Fluminense 2 x 0 Atlético-PR: atuações (por Mauro Jácome)

 
Com a marcação adiantada do Atlético, o Fluminense se retraía e partia com trocas rápidas de passes. Sornoza se movimentava entre as intermediárias e distribuía as bolas para Marcos Junior, Pedro e laterais. As chances se sucederam – Pedro, Sornoza – até que Jadson, aos 23’, recebeu de calcanhar de Gilberto e bateu forte. Santos espalmou e Thiago Heleno tocou contra as próprias redes. A objetividade era a tônica do Fluminense. Aos 35’, Jadson viu a infiltração de Marcos Junior e lançou. O atacante tocou por cima de Santos: 2×0. Belo gol.

No segundo tempo, o Fluminense manteve o ritmo, até os 20’, e criou várias oportunidades. Quando Abel percebeu que o time não conseguia mais recuperar a posse de bola e partir em velocidade, colocou Matheus Alessandro para manter a intensidade. Nos últimos 15 minutos, o Fluminense trocou passes e administrou a vitória. Grande jogo do Fluminense.

JÚLIO CÉSAR

Levou vários sustos com os chutes longos de Thiago Carleto. Fez excelente defesa aos 33’2T nos pés de Bill.

RENATO CHAVES

Destoou na zaga. Sempre mal colocado, deixava espaços nas costas por onde o Atlético se infiltrou e levou perigo a Júlio Cesar.

GUM

Seguro, comandou a zaga e ainda teve que cobrir Renato Chaves.

LUAN PERES

Ainda não está no ponto ideal em termos de entrosamento, principalmente, na cobertura do lateral.

GILBERTO

Bom jogo. Quando o Fluminense joga com velocidade, se destaca. Tem muita facilidade em chegar à frente se lançado nos contra-ataques.

RICHARD

Errou passes na saída de bola, mas foi importante no combate na intermediária defensiva.

JADSON

Excelente. Revezou com Sornoza o início dos contra-ataques e chegou várias vezes para concluir. Um preparo físico impressionante.

SORNOZA

Outro que fez uma partidaça. Lançamentos, contra-ataques, chutes de fora da área. Jogou com muita inteligência e ditou o ritmo do Fluminense. Ora, velocidade; ora, posse de bola.

DOUGLAS

Entrou para segurar o resultado. Fez o seu papel.

MARLON

Muito bem. Marcou com firmeza e, quando recuperava a bola, lançava quem caía pela esquerda. Acompanhava o ataque puxando a marcação para as conclusões de Sornoza.

MARCOS JUNIOR

Correu muito no primeiro tempo e trocou de posição para confundir a marcação. Concluiu com categoria para fazer o segundo gol.

MATHEUS ALESSANDRO

Não conseguiu manter o nível de Marcos Junior. Não culpa sua, mas o time já sentia cansaço devido à intensidade do jogo.

PEDRO

Poucas oportunidades dentro da área. Saiu para fazer o pivô e iniciou bons ataques.

JOÃO CARLOS

Ainda não mostrou as qualidades tão propaladas pelo Abel.

ABEL

Estudou o adversário e encontrou a forma de jogar para desmontar a marcação alta do Atlético. Com Sornoza e Jadson pelo meio, os laterais apoiando simultaneamente, Marcos Junior partindo da intermediária para a área e Pedro de costas para o gol, o Fluminense chegou diversas vezes na cara de Santos. As substituições não mantiveram o nível. O time sentiu o ritmo alucinante até a metade do segundo tempo.

 

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

#JuntosPeloFlu

Imagem: jam

2 Comments

  1. O Sornoza recuperou a confiança. Fez duas partidaças contra Botafogo e Atlético, injustiça não ter feito gol em nenhuma delas.

  2. Quanto ao João Carlos, sinceramente, esteve em campo 5 minutos pra jogar de zagueiro lá no meio de campo…se é que me entendem. Não dá nem pra tocar na bola. Só consegue vê-lo jogar quem tem acesso aos treinamentos. Só deveria ser julgado com, pelo menos, um tempo de jogo.

Comments are closed.