Eu tô voltando pra casa! (por Rafael Rigaud)

MARACA 2013

Amigos, escolhi esse trecho da música “Casa” – do tricolor Lulu Santos – como título de minha coluna porque nesta quarta-feira, 10 de julho de 2013, o Fluminense assinou o contrato que o permitirá mandar jogos no Maracanã por 35 anos. Nas palavras do presidente tricolor Peter Siemsen, o acerto (em que o tricolor, entre outras coisas, tem direito a renda de pouco menos de 60% dos assentos e como contrapartida não pagará gastos fixos a cada vez que utilizar o estádio) é vantajoso pro clube a partir do momento em que este, ao construir um estádio num novo endereço ou ao reformular Laranjeiras, não teria como disponibilizar aos seus torcedores a mesma quantidade de ingressos por uma questão de espaço físico (algum bairro na cidade comportaria um estádio no porte do Maracanã ou que oferecesse quase 45 mil lugares cativos pros sócio-torcedores do Flu?) e de custos (com o m² da cidade nas alturas,daria pra construir algo e não perder um percentual desse estádio para a construtora como contrapartida?).

Pondo desse jeito, nosso presidente parece querer dizer que seria inevitável não ter um percentual da renda do estádio sendo direcionado para outrem que não o Fluminense e que, em questão de logística, nenhum estádio supera o Maracanã, nem mesmo Laranjeiras numa eventual remodelação (que daria ao clube 25mil lugares, menos que os assentos cativos acordados nesse contrato), uma vez que sua sede está num bairro residencial de ruas antigas e estreitas e com limitação de espaço (o Flu está encurralado entre o Palácio Guanabara  – faz muro com o gov.do Estado – e tendo perdido espaço pra duplicação da Rua Pinheiro Machado nos anos 1960,não tem pra onde expandir seu estádio).

Muita coisa não me ficou clara, mas acho que faltou ambição ao não querer negociar um percentual (ainda que menor) em setores que têm valor agregado alto (camarotes, áreas vip)e que são lucrativos graças aos torcedores dos clubes (estacionamentos e restaurantes), ligados diretamente ao jogo em si (já que nenhum torcedor vai ao estádio pra ver o The Police ou Holiday on Ice, vai pra ver SEU TIME).

Temo perceber que o Flu, ao ser o primeiro a assinar com esse concessionário, foi o mais afoito e o que menos negociou, sendo, no fim das contas,o que menos ardiloso foi para resolver questões relativas às suas demandas. Os quatro grandes deviam, no meu entender, ter se agrupado e negociado em bloco com o consórcio, Inter e Milan são super rivais, dividem A CIDADE, O ESTÁDIO e nem isso os impediu de gerir em conjunto o estádio de Milão (que pra um chama Giuseppe Meaza e pro outro é San Siro), e é bom pros dois que seja assim.

Pode ser sido pressa, clubismo, falta de articulação política, sei lá…o que sei é que é bom estar de volta ao Maracanã,não nego,mas ao mesmo tempo,o MODO em que estamos voltando ainda me deixa em dúvida, amigos. Confesso que gostaria de ver o Flu fazendo como o Santos, com o futebol retornando um dia às Laranjeiras, mesmo que em jogos de menor expectativa de público e o Maracanã em momento de grande expectativa de público, pensava eu que dessa forma, teríamos tudo a nosso favor na nossa casa (estacionamento, lojas, nosso museu, nosso campo com a torcida colada ao gramado) e muita coisa a favor no Maracanã (casa cheia ou quase isso,venda de produtos nossos,participação em lucros dessas vendas e de estacionamento etc).

As consequências dessa resolução de hoje ainda não estão claras pra mim, amigos, mas estou certo que o tempo há de desfazer as questões que estão sendo levantadas por mim e pela torcida tricolor em toda terra…

Rafael Rigaud

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

6 Comments

  1. será que o FFC se resguardou se algum outro clube conseguir uma situação melhor, vamos poder ser beneficiados também????
    Garanto que o clube preto e vermelho vai conseguir melhor negociação.
    Sim, pelo menos a dupla fla x flu deveriam negociar juntos, pois são eles que proporcionam o espetáculo e consórcio e clubes precisam um do outro.

    FFC fez um péssimo acordo para 35 anos.

    1. Acho que o Flu quis se antecipar para não ficar sujeito a mais pressões do tipo “ó,já tem um clube fechado com a gente,vai querer ou não?melhor correr,hein?” e nessa pressão ser submetido a condições ainda piores.Eu entendi dessa forma…

  2. Acredito que o noir-rouge vai conseguir uma melhor condição contratual, mas isso não invalida o que o Flu fez. Parece-me que era o que poderia fazer.
    Bom lembrar que as semelhanças entre os dois clubes estão apenas no campo da história e da tradição, pois o Flu perde de muito no quesito tamanho de torcida. A mídia é toda pro-fla e isso influencia qualquer negociação.
    No momento o que o Flu poderia conseguir, conseguiu. E acredito que ao fechar antes do noir-rouge o Flu deve ter conseguido alguma coisa em seu favor, pois o consóricio dependia desse primeiro acerto para negociar com os urubus, estava pressionado. Por exemplo, o Flu ficará com toda a renda das arquibancadas (quase 50 mil lugares), livre de aluguel ou outras despesas.
    Se o rival conseguir algo melhor, bom pra eles. Esqueçamos a nossa falta de irmandade.
    Por outro lado, acho uma covardia que os clubes, razão da existência da federação carioca, da CBF, da FIFA e do próprio Maracanã estejam tão endividados a ponto de terem que se submeter ao que se oferece.
    Outro detalhe que não entendi por ainda não conhecer o novo Maraca é que a torcida ficará com os lugares atrás dos gols. Isso é bom, ruim ou indiferente? Quem souber, por favor, me esclareça.

    1. A princípio,ficar atrás do gol vai fornecer quase a mesma visibilidade de antes da reforma,na verdade,a torcida está mais próxima do gramado do que antigamente…a grande diferença,no meu entender,será no bolso,o ingresso MAIS BARATO nos setores cuja renda vai pro consórcio vai custar 100 reais.
      Para o tricolor que reclamava que a gestão Peter Siemsen os estava forçando a aderir ao plano sócio-torcedor,o que antes parecia ruim,vai começar a parecer uma grande vantagem,hajavista o preço dos setores “não-tricolores” do estádio…

  3. Rafael Rigaud, primeiramente parabéns pelo post. Sou flamenguista e tenho a mesma opinião da sua, acho que o Fluminense se precipitou na assinatura do contrato e também concordo que os clubes cariocas deveriam ter se unido para realizar essas negociações e exigir o máximo do consorcio vencedor do Maracanã.

    Vou colocar outro ponto que acho muito ruim aos clubes.

    O fato do edital da licitação estar escrito que o Consórcio deverá fechar com dois clubes por 35 anos. Na minha opinião deveria ser feito primeiramente um contrato por menos tempo podendo ser prorrogado, por exemplo, de 5 anos, isso para os clubes e consórcio terem noção de onde estão pisando, já que é uma situação nova não só para o futebol carioca, mas para o futebol brasileiro. Imagina se daqui a 1 ano o Fluminense perceber que esta sendo lesado e que o consórcio esta levando muito mais que ele? Terá que aguentar isso por mais 34 anos e isso não tem ajuda em construção de Centro de Treinamento que pague.

    Cada dia que passa os clubes europeus vem mostrando o quanto é importante um estádio para o clube, principalmente sendo próprio, e muitos times do Brasil já entenderam isso.

    Aqui no Rio, com a desunião dos clubes, com o trabalho quase zero da FERJ e com a Prefeitura e o Governo do Estado legislando em causa própria, os clubes do Rio de Janeiro vão sair sem nada dessa Copa do Mundo. Vou dar uns exemplos que muita gente ainda não percebeu. Em São Paulo todos os times grandes sairão com estádios novos (Corinthians e Palmeiras) ou com estádio reformados e modernizados (Santos e São Paulo) e no sul Inter e Grêmio vão sair com estádios novos. Agora você pega aqui no Rio o Maracanã foi entregue a uma iniciativa privada, São Januário continua a mesma coisa e o Engenhão fechado por no mínimo 2 anos.

    Os times cariocas estão ficando pra trás e daqui a alguns anos isso possa fazer a diferença, podendo até que se tornem times de médio porte no cenário nacional.

    1. Obrigado pela visita e pelos elogios,Leandro.Mesmo aqui sendo um reduto tricolor,a porta está aberta a amigos de outros times que tenham sempre algo de inteligente a acrescentar,como é o seu caso.
      O longo prazo de contrato também me assustou,sobretudo porque não sabemos se há alguma margem de alteração do mesmo(no sentido de se poder fazer adaptações aos interesses de ambas as partes caso no futuro aconteça alguma demanda que hoje não conseguimos prever).
      Temo que o Flu e os coirmãos que assinem com o Maracanã tenham,num primeiro momento a felicidade de retornar a seu palco principal,mas em médio e longo prazo venham a se arrepender por conta de algumas situações pontuais.

Comments are closed.