Há 11 anos, os 4 a 1 no Fla-Flu da Taça Rio

images (1)

03/04/2005 – 18h03
Fluminense goleia e é campeão da Taça Rio

Do Pelé.Net
No Rio de Janeiro

Um dos cantos mais famosos da torcida do Fluminense há anos diz: “A benção, João de Deus, nosso povo te abraça.” Um dia após o falecimento do papa, o abraço foi de agradecimento e homenagem. O Fluminense goleou o Flamengo no Maracanã por 4 a 1 e conquistou a Taça Rio, equivalente ao segundo turno do Campeonato Carioca.

Os gols foram marcados por Tuta, Leandro, Alex e Preto Casagrande, todos na etapa final, e Zinho descontou, em um domingo típico de praia e futebol no Rio de Janeiro. Os termômetros marcavam 40 graus nas imediações do estádio.

Os 65 mil ingressos estavam esgotados desde sexta-feira, e o público presente foi de 74.650 pessoas, no último clássico que contou com a presença dos geraldinos. O Maracanã entrará em obras e o setor com ingressos mais baratos ganhará cadeiras.

Na 100ª edição do campeonato, o Fluminense poderá conquistar seu 30° título e manterá o domínio de conquistas, que vem desde a primeira edição. O Flamengo continuou com 28.

O time de Abel Braga completou seu nono jogo invicto. Foram oito vitórias e um empate, contra o Vasco, na semifinal. Com excelente atuação de Juan, que sofreu penalti, iniciou a jogada do segundo gol e deu passe para o terceiro, o time ficou a um gol da maior goleada da história sobre o rival (5 a 1).

O Flamengo não contava com dois dos destaques do time na competição, Júnior Baiano e Renato, que estavam suspensos. Sem vencer um clássico no campeonato, empatando os três primeiros por 2 a 2, o time de Cuca foi apenas o oitavo colocado na classificação final dos dois turnos, com 13 pontos no total.

Do outro lado, o Fluminense não tinha Felipe – que atuou em apenas três jogos na Taça Rio -, Marquinho, Tiuí e Fabiano Eller. O time das Laranjeiras ficou em terceiro na soma dos dois turnos, com 20 pontos ganhos no somatório.

Agora, a equipe enfrenta o Volta Redonda, vencedor da Taça Guanabara, dias 10 e 17, no Maracanã, para definir quem leva o Campeonato Estadual de 2005. Em caso de empate nos dois jogos ou uma vitória para cada lado com a mesma diferença de gols, o título será definido nos pênaltis.

O JOGO

O Fla-Flu começou truncado, com jogadas ríspidas de ambos os lados. O meia Diego, do Fluminense, levou cartão amarelo logo no segundo minuto, após reclamar de falta no ataque.

Aos 4min, Gabriel chegou pela direita e cruzou para Juninho, dentro da área, no primeiro ataque do Fluminense. O árbitro, porém, considerou erradamente toque de mão no momento do domínio e parou o lance, quando o jogador ficaria na cara do goleiro Diego.

Os dois times pareciam nervosos e não conseguiam organizar uma boa jogada de ataque, apesar do maior domínio da posse de bola por parte do Fluminense. O primeiro chute a gol só aconteceu aos 23min, quando Juan tocou para Gabriel em cobrança de falta. O lateral chutou da meia-lua da grande área, de canhota, e mandou por cima do gol.

Aos 27min, o Flamengo cobrou escanteio pela direita e Dimba fez falta no goleiro Kleber. Irritado, o arqueiro reclamou com o árbitro, gerou uma confusão e acabou levando amarelo, junto com o atacante.

Na seqüência, Leandro recebeu sozinho pela direita do ataque, deu leve toque encobrindo Diego, que havia saído do gol desesperado, mas colocou pelo lado, assustando a imensa torcida flamenguista presente ao Maracanã.

O Fluminense era melhor em campo, mas a equipe da Gávea quase abriu o placar quando Marcos Denner recebeu passe de Júnior pela direita, entrou na área e cruzou. A bola passou por dois do Fluminense, mas Antônio Carlos afastou na pequena área, aos 37min.

O primeiro tempo terminava sem um chute a gol do Flamengo, em um jogo disputado muito mais na garra do que nas partes técnica e tática. As emoções pareciam estar guardadas para os 45min finais.

Logo aos 2min da etapa final, Ricardo Lopes tocou Juan com a perna direita, no bico da grande área, pela esquerda, e o árbitro Luiz Antonio Silva dos Santos apontou a marca do pênalti. Tuta cobrou rasteiro, no meio do gol, e abriu o placar no Maracanã.

Aos 6min, em um contra-ataque rapidíssimo, Juan passou para Diego, que lançou Tuta pela esquerda. O atacante avançou e cruzou para Leandro, dentro da área. Ele dominou e tocou de pé direito no canto oposto, na saída do goleiro Diego, marcando o segundo. Em 6min, mais emoção do que em todo o primeiro tempo.

Ao som de “A benção, João de Deus”, a torcida tricolor, em êxtase, balançava o Maracanã, mas tomou um susto aos 9min, quando André Santos chegou na área, driblou dois zagueiros, mas chutou prensado, no bico esquerdo da pequena área. No escanteio, a zaga aliviou.

O técnico Cuca resolveu então apostar suas fichas em Zinho e Geninho nos lugares de Júnior e Marcos Denner, tentando dar novo ânimo ao clube da Gávea.

images (2)

Logo depois, Abel foi obrigado a tirar Leandro, que jogava no sacrifício por causa de uma lesão na clavícula esquerda, mas já havia feito seu papel na decisão. O artilheiro do Fluminense na competição, Alex, teria 30min para mostrar seu futebol.

Aos 19min, Diego aproveitou a defesa totalmente aberta do Flamengo e carregou da intermediária até a cara do goleiro homônimo. O arqueiro levou a melhor no chute colocado, evitando os primeiros traços de uma goleada.

Cuca resolveu então ir para o tudo ou nada e tirou André Santos, lateral, para a entrada de Adrianinho, meia-atacante. No primeiro contra-ataque da equipe das Laranjeiras, aos 25min, Juan desceu pela esquerda e tocou na medida para Alex, que dominou e deslocou o arqueiro adversário, tocando no canto direito. A goleada estava desenhada e o título assegurado.

Aos 29min, Preto Casagrande entrou pela direita e arriscou. A bola bateu na zaga e voltou para ele, que, com muita categoria, encobriu Diego. Era o quarto do Fluminense, para total delírio da torcida tricolor. Do lado oposto, cabeças baixas e torcedores deixando o estádio mais cedo.

O jogo se desenrolava em ritmo lento depois da goleada garantida e o time das Laranjeiras apenas esperava o apito final do árbitro, mas aos 45min, Zinho, no último lance de sua carreira, aproveitou sobra de uma bola na trave e colocou no canto esquerdo de Kleber. Não era o bastante para evitar a festa tricolor.

FLAMENGO

Diego; Ricardo Lopes, Rodrigo, Fabiano e André Santos (Adrianinho); Da Silva, Jônatas e Júnior (Zinho); Fellype Gabriel, Marcos Denner (Geninho) e Dimba
Técnico: Cuca

FLUMINENSE

Kléber; Gabriel, Antonio Carlos, Igor e Juan; Marcão, Arouca, Diego e Juninho (Preto Casagrande); Leandro (Alex) e Tuta
Técnico: Abel Braga

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Luiz Antonio Silva dos Santos
Assistentes: Ronaldo Cristino Kenupp e Paulo César dos Santos Vaucher
Cartões amarelos: Diego, Kleber, Juninho (Fluminense), Da Silva, Ricardo Lopes, Dimba (Flamengo)
Gols: Tuta, aos 4min; Leandro, aos 6min; Alex, aos 25min; Preto Casagrande, aos 29min; Zinho, aos 45min do segundo tempo

@PanoramaTri

Comentário