No domingo veremos o verdadeiro Fluminense (por Aloísio Senra)

INFORMÁTICA PARA PEQUENOS E MÉDIOS AMBIENTES

Tricolores de sangue grená, cumprimos com louvor os compromissos decisivos que tivemos nas últimas duas semanas. Atropelamos o Goiás e conseguimos, ainda que no sufoco, a classificação na Primeira Liga ao empatar com o Brasil-RS. Todavia, neste último domingo não nos encontramos no primeiro jogo da decisão do Campeonato Carioca contra o lumpesinato. Como puderam atestar aqueles que assistiram à partida, fomos dominados no primeiro tempo, tivemos que aturar a falha ridícula de Renato Chaves e, na segunda etapa, simplesmente não fomos competentes o bastante para colocar a bola na rede.

O Fluminense, que descansará por mais uma semana até o fatídico embate contra o Flamengo, precisa de ajustes pontuais, certeiros, sob pena de assistirmos à celebração alheia ao fim dos 180 minutos. Diego Cavalieri fez ótimas defesas, mas precisa, de uma vez por todas, parar de socar a bola desnecessariamente. Nossos laterais tiveram problemas com a marcação rubro-negra e com jogadores de velocidade saindo em suas costas. Talvez a solução seja mesmo procurar jogar mais pelo meio. Não é possível que tenhamos, pela segunda vez consecutiva, Orejuela, Wendel e Sornoza rendendo abaixo da crítica, como aconteceu neste domingo.

Não sei sinceramente o que fazer com Renato Chaves, mas Nogueira está com moral por conta da partida contra o Goiás. Mesmo sendo um risco, talvez seja melhor deixar o garoto jogar do que arriscar outra patuscada do nosso flashback de Leandro Euzébio. Por fim, Abel tem que decidir logo qual dos lados é o melhor para Wellington Silva jogar, além de barrar o Dourado. O ataque hoje é Richarlison por um lado, WS pelo outro e Pedro centralizado, com os três dialogando, como vimos contra o time goiano. Precisamos de juventude e força lá na frente. Nosso adversário tem muita qualidade e não podemos esperar que Dourado encare o miolo de zaga e faça milagres.

Estamos em desvantagem e precisamos marcar mais de um gol para nos sagrarmos campeões, bem como evitar tomar gols. Não fosse a bizarrice cometida pelo nosso zagueiro, o jogo provavelmente não sairia do zero, o que tornaria bem mais confortável a nossa missão no dia 7 de maio. Espero que nosso comandante entenda a necessidade de um time leve e disposto. O Flamengo jogará pela Libertadores no meio de semana. Queiram ou não, estão em uma maratona de jogos, com pouco descanso. O cansaço não foi um fator preponderante no Maracanã, mas pode vir a ser da próxima vez. Vamos obrigá-los a correr atrás da bola, adiantar a marcação, ir com tudo! É a hora de decidir quem levará o primeiro título de 2017. Tenho convicção que o verdadeiro Fluminense entrará em campo!

Curtas:

– A torcida está confiante. Cantou o tempo todo, mesmo atrás no placar, e saiu do estádio com a certeza do título. Que esse sentimento contamine os jogadores e faça com que acreditem até o fim!

– Teremos um compromisso quarta-feira que vem pela Copa Sul-americana contra o Liverpool. É o jogo da volta. Vencemos aqui no Maracanã por 2 a 0 e temos tudo para confirmar a vaga no Uruguai, basta jogarmos o que sabemos.

– E pelo sorteio da Copa do Brasil encararemos o Grêmio, que recentemente foi eliminado no Gauchão pelo Novo Hamburgo. É um time eficiente, mas que joga feio. O treinador conhecemos bem: Renato Gaúcho. Era difícil evitar um clássico nacional, mas ouso dizer que estamos em um melhor momento e temos plenas condições de eliminá-los, principalmente por decidirmos em casa. Que venha o Grêmio!

– Externo meu apoio a Marcus Vinícius Caldeira em relação ao episódio ocorrido envolvendo seu nome. É incrível como sempre buscam derrubar aqueles que incomodam. A mídia segmentada tricolor também segue uma cartilha que está longe da imparcialidade.

CENAS DO CENTRO DO RIO – CLIQUE AQUI

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

Imagem: alo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres