Tô de saco cheio de MIMIMI sem TITITI… Levanta a bunda do sofá e ajuda a lotar o Maracanã no domingo! (por Antonio Gonzalez)

De antemão, vou pedir desculpas pelo tom do texto que pode ser mais acelerado do que o normal e pode ser mais veemente do que o costumeiro… certo de que a verdade é uma só: ESTOU SEM PACIÊNCIA para certo tipo de acontecimentos.

Algo me dizia para não escrever a coluna depois do jogo; no fundo, esse PRESSÁGIO dizia que era preciso ler e ouvir certos comentários de Tricolores sobre o jogo, os já famosos “A nossa zaga é uma merda”, “precisamos de um lateral esquerdo”, “o Henrique Dourado é um caneleiro”…

Ora senhores, comentar jogo jogado é fácil, qualquer um faz com o placar na mão… Por que não vi esses comentários depois do chocolate que o MESMO FLUMINENSE deu no MESMO FLAMENGO na final da Taça Guanabara? Por que não vi esses comentários depois das surras que o MESMO FLUMINENSE deu no Clube de Regatas Vasco da Gama, derrotando-o duas vezes por 3 a 0, placar que não se repetia há 30 anos? Por que não vi esses comentários depois de passarmos pela QUARTA FASE da Copa do Brasil?…

Posso fazer mil perguntas em cima desse pensamento, mas o momento exige ser ‘open mind’, sem pequenices, nem fundamentalismo barato. As verdades não podem nem devem ser somente as nossas, nem a mentira deve pertencer com exclusividade aos outros.

Que o PANORAMA TRICOLOR era um gigante entre os blogs, sites e portais do Fluminense (não computo blogs & blogueiros de aluguel), isso no meu entender era fato. O que eu não sabia, quando aceitei escrever por aqui, é que esse canhão me colocaria num patamar que desconhecia: o das pessoas te pararam, puxarem assunto e falarem sobre o que escrevo por aqui.

Ontem isso aconteceu umas cinco vezes… Quem me conhece sabe o quanto sou humilde e, em alguns casos, bastante tímido. O que não impede que eu rompa, se me sinto à vontade, as minhas barreiras. Assim sou eu, e da vergonha de escutar uma pessoa que você não conhece te dizer na lata que lê o que eu escrevi, para quem nunca viveu, humildemente essa situação, posso naturalmente passar a travar uma aberta conversa.

Depois do jogo, no verdadeiro show da nossa torcida que mesmo depois da derrota, que CANTAVA COM A ALMA TRICOLOR, mijando no poste e dizendo ao remeiros da Gávea que não estamos mortos, na descida da rampa, um Tricolor me parou e disse: “Leio você no Panorama Tricolor e preciso de apenas um motivo para voltar no domingo que vem, o que você achou do jogo?”…

A resposta foi fácil: “Saiu barato o placar, poderia ter sido de três ou quatro”… O Tricolor que havia perguntado assentiu com a cabeça…

“O Flamengo pode ter perdido o campeonato hoje…” disse com um misto de sorriso que mescla Maquiavel com o Sobrenatural de Almeida…

Mais um vez o leitor do Panorama outorgava, dessa vez sorrindo, e se despediu dizendo “Nos vemos no domingo!”…

Então vamos lá. Esse tem que ser o espírito!

Sim! O Flamengo nos deu um chocolate tático no 1º tempo… Jogando num 4-4-2 com um meio campo (bem ao estilo do Vanderlei Luxemburgo dos áureos tempos) em rombo, o que permitiu que marcasse a nossa saída de bola com três jogadores (o mesmo que faz a melhor versão do Fluminense deste ano, quando marca a saída de bola adversária com Wellington, Dourado e Richarlison), o que nos pegou sem saber o que fazer com a bola. Também possibilitou ter cinco homens ofensivos e oito que marcavam, sendo com uma defesa de cinco…

Como dizem os espanhóis… “menudo cacao!”…

Em nenhum momento dessa etapa nos sentimos à vontade… entre os nossos laterais e os nossos jogadores que jogam pelo lado do ataque, eles superpovoaram, nunca permitindo o dois contra um a nosso favor, aquela zona do campo que nos produz ser ofensivo pela linha de fundo… A marcação deles, sempre foi um dois contra dois, em alguns casos até mesmo um três contra dois em nossa contra…

E como o trânsito por ali estava engarrafado, a bola tinha que voltar para a nossa defesa e para os nossos volantes, Orejuela e Wendel, que ontem estiveram esparsos, parcos de raciocínio e o pior, falhando passes de cinco metros, com inversões equivocadas de jogo.

A marcação era tão forte por parte rubro-negra que, em certos momentos, o Sornoza tinha que ser o homem do primeiro passe, deixando de ser a cabeça pensante, além de estar muito longe da área adversária para uma eventual assistência de gol.

E sem a mobilidade do Richarlison e do Wellington, facilmente marcados, o contra ataque do Flamengo funcionou e, sem precisar de muita inteligência, se utilizou do recurso da bola alta na nossa área.

Até que o Renato Chaves falhou: 1 a 0 para eles.

No segundo tempo foi mais do mesmo, só que a dissidência desistiu de jogar como time grande. Basta recordarmos que, com 15 minutos da etapa complementar, o Muralha (arqueiro rival) estava fazendo cera clamorosa, tanto que recebeu cartão amarelo por isso. Entretanto a nossa equipe jogou com diferentes densidades de intensidades, tipo azeite e água.

Fim de jogo, e mesmo com aquela bola no travessão do Muralha e com a última jogada em que o árbitro marcou perigo de gol, a sensação que eu tive foi de alívio. Os caras podiam ter goleado, realmente saiu muito barato.

Uma vez na rua, ouvia os cânticos dos nossos torcedores ainda dentro do estádio. Me emocionei, é esse o espírito. Não somos uma torcida de frouxos, nem de chorões!

Isso não combina com a nossa liturgia, nem nos piores momentos. Faltam 90 minutos e vai ser outro Fla x Flu… tanto eles, o time dos riquinhos que querem roubar o Maracanã para serem exclusivos, podem ganhar de goleada, a que não deram ontem, como podemos vencer por 1 a 0 e ser campeões nos pênaltis.

Fim de papo!

– Parabéns à nossa torcida pelo show de ontem;

– A bateria da Bravo 52 está melhorando, mais ritmo, mais velocidade. Ainda falta, mas já deu um grande passo. Parabéns!;

– Falando em Bravo, pelo visto a recuperação do Tricolor Pedro Scudieri avança, enchendo os corações dos Tricolores de muita esperança em quanto ao futuro dele. O único senão é que ninguém correu atrás dos quatro agressores vascaínos. Por que ainda não estão na cadeia?;

– O crescimento do Sobranada 1902 é alentador. Um movimento que nasceu e vive do seu sentimento ao Fluminense, única e exclusivamente;

– Não conjugo a hipocrisia, nem tenho direito a julgar a vida de ninguém. Mas não me calo diante de aproveitadores ocasionais. O Estatuto do Fluminense é claro, qualquer coisa além disso é confete;

– Sobre o Maracanã, temos que estar todos unidos e, se sentirmos cheiro de sacanagem no ar, partir para dentro do Ministério Público, assim como para o Tribunal de Contas da União, pisando forte. De saída pergunto: por que tem diferença no tratamento do aeroporto do Galeão para o estádio Mario Filho? Será que a Odebrecht foi SANTA com o Galeão e PUTA com a negociação do Maracanã? Ora, senhores, vejam estas palavras: “O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, confirmou a venda da fatia da Odebrecht no Galeão para o fundo chinês HNA – na semana passada. Segundo ele, a solução foi favorável tanto do ponto de vista financeiro, quanto operacional” (CLIQUE AQUI.)… Qual é a razão para ser diferente no Maracanã. Está o governo do Pezão com moral para decidir a regra do jogo?… Fiquemos atentos; quem sabe não teremos que fazer algumas manifestações por aí;

– Tem regras que não podem ser quebradas com relação ao Fluminense, principalmente com relação ás minhas superstições. Enquanto aguardava, já na São Francisco Xavier, para voltar para casa, o Zé Henrique (um dos maiores torcedores do Fluminense de todos os tempos, tem mais militância do que eu) me deu um toque: “No domingo que vem, você (no caso eu) tem que passar antes do jogo no Bar onde fica a Fiel Tricolor e cumprimentar a todos”. Ele tem razão. Nesse aspecto, está claro que eu falhei. Não voltará a ocorrer;

– É bom ver a Força Flu e a Garra Tricolor voltando a se estruturar e marcando presença. Por outro lado, que acabe o logo a punição da Young. A arquibancada precisa de todos, UNIDOS;

– No domingo o GEPE fez um grande policiamento antes e durante o jogo. As coisas como são;

– Falando em Força Flu, fui procurado pelo seu Presidente de Honra, o Pagaio, da mesma forma também pelo Matozo, que me pediram para sugerir ao clube que o treino do próximo sábado seja nas Laranjeiras, para que a nossa torcida compareça em peso e apóie aos nossos jogadores. CONCORDO PLENAMENTE.

De resto, valem algumas palavras de um visionário Tricolor:

“O time do Fluminense fez mais do que esperávamos no início da temporada. Temos varias limitações que só resolveremos quando resolvermos as questões estruturais”.

Eu também vejo assim. Só com trabalho recuperaremos as finanças do clube…

Só com muito trabalho acabaremos com a ditadura de alguns funcionários do clube na área administrativa…

Só com muito trabalho recuperaremos as instalações do clube, transformando-as em uma grande unidade de negócio…

Uma vez que resolvermos isso, aí sim o Fluminense encontrará meios de ampliar o nível das suas contratações. Por enquanto, é justo e de homens, reconhecer que definitivamente Xerém, segurou a barra. E que o Abel Braga sabe como traduzir em time e em proposta de jogo, o que tem em mãos.

Portanto meus queridos Tricolores das redes sociais… Chega de MIMIMI sem TITITI… Levantem a bunda do sofá e ajuda a lotar o Maracanã no domingo!

A história ensina.

Não vou encerrar sem antes de dizer que eu faço política no Fluminense para o bem do Fluminense. Não sou o dono da verdade, mas sou dos poucos que dão a cara 100%… Eu respondo pelas minhas palavras e pelas minhas ações. Sou o mesmo cara de sempre, aguerrido, veemente… Só não tenho espírito de botafoguense… O Fluminense que eu vivi não permite que eu seja um chorão!

Com a passagem do Belchior fica cada vez mais acesa a minha adolescência…

“Gente jovem reunida… Na parede da memória… Esta lembrança… É o quadro que dói mais”…

“Minha dor é perceber, que apesar de termos feito tudo, tudo, tudo, tudo o que fizemos

Ainda somos os mesmos e vivemos…
Ainda somos os mesmos e vivemos…
Ainda somos os mesmos e vivemos…
Como os nossos pais”…

Então, naqueles anos 1970 valia a pena lutar para ser feliz!

Que domingo seja o dia dos Tricolores VIVOS e MORTOS se encontrarem no Maracanã! Assim como meu eu e meu pai.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: agoz

13 Comments

  1. Bom !!!!! São muitas ponderações a serem feitas! Essa coisa de encher o Maracanã é subjetivo,pos somos uma torcida família , e como tal passamos longe de violência e contra o Flamengo….., Não vi essa coisa toda q eles mereciam golear e tal, exceto o 1 tempo no 2 tempo melhoramos muito e Abel pisou redondamente na bola mexendo escrotamente mal ! E tem a participação dá flaglobo né atuando com afinco contra os outros

    1. Vamos por partes:

      A torcida família do Fluminense cansou de colocar mais de 100 mil Tricolores no Maracanã em vários jogos.

      Quanto ao jogo, entendo o seu posicionamento.

      Obrigado por participar.

      ST
      Antonio Gonzalez

    1. Pior que só mostram qd os adversários cantam um pouquinho, nossa torcida se esgoelando e e emissora nada.

      ST

Comentário