Ninguém paga ingresso ou PPV para assistir ao show do VAR (por Marcelo Savioli)

Amigos, amigas, temos visto regularmente as lambanças em cima de lambanças do VAR. Não bastassem as longas paralisações, temos interferência em lances interpretativos, o que vai de encontro às regras estabelecidas. Não bastasse, temos o VAR interferindo para cometer erros piores do que os dos árbitros.

Todos nós já estamos de saco cheio disso, porque não pagamos ingresso e PPV para assistir ao show do VAR. O que vimos ontem, todavia, supera tudo. É inacreditável que um árbitro como o de ontem apite uma partida do mais importante campeonato nacional do planeta. Não seria impróprio se esse cavalheiro apitasse o jogo com uma melancia no pescoço. Juntou o tal Ricardo Marques Ribeiro com os muquiranas do VAR e o que menos se viu no jogo de ontem foi bola rolando.

Esse cara deveria levar umas mesinhas para o campo, mandar servir uma cerva bem gelada e ficar batendo papo com os jogadores. Será que é carência afetiva? Como é que pode precisar do VAR para marcar aquele pênalti? E ainda precisou de uns cinco dias para, mesmo com o VAR, conseguir ver a infração.

Por fim, não gostei da atuação do Fluminense ontem. Mais uma vez, nosso esquema de jogo sucumbiu à marcação pressão adversária nos minutos iniciais. Mais uma vez, o time levou um século e meio para se organizar em campo. E dessa vez nem podemos dizer que a culpa foi do gramado. Podemos, outrossim, atribuir tal demora às mudanças recorrentes no setor ofensivo. Ontem, jogamos com um trio ofensivo inédito, com Marcos Paulo, João Pedro e Brenner.

O problema não foi a saída de bola, mas a falta de conexão entre o meio e o ataque. Se não tem entrosamento, a gente perde a rapidez, que é um item importantíssimo quando superamos a marcação pressão. Nós começamos o ano jogando com Luciano, Everaldo e Yony González. Ontem tínhamos um trio completamente diferente. Fica difícil.

O empate ficou de bom tamanho pelo que apresentamos. Ainda que não haja a mais remota chance de brigarmos contra o rebaixamento, é bom termos terminado fora do Z-4 esse primeiro quarto de campeonato. Imaginem os desastres a que estaríamos sujeitos caso estivéssemos agora uma posição atrás. Um pontinho a menos. Fica a critério da imaginação de cada um.

Serão lá uns dois meses de agonia até fechar a janela europeia, com os olhos arregalados sobre a questão salarial envolvendo o clube e o elenco. Até definirmos com que elenco nós vamos para a fase final da temporada, é difícil fazer qualquer prognóstico. Caso consigamos manter o elenco, inclusive o Luciano, vamos nos tornar um dos melhores times do mundo, como já escrevi aqui.

Para que isso aconteça, Diniz tem que definir seus quinze ou dezesseis titulares, mas até para isso é preciso saber qual será o nosso elenco em agosto. Como tenho dito, o Fluminense é um dos clubes que mais se beneficiará dessa parada para a Copa América. Diniz sedimentará seu modelo e os fundamentos que o sustentam. Poderá entrosar melhor os jogadores com treinos e jogos treino.

Digão e Bruno Silva, no mínimo, devem ter condições de jogo já no retorno dos jogos, o que é importante para termos elenco. Pedro tem que ser trabalhado para voltar como titular ao lado de João Pedro, formando uma dupla de ataque infernal. Gilberto precisa ser recuperado em todos os aspectos.

Aliás, esqueci aqui a grande bola fora do Diniz no jogo de ontem, que foi deixar Frazan no banco para escalar Yuri improvisado na zaga. Não pelo Yuri, em si, mas pelo fato de Frazan ter sido o melhor em campo no Fla-Flu.

Fora isso, não me abandonem, porque, sem futebol, vamos ter muitos assuntos para tratar, sobretudo envolvendo o futuro do Fluminense.

Saudações Tricolores!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

3 Comments

  1. Marcelo;
    O Fluminense poderia tentar contratar o goleiro Ivan, da Ponte Preta. Tenho assistido a série B e garanto que
    ele é ótimo goleiro. E como0 o flu tem boas relações com a Ponte Preta, não haverá problemas.
    Procure pesquisar, e veja comoi eu tenho razão.

  2. Eu acho que o goleiro da Ponte Preta Ivan; resolveria o nosso problema de goleiro.
    E ainda que a Ponte tem ótimas relaçõies com o Flu e não iria dificultar.
    Qual é a sua opinião, Marcelo?

  3. Oi Ivan!

    Eu não conheço o goleiro, mas me parece a cada dia mais óbvio que precisamos de um. Só tem que saber sair jogando com os pés.

    ST

Comments are closed.