Já temos o direito de sonhar (por Paulo Rocha)

Pena que seja tão curto o tempo para comemorar. Afinal, já nesta quinta-feira, teremos pela frente o Vasco, um adversário sempre complicado, na disputa por uma vaga na final do Campeonato Carioca. Mas que o troféu da Taça Rio foi conquistado de forma brilhante, isso não há como negar. Inesquecível e no lugar certo: o Maracanã.

O Botafogo até teve algum domínio das ações na segunda metade do primeiro tempo, mas desperdiçou as chances que conseguiu construir. Foi um rival que valorizou ainda mais nossa vitória. Lamentável, após o jogo, foi o treinador deles, de dentro de sua calça atarrochada, apelar para um desnecessário chororô. Os alvinegros foram dignos e não mereciam essa mancada. Não se desmerece a conquista daquele que nos derrotou.

Sei que estamos longe de ser uma potência. Reforços são necessários, o mais rápido possível, para que possamos cumprir de forma digna a temporada. Contudo, os ingredientes básicos já foram acrescentados por Abel Braga ao time: obediência tática, raça e amor à camisa.

Não me espanta o esquema do Abelão ter dado certo. Em suas outras duas passagens pelo clube, ganhou títulos jogando no 3-5-2, dando liberdade aos laterais. Aliás, como estão jogando Gilberto e Ayrton Lucas! Estamos bem servidos, pois até na suplência temos dois bons valores, Léo e Marlon.

O surgimento do zagueiro Ibañez também contribuiu para o esquema dar certo. Sua juventude sua vitalidade deram vida a uma zaga insegura, hesitante. O garoto pode até errar algumas vezes, mas não se omite. Tem personalidade, e isso é fundamental. O meio campo também tem imensa parcela, Richard (aquele do scout, lembram?), Jadson e Sornoza estão jogando muita bola.

O ataque, com o raçudo Marcos Júnior e o habilidoso Pedro, centroavante alto que chama a bola de você, completam nossa esperança. E se Robinho está demorando a dar certo, surgiu Pablo Dyego, um atacante com velocidade e força comparáveis a de um Búfalo Gil.

Ah, ia me esquecendo de uma peça que deveria ter sido citada no início do texto: o goleiro Júlio César, que a cada dia se torna um digno herdeiro dos mitos que já defenderam nossa meta ao longo da história.

Pois é minha gente, aquele time que foi tão sacaneado no início do ano, tido como virtual rebaixado e que seria a diversão dos adversários, não é tão frágil assim. Mesmo com humildade, já temos o direito de sonhar. E isso ninguém pode tirar de nossos corações.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#JuntosPeloFlu

Imagem: paro

1 Comments

  1. Perdoe-me discordar, mas o time é muito fraco! Os laterais estão bem. Os dois volantes também. Mas não confio ainda no goleiro. Nosso ataque é formado por apenas dois bons reservas (Marco Jr e Pedro) e precisamos urgentemente de pelo menos 2 apoiadores. Quando estamos perdendo não temos força para virar e quando estamos ganhando não conseguimos segurar a bola. Assim fomos eliminados hoje. A virada hoje foi casual. Não pressionamos em momento algum.

Comentário