Fazendo as contas pelo Flu e secando (por Marcelo Savioli)

Amigos, amigas, em primeiro lugar tenho que parabenizar a torcida do Fluminense, que fez sua parte ontem, comparecendo em bom número e apoiando a equipe durante os 90 minutos.

Infelizmente, por um erro claro de leitura do jogo, deixamos escapar os três pontos, que nos garantiriam uma posição fora da zona de rebaixamento.

Apesar disso, o saldo da rodada não foi negativo. Botafogo e Ceará, que estavam dois pontos à nossa frente, foram derrotados em partidas perigosas para nossas pretensões, e acabamos reduzindo a diferença.

Contra um Athletico que impera na água de salsicha e contra uma Chapecoense virtualmente rebaixada, Botafogo e Ceará deixaram expostas suas fragilidades. Como saldo, podemos afirmar que a luta dessas duas equipes é, em tese, mais complicada que a nossa.

Fazendo os cálculos, a impressão que eu tenho é de que não deverão somar mais do que seis pontos nas próximas cinco rodadas. Isso significa chegar a 42 pontos, o que nos obriga a fazer oito pontos para nos livrarmos da tragédia.

Além disso, ainda tem o Cruzeiro, que tem uma tabela assustadora, em que pese os dois confrontos em casa contra Avaí e CSA. Aliás, o CSA, com a derrota para o Fortaleza, já começou a fazer as malas para a Série B. É nosso próximo adversário e jogaremos na segunda-feira, sabendo os demais resultados.

No mundo perfeito, ganhamos seis pontos nos próximos dois jogos e encaminhamos a permanência na Série A, mas na prática o que temos é um time que joga bem, encara qualquer adversário, mas sucumbe aos próprios erros.

No jogo de ontem, o Fluminense engoliu o Atlético no primeiro tempo, conseguiu ter controle do jogo em boa parte da segunda etapa, mas acabamos recuando demais para garantir o resultado e bola rondando nossa área é sempre um risco de gol.

Além disso, temos arbitragens corriqueiramente tendenciosas contra nós. De modo que o que nos resta é torcer pelo Fluminense e secar os demais, porque cada ponto é vital nessa disputa. Nada mais importa no momento.

O time é o que entrou em campo ontem, com Caio Henrique retornando e ajudando a qualificar nossa transição, embora Orinho, mais um que não joga mais esse ano por lesão, tenha feito uma partida bem razoável.

Que os Deuses nos protejam nessa reta final e que a injustiça não se consume. Foram mais de dez pontos perdidos para arbitragem nesse campeonato. Um verdadeiro absurdo, mas um absurdo de que ninguém vai lembrar na hora de pisotear os nossos destroços.

Não podemos esquecer, no entanto, que estamos há anos seguindo à risca a receita para chegar ao desastre. Em todos os últimos cinco anos, montamos equipes competitivas, que foram desmanteladas ao longo da temporada. Desde 2015, lutamos contra o rebaixamento.

Vamos torcer muito para nos livrarmos do pior, mas alguma coisa tem que ser feita no dia seguinte à última rodada. O Fluminense não pode continuar parado no tempo.

Saudações Tricolores!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

#credibilidade

5 Comments

  1. Boa noite, Savioli. Como sempre, texto muito lúcido. Infelizmente, agora, é rezar pra que o nosso time consiga os pontos necessários pra se livrar de um rebaixamento que já vem nos ameaçando a algum tempo. Espero muito que o Flu tenha novos rumos ao fim desta temporada através de uma gestão séria, profissional e organizada.
    Obs.: Esta caixa de diálogo aceita 500 caracteres contando os espaços (vejo que alguns comentários acabam sendo cortados).
    ST!

  2. Prezado Savioli,
    Entendo que nosso foco seja a permanência na Série A mas para o próximo ano, temos que voltar a cobiçar algo mais … como NENHUM investidor sério apostaria na Diretoria atual, somente com uma comissão técnica profissional e inovadora no futebol (talvez estrangeira e mais experiente que a do Diniz) nós tenhamos alguma alegria em 2020…
    ST!

  3. O Fluminense como associação esportiva morreu, só não vê quem não quer. Se não cairmos nesse ano, cairemos em breve. A Red Bull comprou o Bragantino e vai investir 200 milhões no futebol no ano que vem, na Série A, enquanto nós venderemos nossas promessas pra pagar xepas de empresário.

  4. Não há saída com esse modelo. Se houver amor pelo clube, os grandes tricolores têm de se unir e preparar o futebol para a venda a um dono. Que seja pelo valor da dívida, que é impagável. Do jeito que está, fecharemos as portas e não demorará muito. Cansei de apostar em administrações politiqueiras e incompetentes.

    ST

  5. Caro Savioli,
    Mantido o atual modelo de gerência, não caindo esse ano, cairemos no próximo. O Red Bull que subiu agora, não cairá como aqueles clubes ioiô, que sobem um ano e descem no outro, então será menos uma vaga de rebaixamento preenchida. A turma da piscina está conseguindo o que quer, acabar com o futebol do Flu. Se não nos separarmos agora, acabarão com o futebol do clube. E o Mário, apoiado por eles, não fará nada q impeça isso. Está na hora de pressão mais forte, mais violenta,…

Comments are closed.