Não enche o saco… o Fluminense não precisa de você que torce contra! (As fotografias do absurdo) (por Antonio Gonzalez)

AS FOTOGRAFIAS DO ABSURDO

Na noite passada, ao término do clássico entre os REMADORES da Baía de Guanabara, rubro-negros versus alvinegros, que também pode ser definido por adeptos de São José Roberto Wright versus Cachorro Biriba, ou melhor, as papeletas amarelas do Helal versus o jogo do bicho do Emil Pinheiro… e, por que não dizer, o time da Ditadura versus os anões do time do subúrbio da zona sul…  Pois bem… tirei umas fotografias.

O certo é que eu esperava ver uma partida de futebol onde não só se destacasse a técnica, o conteúdo, a proposta de jogo… Além de ser um “derby”, pelo menos imaginávamos que ainda restasse algo de essência, afinal valia uma vaga nas finais da Copa do Brasil.

Em poucas palavras, o que em outras épocas poderia ser comparado com uma luta entre Muhammad Ali contra Joe Frazier, não passou de um jogo de medrosos…  Horroroso, chato, pragmático, onde prevaleceu o “o que importa é não tomar gols”…

Lembrei das palavras do mito, do nosso treinador Abel Braga: “Ninguém está propondo jogo, nem mesmo os que jogam em casa”…  Só que desta vez não vou concordar 100% com elas…

Por que não?  Fácil…  por causa do próprio Abel.

Se alguém hoje no futebol brasileiro propõe jogo, seja em casa, seja fora, é o Fluminense por ele treinado!

Se alguém se arrisca hoje no futebol brasileiro, seja em casa, seja fora, é o Fluminense por ele treinado!

Se alguém, mesmo que forçado por causa de uma maldita herança financeira, dá vez e acredita na sua base, seja em casa, seja fora, é o Fluminense por ele treinado!

É claro que muitas vezes falhamos… seja na qualidade técnica que, por vezes, pode se intimidar (cada vez menos) diante das equipes de talonários de cheques… seja no excesso de juventude obrigado a amadurecer na base da pancada.

Só que o momento, fomentado pelos adeptos do caos é desenhado de forma vil, covarde e calhorda…

Senão vejam o que rola nas palavras desses sites e blogueiros das diarreias:

– Richarlison foi vendido 25 vezes até a derradeira proposta;

– por sua vez o Fluminense levou um beiço… como se compensar um cheque de outro país, como se receber em Euros ou Libras e converter em reais fosse uma coisa que se resolve em 15 minutos, onde um TED resolve tudo;

– quando não é a camisa branca da Under Armour que ficou feia, onde agora temos uma legião de estilistas, que entendem mais de roupa do que o Jacques Léclair e o Victor Valentim, costureiros de luxo na primeira versão da novela Ti Ti Ti (dos excelentes atores Luiz Gustavo e Reginaldo Faria);

– por outro lado vendem o Wendel (que anda muito espesso)  dezessete vezes desde o jogo de estréia;

– outras criticam o Departamento Médico por causa de inúmeras contusões traumáticas;

– reclamam do valor pago numa aposta como o Robinho, como se não tivessem ficado CALADOS quando o Fluminense investiu R$ 10.000.000,00 por 50% de um Richarlison ainda garoto, imberbe… e por aí vai;

– falam da falta de  dinheiro e de que tem que contratar jogador cascudo, quando durante seis anos se silenciaram para os descalabros financeiros cometidos pelo Peter e pelo Mario Bittencourt, fazendo vista grossa para esquisitas contratações de jogadores esquisitos, com salários e contratos esquisitíssimos;

– quando não é o casarão da Belizário Távora, onde transformam em erro do Fluminense a falha do seu então escritório de advogados do então EXECUTIVO/ diretor REMUNERADO, que não apresentou as provas da defesa que deveria ter sido feita (aliás estou esperando, assim como o meu amigo e Conselheiro do Fluminense, o advogado Miguel Pachá, que a nossa Instituição notifique ao escritório que, em 2015, cobrava sobre 90 mil reais por mês do nosso clube… não dá para ficar tomando porrada grátis por cagadas alheias);

– quando não é o Sócio Futebol que deveria ser assim e assado;

– sem Maracanã é uma merda, com Maracanã é outra.

E por aí vai…

Então meu caro Abel, diante de tanta mediocridade apontada (e isso que eu escrevi só umas poucas) e, apesar de tanta babaquice acumulada, eu tenho que te agradecer porque seja em casa, seja fora, o único que está apresentando oxigênio ao futebol brasileiro é o Fluminense por você treinado! O resto é básico.

Imaginem se não tivéssemos um excesso de contusões… Pensemos como seria se a nossa torcida tivesse abraçado definitivamente a causa… Nos transportemos para um clube onde realmente as finanças estivessem saneadas e não submetidas aos descalabros das mentiras que protegiam as vaidades de um e o desejo do outro de ser presidente do clube a qualquer custa.

É óbvio que estaríamos disputando o título do Campeonato Brasileiro…  Então, por favor, não contaminem mais  com tanta mentira, com tanto sensacionalismo barato.

Likes, likes, likes… o negócio é movimentar sites criando tráfego e, quem sabe, vender uns tênis da NetShoes ou umas camisas oficiais para uma Centaurus da vida…

Likes, likes, likes para qualquer Zé Cagalhão, que não tem nem um ano como sócio do clube, e que se mete a escrever como se tivesse conhecimento de um segundo da história do Fluminense…

Ora bolas, uma poção de beócios que ficou sem emprego por causa da derrota na eleição passada…

Senhores, cá para nós… quem esteve no Maracanã na noite da última segunda-feira sabe que viu a melhor exibição do Fluminense neste campeonato.

Nosso time, como também disse o querido Abel Braga, está amadurecendo. O primeiro tempo foi soberbo, sem qualquer porém. No segundo, tivemos que sofrer (são sempre 11 contra 11), mas fomos para a porrada final…

E vencemos como Fluminense e com A CARA DO FLUMINENSE.

Então meu querido torcedor (o de verdade) do Fluminense, a coisa é binária.

Ou você aposta na renovação que está ocorrendo (mesmo com todo o problema financeiro ocasionado pelas inconseqüências e irresponsabilidades cometidas em 2015 e 2016), e acredita no Plano de Gestão desenhado pela Ernst & Young…

Ou então…

Faça parte da turminha que faz oposição da seguinte forma: “Se ganhar ou acertar, a gente fica mudo; se for mais ou menos, a gente potencializa o menos; se perder, é para enfiar muita porrada…”.

E quando eu falo que isso existe nada disso sai do meu imaginário…  Restaurante da Barra da Tijuca, semana passada, aniversário… era esse o discurso, com nome e sobrenome.

Traduzindo: você quer pensar e atuar como gente que ABERTAMENTE torce contra o Fluminense?

É claro que não!

Seja inteligente, afinal de contas você é Tricolor!

PAPO RETO:

– No orçamento deste ano está refletida a necessidade financeira de se fazer R$ 36 milhões de reais com venda de jogadores. Nesse sentido não pode haver questionamentos porque o orçamento foi feito dentro da realidade do clube. Outra coisa é que nós torcedores gostemos de nos livrar dos nossos ativos. Mas nesse sentido a atual gestão não mentiu;

– O Fluminense só não pode perder para ele mesmo. O relatório da Ernst & Young tem que ser posto em prática na sua totalidade. Não pode ser permitida nenhuma concessão, menos ainda realocar funcionários incapazes, porém em seu dia a dia apadrinhados;

– Tem gente, dentro do clube querendo surfar na minha onda. Não é assim, sei muito bem com quem fiz acordos. Nunca tratei com gente de segunda linha;

– Minha total solidariedade aos torcedores do Fluminense que estiveram em São Paulo na partida contra o Santos. Além do tal de sistema de emissão de ingressos estar fora do ar, o comportamento brutal e ditatorial da Polícia Militar de São Paulo que agrediu gratuitamente aos nossos torcedores. Faltou por parte do nosso clube uma atenção maior aos nossos torcedores, assim como a presença de algum representante do clube junto aos Tricolores que só puderam entrar no estádio já no segundo tempo. É preciso peitar e comprar o barulho dos nossos nesse momento;

– As minhas boas vindas ao novo CEO do Fluminense, o Marcus Vinicius Freire, pessoa com um currículo invejável e capacitado por natureza.  Grande golaço da gestão. No que precisar, me coloco sempre à disposição para ajudar;

– Os materiais desenvolvidos pelas nossas torcidas organizadas e movimentos populares estão dando um show de criatividade. Desde camisas, bermudas casacos, roupa feminina, etc… Show!.

Com quase 50 anos de arquibancada, meu conselho aos mais jovens:  vocês ainda vão amadurecer, não se deixem contaminar…  acreditem: estamos vivendo a construção de um belíssimo time, é apenas uma questão de tempo e amadurecimento. Acreditem, joguem juntos. Não adianta olhar para trás e ficar julgando os erros que certamente foram cometidos, principalmente por aqueles, que hoje batem no peito e se dizem líderes da oposição…  os mesmos que “se ganhar ou acertar a gente fica mudo, se for mais ou menos a gente potencializa o menos, se perder é para enfiar muita porrada”…

O Cazuza foi muito feliz ao escrever estes versos:

“Transformam o país inteiro num puteiro…  Pois assim se ganha mais dinheiro… A tua piscina tá cheia de ratos…  Tuas ideias não correspondem aos fatos…  O tempo não para!

Eu vejo o futuro repetir o passado…  Eu vejo um museu de grandes novidades…  O tempo não para…  Não para, não, não para!”

Portanto amigos, não deixemos que as famílias Muridae, Cricetidae, Heteromyidae, Diatomyidae e Bathyergidae, travestidas de sites e blogueiros, invadam a piscina da história do Fluminense, nem transformem o nosso clube num puteiro com direito a beijo e banho com jogadores.

Sábado é o nosso dever incendiar o Maracanã, temos que ganhar para colocar o bacalhau no seu devido lugar, que é na panela da Série B.

De resto…

“Dias sim, dias não…  Eu vou sobrevivendo sem um arranhão… Da caridade de quem me detesta…”

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

Imagem: gonzalez

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres