Afinal, o que falta ao Fluminense? (por Aloísio Senra)

Tricolores de sangue grená, Wendel ficou, só perdemos o Richarlison, continuamos com o mesmo treinador, jogadores lesionados estão voltando e, até onde eu sei, a palavra do presidente tem estado em dia em relação aos pagamentos de salários – em que pesem os atrasos. Por que, então, o Fluminense não engrena? As últimas duas partidas pelo Brasileiro foram tristes. Se contra o Vitória o time não soube fazer o simples e segurar a importantíssima vitória, contra o Atlético-PR também não soube cadenciar o jogo após ficar em vantagem no placar, e tomou um baile do Furacão, que tem sido nosso freguês no Paraná por anos.

O resultado é que estamos agora a longínquos seis pontos do objetivo mínimo, que é a vaga para a Libertadores, e a quatro perigosíssimos pontos do quarteto da morte. E se olharmos o que vem pela frente, fica difícil fazer prognósticos positivos. Teremos Palmeiras em casa, Grêmio fora e, depois, a Dissidência. Palmeiras é um time muito bem treinado e com elenco melhor que o nosso. Jogar no Maracanã deveria ser um diferencial, mas só será se jogarmos com aplicação e qualidade. O Grêmio vai querer se recuperar das duas derrotas seguidas com toda a certeza, e não será mole nem mesmo trazer um ponto de Porto Alegre.

E os rubro-negros, como bem sabemos, sempre nos proporcionam um jogo aleatório. É impossível fazer qualquer previsão, porque mesmo quando estamos bem e vencendo, o décimo-terceiro jogador entra em campo (e às vezes o décimo-quarto, o décimo-quinto…) e muda o resultado da partida. Os próximos compromissos do Fluminense serão extremamente temerários. Resultados negativos podem mudar completamente nosso foco e passar à preocupação real com o rebaixamento. Fico preocupado, principalmente, com o nosso desempenho em relação à Sul-Americana.

Imaginem estarmos em uma situação na qual precisemos poupar jogadores em jogos decisivos da Copa Sul-Americana por conta de uma situação desconfortável na competição nacional. Seria um desastre. Falando nisso, foi maravilhosa a noite de quinta-feira passada. A torcida comprou o barulho e mostrou por quê ela é tão exaltada no Brasil e no mundo afora. O resultado magro de 1 a 0 contra a LDU foi o bastante para premiar a participação dos fanáticos tricolores, e eu espero que seja o bastante para nos garantir a classificação também. Sabemos o quanto é difícil jogar na altitude.

Sinceramente, precisamos passar pela LDU. Não por 2008, não por 2009, mas pelo resto do nosso ano. Seria um golpe muito duro sofrer a terceira eliminação consecutiva para a equipe equatoriana, e eu temo que isso possa repercutir muito mal na relação time-torcida para o resto do ano. Achei totalmente inadequado Abel e seus comandados tratarem esse jogo de modo até banal, como se fosse apenas mais um. Isto mostra a falta de empatia com a torcida, que tem sido norma nas Laranjeiras. Antes foi o desdém pela Primeira Liga, agora isso. Que pelo menos cumpram sua obrigação e nos classifiquem em Quito.

Curtas:

– Lamentável esse imbróglio do Giulite Coutinho e mais lamentável ainda a postura dos principais canais da imprensa esportiva, atribuindo ao Fluminense uma culpa que, até que se prove o contrário, não é sua.

– Quando veremos o time titular do Carioca (ou algum que renda como ele) em campo novamente? Está difícil assistir aos jogos do Fluminense e ao mesmo tempo gostar do que se vê.

– Sim, eu falei sobre o décimo-terceiro jogador que geralmente participa dos Fla-Flus. Afinal de contas, o décimo-segundo participa de todos eles, né, família Marinho?

– Tricolores, vamos aproveitar a onda positiva criada pela última partida em casa e tentemos ser mais presentes ao Maracanã. Se as coisas apertarem, seremos necessários como nunca.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: alo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres