Fluminense 1 x 1 Cruzeiro: atuações (por Mauro Jácome)

Depois de um ataque perigoso do Fluminense nos minutos iniciais, o Cruzeiro colocou a bola no chão e começou a chegar na área de Júlio César. Ao Fluminense cabia o contra-ataque, principalmente com Richarlison pela esquerda, mas estava muito isolado. Pedro não segurava a bola, nem aparecia como opção. Gustavo Scarpa estava sumido do jogo. O gol do Cruzeiro estava na dependência de uma troca de passes correta e aconteceu aos 35’1ºT. Thiago Neves avançou nas costas de Leo e rolou para Sassá: 1 x 0. O Fluminense foi para cima. Tentou numa sequência de cinco escanteios, mas o empate veio numa assistência de Wendel e na arrancada de Richarlison. O atacante entrou na área e caiu. Vuaden marcou. Richarlison bateu e fez. A partir do empate, o Fluminense melhorou no jogo.

O segundo tempo começou com o Cruzeiro dominando as ações. Thiago Neves meteu na trave aos 5’. Fluminense tentava em algumas arrancadas. A partir dos 10’, o Fluminense trocava passes e, assim, mantinha o Cruzeiro preso na defesa. Aos 22’, Wendel cruzou e Gustavo Scarpa cabeceou para boa defesa de Fábio. Gustavo Scarpa teve a bola do jogo numa assistência de Richarlison, mas chutou para fora. Faltou força para fazer uma blitz no final em busca da vitória.

JÚLIO CÉSAR

Soltou uma bola perigosa aos 26’1ºT. Às vezes, toma algumas decisões que assusta. Pouco exigido no segundo tempo.

LUCAS

Não apareceu no primeiro tempo. Soltou-se na etapa complementar e ajudou a pressionar o Cruzeiro. Saiu sentindo a coxa.

MATHEUS NORTON

Improvisação porque Renato está suspenso. Ficou atrás para marcar.

FRAZAN

Teve em Sassá seu grande problema até o gol do time mineiro. Depois, fez partida tranquila.

HENRIQUE

Correu de um lado para outro tentando cobrir os buracos no sistema defensivo no primeiro tempo. Impôs sua categoria na segunda etapa.

LÉO

Perdido na marcação nos momentos de domínio do Cruzeiro. Deixou muitos espaços que foram explorados por Thiago Neves. No segundo tempo, avançou pela ponta e criou boas opções de ataque.

MARLON FREITAS

Quando precisa sair com a bola dominada, olha muito para trás e atrasa demais a transição. Raramente dá um passe para a frente.

OREJUELA

Ora marcou bem, ora deixou espaços. Deu liberdade para Thiago Neves pelo meio. Apertou a marcação no segundo tempo e facilitou a vida dos zagueiros.

WENDEL

Depois do gol do Cruzeiro, assumiu a responsabilidade para organizar as jogadas de ataque. O gol de empate começou numa assistência para Richarlison. Sumiu depois da metade do segundo tempo.

GUSTAVO SCARPA

Muito escondido. Só apareceu ao bater os escanteios ou ao perder uma bela chance aos 37’2ºT. Partida horrorosa.

RICHARLISON

Quando puxou os primeiros contra-ataques, estava isolado e tinha que encarar vários adversários pela frente. Na primeira que pegou no mano-a-mano, sofreu o pênalti. Bateu bem. No segundo tempo, esteve mais marcado. Depois que Pedro saiu, foi para o comando de ataque. Fez bela assistência para Scarpa matar o jogo. O melhor em campo. Disparado.

PEDRO

Muito juvenil num time quase juvenil.

CALAZANS

Entrou para melhorar a troca de passes e valorizar a posse de bola. Tentou algumas arrancadas.

ABEL

Sem o Henrique Dourado mais uma vez, Pedro foi para o jogo. O técnico tricolor prefere sempre alguém de referência, em vez de centralizar Richarlison.

CRUZEIRO

Enquanto Thiago Neves teve espaço, ditou o ritmo.

ARBITRAGEM

Apitou com tranquilidade. Tenho dúvidas se houve pênalti no Richarlison.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: jam

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres