É o momento de separar os homens dos ratos… (por Antonio Gonzalez)

…quem nasceu em um lupanar de beira de estrada tem o cu sujo

É claro que, assim como todos os TRICOLORES DE VERDADE, eu estou muito puto com o nosso resultado de domingo passado. A situação preocupa, não há nenhuma margem para novas falhas, é urgente voltar a vencer.

Nosso time perdeu a cara e a alma que o Abel havia lhe resgatado no início desta temporada. Mas era sabido que seria difícil, nada seria nos dado de graça, e além disso fomos massacrados pelas contusões.

Agora já não servem mais desculpas nem explicações: é obrigação fazer os pontos necessários para a permanência.

Espero que, nessa parada obrigatória que o campeonato está tendo, o Abel consiga se reencontrar. Ou alguém pensa que a provação que esse cara passou não iria trazer sequelas a curto prazo? Ele é inteligente e sabe da escassez do nosso elenco. Da mesma forma que necessita que prevaleça o espírito de Brancaleone. E nisso a nossa torcida tem muito a dizer, tem que ser parceira. Nem precisa pensar igual, mas tem que torcer igual, muito… é substancial jogar junto.

Somente unidos, neste momento, dentro e fora do campo poderemos seguir em frente.

E o papo é um só: temos a responsabilidade de não deixar, nem permitir, nem de longe, nem de perto que sobreviva à hipótese de que o Fluminense irá cair.

Mas é preciso ensinar a esses garotos que não tem prato de comida de graça dentro de um campo de futebol.

Só venceremos se demonstrarmos, provarmos e comprovarmos que a nossa vontade de vencer é infinitamente maior do que o medo de perder.

De resto, muita pressão dentro do estádio, ingressos baratos, populares, bunda de fora veste calça de veludo.

Mês que vem cumpro os meus primeiros 56 anos de vida, que também podem ser os últimos, só que não será agora que vou ter medo na vida, nem de dar a cara, menos ainda de bater de frente com os espinhos do percurso.

Seria muito mais fácil chegar aqui e dizer: “Não! Nem eu, nem o meu grupo político não temos nada a ver com isso, não nos metemos no futebol”… Longe disso!

Sempre fui defensor desse modelo de gestão e não vou dar um passo atrás nisso… mas exclusivamente falo em primeira e única pessoa. E a coisa é binária: ou se segue em frente ou eu caminho sozinho…

E não vou desistir: ameaças eu as passo pelo forro das minhas cuecas. Assim de claro!

Não quero, e nem faz o meu estilo impor que as pessoas pensem como eu penso. Quem quiser continuar caminhando comigo que caminhe, quem achar que a vibe é outra, vida que segue.

No ano passado eu jurei que, enquanto fosse vivo, não permitiria que nenhum aventureiro voltasse a ser presidente do Fluminense… menos ainda amantes de jogadores ou fodidos pelas bolhas do mercado. E é nessa luta que eu me identifico.

É assim, eu não negocio o que eu penso ser correto, mais ainda se tratando da nossa paixão.

Sim, não tenho gostado dos últimos resultados do Departamento de Futebol. Penso que faltam ajustes de cara a essas últimas 12 rodadas, da mesma forma com relação a 2018. Mas isso tem que ser responsabilidade de todos os conselheiros do bem. Viver com intensidade o dia a dia do clube, fazer o canal político sair do básico que os teclados permitem. É impreterível mudar a energia existente, infelizmente impregnada e contaminada pela má índole de gente escrota que até agora não se conformou com ter perdido as eleições e confabula contra o Fluminense.

Essa corja tem nome e apelido… fazem parte de um complô organizado para que se crie o caos dentro de Laranjeiras e isso eu pude comprovar ontem (segunda-feira, 2 de outubro), senti na minha própria carcaça.

Somente tendo o espírito de um GRANDE DE UM FILHO DA PUTA para vazar o número do telefone das pessoas para que sejam agredidas via o Whatsapp… Dessa forma fizeram com o Presidente Pedro Abad e com um conselheiro da Flusócio… só que foram de uma burrice (é o que tem para oferecer além de gostar de merda de vaca) cavalar quando resolveram me colocar no mesmo barco que o mandatário do clube.

Porra, logo o Gonzalez! Porra, macaquinho, ou será que te chamo de macaquita… Vocês duas são muitos burras!

Me deram o material suficiente para puxar o fio do novelo da merda que transborda das vossas mentes repletas de uma caganeira mental.

Foi só printar, checar os telefones, pesquisar e chegar à conclusão de onde vinha a fonte e saber definitivamente quem são esses merdas… traduzindo: UM GRANDE DE UM FILHO DA PUTA.

E de saída excluo o pessoal da Flu+ e da BASE, dessa canalhice.

Agora que me processem se tem colhões, porque eu vou para cima deles. É inegociável a minha ida à Cidade da Polícia para falar com o pessoal da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática.

O Fluminense irá se classificar, torço por isso, não é justo que o mal vença… e defino o mal: gente que torce contra.

PAPO RETO:

– A loja oficial dentro do Fluminense tem que rever de forma urgente o seu quadro de funcionários. Questão conceitual, lugar de vendedor é dentro da loja;

– O Fluminense não pode acobertar funcionários que desacatam sócios ou conselheiros, menos ainda de permitir que informação passada por mim de forma sigilosa caía na boca comum;

– Há dois anos venho denunciando o mal estado da piscina olímpica do clube. Mas é preciso comer o boi aos bifes: O maior culpado é o ex-Presidente Peter Siemsen, que permitiu a merda que fizeram nessa piscina em troca de ter um grande trunfo para a sua reeleição. Materiais de péssima qualidade para uma mão de obra vagabunda. A outra grande responsabilidade pertence à Vice Presidência Administrativa, a anterior e a atual, porque não supervisionaram (responsáveis que até então eram) nem o estado de putrefação, menos ainda o porco trabalho de reparos realizados. Mais de 500 fotos eu tirei e passei adiante. Por último, faltou força aos profissionais do corpo jurídico do clube, que não conseguiram peitar fortemente a empresa que fez a atual piscina. E sem essa de que o discurso oficial do clube seja o de olhar para frente. Isso não! Teve gente que inclusive defendeu a cabeça de mau empregado que era o chefe que tinha o poder de realização. Se queremos ser profissionais, que comecemos a aprender a exigir mais e corretamente dos funcionários;

– Sugiro que o Fluminense, em sua nova gestão faça um levantamento em todas as obras ocorridas no clube nos últimos cinco anos;

– Também é inevitável que os profissionais gabaritados que estão chegando ao clube (bem vindos sejam) entendam que o Fluminense é muito maior do que qualquer de empresa, não tem o perfil de um Tijuca… mas certos gastos são inerentes a um mundinho diferente que é o do FUTEBOL;

– O maior erro dessa gestão foi ter aprovado as contas do Peter, não foi por falta de aviso. Com isso se colocou a bunda da atual gestão na janela e tome vibrador sem KY.

O Tricolor Paulo Ricardo passeia quando canta “Rádio Pirata” por versos contundentes…

“No underground repousa o repúdio… E deve despertar”…

É fácil de entender, o futebol, fazê-lo bem se resume numa expressão: a bola entrar a favor.

O Fluminense não pode cometer mais erros, nem tampouco o Departamento de Futebol deixar que o Abel FALE SEMPRE pela instituição, menos ainda que o Presidente Pedro Abad fique sendo utilizado de escudo.

No popular jargão, cada cachorro que lamba a sua caceta.

Não posso esquecer dos meus amigos, principalmente o Renato Abreu, o Marcello Luna, o Nelson Ferreira e o Bruno Carril, que se preocuparam muito comigo por causa da sacanagem que a galera do Mario (conselheiros, blogueiros, asseclas e a bruxinha menstruada) fez comigo. De verdade, por favor não se preocupem…

Prefiro que venham por mim, eu gosto desse jogo.

Quem levou cinco mil Tricolores para São Paulo em 1984 contra o Corinthians e os trouxe de volta (mesmo vestindo camisas de outras organizadas, mas o escudo era o do Fluminense) para casa sãos e salvos, não pode ter medo de frouxos e de suas libélulas blenorrágicas. Todos sabem que a galera que garantiu a nossa torcida na porrada tinha um nome: os GUERRILHEIROS DA FORÇA FLU, liderado, humildemente por quem escreve estas linhas.

Enquanto me odeiam, não ficam sacaneando o bom realizar do trabalho que deve ser feito.

Ser odiado por uma meia dúzia de guampudos estéreis de conteúdo e que dentro de muito pouco serão poeira no caminho, não me causa preocupação. É currículo!

No que depender da gente, VENCER OU VENCER, SEMPRE!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: pan

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres