Fluminense 4 x 0 Univ. Quito (por Paulo-Roberto Andel)

Sinceramente? O jogo deveria ter sido encerrado depois do golaço de Wendel – mais um -, o quarto na goleada sobre o time equatoriano. A finalização seria a cereja de um bolo maneiro que veio desde o primeiro tempo. O Fluminense foi soberano na partida de ponta a ponta e desceu para o vestiário com 3 a 0 no intervalo. Foi pouco: merecia cinco ou seis.

O fato do Quito ser um time bastante limitado em nada diminui a grande vitória tricolor. Não basta ser melhor em campo: é preciso traduzir a superioridade em gols. Ceifador, que é do ofício, fez logo dois para não deixar dúvidas.

Sobre a defesa: como é legal ver as atuações do jovem Reginaldo. Sóbrio, sem firulas, com atitude. Falar da regularidade de Calazans e Wendel é brincadeira: são as duas turbinas do avião tricolor. Tão importantes que deixaram o excelente Orejuela como coadjuvante no meio. E olhe que o Lucas não tem brilhando como no começo da temporada. Mas hoje é dia de alegria: todos foram bem. Uma atuação sem ressalvas. No final, tivemos alguma sorte: eles poderiam ter feito pelo menos um gol.

Agora é confirmar a classificação no Equador no dia 26, e aguardar quais serão as novas “bombas” da imprensa marrom visando tumultuar o caminho do clube, provavelmente na véspera da decisão. Nós estamos bem. Há dificuldades e ainda precisamos de reforços, mas o que me importa mesmo é que o Flu goleou com sobras.

Grande noite. Uma lavada. Péssima noite para a patotinha QPM.

PS: precisamos de um estádio, sem dúvida. Mas, se neste Maracanã, com uber, táxi, ônibus, trem, metrô e farta malha viária, colocamos 13 ou 14 mil torcedores, o que nos leva a crer que teríamos o triplo do público se o novo estádio fosse do outro lado da cidade?

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @pauloandel

Imagem: rap/curvelo

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres