O poema da grande farsa (por Paulo-Roberto Andel)

CLIQUE AQUI: DOWNLOAD GRÁTIS DA COLEÇÃO “RODA VIVA” – VOLUMES I, II, III IV

Radiohead, The Bends, 1995

You can force it, but it will not come
You can taste it, but it will not form
You can crush it, but it’s always here
You can crush it, but it’s always near
Chasing you home
Saying

Everything is
Broken
Everyone is
Broken

You can force it, but it will stay stung
You can crush it as dry as a bone
You can walk it home straight from school
You can kiss it, you can break all the rules
All the rules
But still

Everything is
Broken
Everyone is
Broken

Everyone is
Everyone is broken
Everyone is
Everything is broken

Why can’t you forget?
Why can’t we forget?
Why can’t you forget?

xxxxxxxxxx

Você pode forçá-lo mas isso não virá
Você pode prová-lo mas isso não vai se consolidar
Você pode pressioná-lo mas isso sempre estará aqui
Você pode pressioná-lo mas isso sempre estará por perto
Te seguindo até sua casa dizendo

Tudo está quebrado
Todo mundo está quebrado

Você pode forçá-lo mas isso continuará incomodando
Você pode esmagá-lo tão seco quanto um osso
Você pode levá-lo à casa direto desde a escola
Você pode beijá-lo, você pode quebrar todas as regras
Todas as regras, mas ainda

Tudo está quebrado
Todo mundo está quebrado

Todo mundo está
Todo mundo está quebrado
Todo mundo está
Tudo está quebrado

Por que você não pode esquecer?
Por que nós não podemos esquecer?
Por que você não pode esquecer?

xxxxxxxxxx

RAY CHARLES

duas e meia da manhã
o sono está morto
a noite está viva
ray charles canta na TV
e parece vivo demais
cego, enxerga tudo:
os tons, as matizes
america the beautiful
ray charles é cego
mas enxerga tudo no mundo
correm os metais de montreux
you make me feel so young
meu país é um sequestro
meu povo, perdição
meu time é a mais alegre
das tristezas
meu povo, exílio
existe ódio nas esquinas
a plateia bate palmas
a eterna voz ainda ecoa
é impossível ser feliz sem música
meu país acabou
deixe seu recado no whatsapp
ray charles me redime
da dor e tristeza insone

xxxxxxxxxx

O POEMA DA GRANDE FARSA

ATENÇÃO: NÃO RECOMENDADO PARA IDIOTAS. PROVOCA EFEITOS COLATERAIS. LEIA A BULA.

todo esse ódio veio de longe e vai dar merda quem ri desse mar de ódio ainda vai lembrar quando tomar a pedrada nos cornos do ódio um tricolor com ódio do outro e meia dúzia de picaretas sonhando com a vitória meia dúzia de picaretas sonhando com emprego meia dúzia de picaretas pensando em si e o resto que se foda o amor tem sempre a porta aberta tem dois fluminenses um é eterno das lembranças do amor da luta dos abraços até nas horas mais difíceis perdendo ou ganhando o outro acabou aquele dos abraços e de uma só torcida acabou parabéns panfleteiros do ódio parabéns candidatos do ódio parabéns situacionistas do ódio parabéns higienistas da arquibancada do ódio parabéns irresponsáveis do ódio o Fluminense vai ganhar e perder ruim ou bom vai sobreviver mas uma coisa acabou morreu já se encontra em adiantado estado de decomposição o respeito entre os irmãos de arquibancada está tudo morto e podre as vísceras rachadas as carnes dilaceradas os vermes navegando por entre os restos de músculos o cheiro de merda lancinante o fedor do ódio o imbecil que sorri do incêndio enquanto a vítima faz seus últimos acenos da bela janela francesa antes do braço desaparecer no meio da fumaça preta o Fluminense está vivo vai viver o ódio venceu apenas os idiotas comemoram somente os idiotas semeiam o ódio todo idiota tem no ódio a sua única fonte de sobrevivência viver o Fluminense sem intermediários sem filhasdasputas que só pensam em lucro sem filhasdasputas que só pensam em cargos sem filhasdasputas que só pensem em si só os idiotas se acham superiores com ódio nosso futuro recomeça o grande cão late na porta do umbral esperando por todas as almas insanas e sementes ódio mil vezes ódio estúpido eis a grande farsa o ódio é a farsa todos são fluminenses muitos são cada um por si outros pensam na morte do outro na destruição do outro mas só quem morre é o Fluminense todos serão infelizes para sempre os sócios estão mortos os torcedores estão mortos as carnes estão putrefatas O FLUMINENSE vai viver vai sobreviver vai seguir seu caminho o ódio precisa morrer quem semeia o ódio está morto e não sabe todos devem renunciar todos devem renunciar a grande farsa todos estão neste mesmo prédio em chamas e uns acham que só os outros vão morrer o poder está morto a contestação está morta a luta continua amanhã é um novo dia é preciso protestar contra tudo é preciso tirar o Fluminense da morte mas isso não pode ser a morte de uma legenda uma torcida um abraço uma arquibancada viva a Young Flu viva a Fôrça Flu viva o Fluminense dos amores das vitórias improváveis dos timinhos ganhadores morte aos falsos aos hipócritas às contas mentirosas aos CNPJs morte à sonegação morte aos defensores do ódio ESTÁ TUDO MORTO ENTERRADO podre burro estúpido ignorante reacionário imbecil há de haver um jogo há de sempre haver Fluminense resta abortar todos os intermediários interesseiros de merda resta desprezar todos os bandidos de computador de merda resta refundar um clube uma torcida um time uma pátria um amor só os idiotas são felizes só os idiotas odeiam só os idiotas não sabem renunciar FORA TODOS DE DENTRO DE FORA DE CIMA DE BAIXO viva Nelson Rodrigues morte a todos os seus imitadores de merda morte ao ódio morte ao ódio RENUNCIEM TODOS DE DENTRO DE FORA DE CIMA DE BAIXO chega de ódio chega de incompetência chega de internet chega de livros chega de blogs chega de redes imbecis chega de famosos de anônimos de bizarros vamos celebrar a estupidez humana o Fluminense vive respira luta e é um poema verdadeiro não uma farsa de quatro mil quando milhões o esperam chega de empresários de merda chega de funcionários de merda chega de traição em nome do amor SÓ OS IDIOTAS SÃO FELIZES venha que o que vem é perfeição Fluminense sem intermediários time stand still time stand still MANDAR O ÓDIO OS CARGOS A EMPÁFIA A INCOMPETÊNCIA E 2019 À MERDA o caos é aqui a morte é aqui os inimigos riem de toda a nossa estupidez nós mesmos nos matamos nós mesmos nos odiamos nós mesmos nos fuzilamos e sequer nos conhecemos o cu do mundo hora de refundar um clube um time uma torcida sem escola as crianças mortas não existe salvador da pátria todos são mentirosos ao assumirem esse papel o ódio deve morrer SÓ OS IDIOTAS SÃO FELIZES OU INSENSÍVEIS não abracei meu pai morto num jogo do Fluminense à toa só a poesia liberta do ódio e dos ignorantes vamos celebrar nossa destruição só o Fluminense é importante morra o ódio o hino fala de amor não sejamos estúpidos todos devem renunciar ao ódio aos cargos às aparências há um prédio em chamas espuma de sangue a brilhar só bandidos podem comemorar esta dor esta estupidez todos devem renunciar ao que estão fazendo todos devem podem precisam todas as políticas devem morrer mais do mesmo é a morte na janela incendiada em nome do ódio somos todos merda terra arrasada a estupidez de quem agride a estupidez de quem não ouve a estupidez de quem não estende a mão a estupidez de quem ganha dinheiro às custas da desgraça do Fluminense não vender o amor próprio não vender as próprias palavras não alugar o próprio caráter oh santa estupidez a estupidez de quem quer conseguir emprego no Fluminense aparecer no Fluminense botar uma melancia no pescoço enfiar a melancia na cloaca os bilionários podem chacoalhar suas joias ódio é merda ódio é merda tudo precisa mudar a partir deste momento dentro fora aqui aí lá aqui aí eu era falso porque tinha ódio e morri então o ódio morreu e morto estou cada vez mais vivo O FLUMINENSE VIVE viverá um dia tão bonito também pode ser o dia de um velório triste não precisará da estupidez de quem cantou esta canção oxalá aleluia todos os versos são tristes tristes tristes demais ódio é câncer ódio é estupidez o fluminense que eu vivi

(este poema contém trechos de “Perfeição”, Renato Russo, 1994; “O cu do mundo”, Caetano Veloso, 1989; Jards Macalé, “Só morto”, 1969)

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

#JuntosPeloFlu

Imagem: rap

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres