O direito de escolha (por Ise Cavalieri)

Infelizmente por questões políticas como a corrupção, a frase pode ser mal vista, mas em questão esportiva… Que todas as copas fossem no Brasil!

Uma das melhores copas já vistas, desde a maneira com que todos tem se portado (excluindo a cena vergonhosa de alguns chilenos), a resultados surpreendentes como a goleada sofrida pela Espanha e, na partida seguinte, a sua eliminação.

E falando em Espanha… Você tem um sonho desde pequeno (a) e luta para que a concretização dele aconteça e pode ser que por várias vezes obtenha um “não” como resposta. A melhor ideia seria abandonar de vez esse sonho ou mudar a estratégia na busca da realização? Acredito que esse tenha sido o pensamento de Diego Costa diante da talvez falta de chance no futebol brasileiro.

Embora a rivalidade da Espanha versus Brasil no futebol seja alta, foi de fato o país que o levou Diego para o auge de sua carreira, que o acolheu, além ter mostrado desde sempre o interesse de ter o jogador defendendo o país, enquanto no Brasil teve apenas uma chance, se é que alguém lembra. Então sejamos sensatos de que escolher a Seleção Brasileira seria como o ditado de trocar o certo pelo duvidoso. Quem é mais objetivo, leva – e foi o que aconteceu, pelo menos na “disputa” de Diego, porque nos campos o resultado foi outro: a Espanha dando adeus a Copa do Mundo de 2014.

Lembrando que Deco (Portugal), Eduardo (Croácia) e Thiago Mota (Itália) são alguns exemplos de jogadores que defenderam outros países por escolha própria… logo fica incompreensível a perseguição a Diego.

Brincadeiras e zoações pela eliminação, é complemente normal e, ao fazer sua escolha, obviamente tomaria uma dimensão maior, mas o que não pode ser visto com naturalidade é a hostilidade o qual os brasileiros vem demonstrando.

Todos nós temos direitos a escolhas e essa foi a dele, devemos respeitar.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @isefinato

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres