Doce vingança (por Paulo Rocha)

paulo-rocha-red

A vingança é um prato que se come frio, diz a sabedoria popular. Imagine, então, quando é servido quentinho, que delícia. Pois foi assim que o Fluminense se vingou do Corinthians. Com um gol irregular, aos 49 minutos do segundo tempo, vencemos pela primeira vez em Itaquera e, se não eliminamos o adversário de uma competição, tivemos a satisfação de passá-lo na tabela do Brasileiro, deixando claro que estamos vivos e motivados por uma vaga no G4.

Confesso que eu estava confiante. Antes de a bola rolar, durante a transmissão televisiva, pude identificar na arquibancada da Arena Corinthians meu amigo e advogado Alexandre, trajando, orgulhosamente, a camisa tricolor. Pensei comigo mesmo: será que ele é pé-quente?  Ficou provado que sim. Afinal, é um cara do bem, que ajuda muito a mim e à minha família. E só podia torcer pelo Fluminense.

A atitude do time treinado por Levir Culpi foi o principal fator que nos levou à vitória. Aliás, depois do jogo, na entrevista coletiva, Levir foi brilhante ao bater de frente com um repórter paulista que não gosta do Fluminense. Está na hora de acabar com essa porra de que o Flu é o Cristo que precisa ser crucificado a cada rodada em razão de uma culpa que ele sequer tem. Engraçado, ninguém recorda mais dos torcedores que assassinaram um cara na Bolívia com um rojão, do goleiro que mandou matar a amante e teria jogado seus restos mortais aos cães. A hipocrisia é um câncer que corrói a humanidade.

Bom, voltando ao jogo de domingo, o triunfo foi obtido da forma mais dramática possível. Na reta final do duelo, Gum quase fez gol contra, evitado pela perícia de Júlio César com o auxílio do travessão – nossa, que atuação sensacional do reserva de Diego Cavalieri. E o gol perdido por Gustavo Scarpa pouco depois? Mas o ponto alto teria que ser ao apagar das luzes. E Cícero, aquele que meu saudoso pai dizia mover-se como uma sombra, foi o carrasco ideal.

Dos últimos quatro jogos do Campeonato Brasileiro, vencemos três. Tropeçamos somente na Chapecoense; surramos o Galo, e batemos Grêmio e Corinthians dentro de suas arenas. Agora, o desafio é contra o Sport, um time matreiro. Que nossa torcida lote Edson Passos e conduza nosso Fluminense a mais uma vitória. Estamos em quinto lugar na tabela de classificação, a dois pontos do G4, Chegou a hora de calar de vez a boca dos imbecis que torcem contra, seja por maldade ou por ignorância.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri 

Imagem: paroc

img_20160924_214821

4 Comments

  1. Foi em 2010 Fernando Henrique se machucou e Berna saiu da reserva para garatir o título???

    Ou eu estou trocando as campanhas???

    ST

  2. Gol irregular? O impedimento, milimétrico, não poderia ter sido assinalado a olhos nus. Aliás, há quem aponte uma perna de um jogador adversário, que validaria o aparente tronco projetado do Gum.

    Um abraço.

Comments are closed.