu em campo e um amor que atravessa o Brasil.

Gilmar Prado

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Contato: Vitor Franklin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres