A dicotomia do Fluminense (por Aloísio Senra)

Tricolores de sangue grená, que esforço hercúleo tem sido acompanhar o Fluminense até aqui no Brasileirão. Os dois últimos jogos, feios de doer, nos deram a exata impressão do que esperar nesse ano: nada. Pois é, mas e a Sula? Então, queridos, hoje vou falar um pouco dessa dicotomia braba que estamos vivendo. De um lado, temos o Fluminense que não mete gol há sei lá quanto tempo no Brasileiro, e que teve dois gols contra a seu favor nos últimos três jogos, tendo sido os únicos que marcou. De outro, temos o time que venceu o Defensor aqui e lá, e garantiu-se nas Oitavas da competição continental.

O Fluminense é, hoje, um gigantesco trakinas meio-a-meio em campo e fora dele, na arquibancada, e nas tabelas. Quando completo, até faz alguns bons jogos, mas basta perder algumas peças que desanda. O treinador, com bom começo, colocando jogadores que a torcida queria ver, nos últimos jogos tem vacilado demais nas escalações e substituições. A torcida, que por um lado canta e empurra o jogo todo, por outro tem vindo sempre em pequeno número. A mesma diretoria que tem feito promoção de ingressos não consegue evitar milhões de lambanças em sua gestão. Por fim, estamos a cinco pontos da zona de rebaixamento e a quatro do sétimo colocado. Bem no meio entre o “céu” e o inferno. Seria o purgatório?

Só sei que tem sido um purgante cada exibição desastrosa como as últimas três. Sem Pedro e Sornoza, com Marcelo Oliveira improvisando o Luciano(?!) de meia (mesmo tendo Daniel e o menino Gabriel no elenco), mantendo Kayke os 90 minutos em vez de dar uma chance ao talentosíssimo Marcos Paulo e apostando no atualmente péssimo Júnior Dutra, a coisa vai mal. As traquinagens que o Fluminense tem aprontado com a sua torcida só não são piores porque esse campeonato talvez seja o mais fraco da história. Como tem perna-de-pau e brucutu! Você acha que Fluminense x Vitória foi uma pelada, aí revê alguns jogos e constata outros cinco ou seis jogos a nível de várzea. Tem muita gente pior que o Fluminense e isso pode acabar nos salvando de um destino cruel, mesmo com nossa inconstância.

Ao mesmo tempo, tem o outro sabor do Trakinas, a Copa Sul-americana. Essa é a nossa chance de tirar leite de pedra esse ano e o retrospecto anima. Derrotamos a altitude criminosa de Potosí, vencendo bem no Maracanã e perdendo para o ar rarefeito, mas levando a vaga no saldo. Depois passamos o rodo no Defensor do Uruguai, que já tirou a mulambada de uma Libertadores, somando 3 a 0 no placar agregado. E vamos para uma batalha épica contra o Deportivo Cuenca no estádio da maldita LDU. Parece uma dimensão paralela, não é? A questão é que, embora eu acredite muito na nossa camisa, na nossa mística, na nossa tradição e na nossa história, eu duvido de quase todo o resto. A realidade bate à nossa porta hoje às 16hs, e precisamos ganhar dos anões do Rio, já que não derrotamos o Vitória. Que a vitória venha, mesmo que seja por 1 a 0, com gol contra do zagueiro deles.

Curtas:

– Palpite pra hoje: Fluminense 1 x 0 Botafogo.

– Teremos uma semana de descanso sem jogos, então é a hora de recuperar os que estão machucados, recondicionar os cansados e treinar alguma coisa nova pra sairmos desse marasmo.

– Adiantem cotas de TV, peguem empréstimo, vendam porcentagem de jogadores perna-de-pau da base, demitam almofadinhas com altos salários, mas MANTENHAM OS SALÁRIOS EM DIA. De todo mundo!

– Marcos Felipe (Júlio Cesar), Gilberto (Léo), Gum, Ibanez, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Dodi (Jadson) e Sornoza; Mateus Alessandro e Everaldo. É assim que eu jogaria contra o Botafogo, colocando Gabriel e Marcos Paulo quando necessário. Não teremos o 9, mas não o temos mesmo, e a defesa do Botafogo é alta, porém pouco habilidosa. Negócio é entrar tabelando e cruzar rasteiro. Queria que fosse assim, mas duvido que o Marcelo vai fazer isso. Mesmo assim, vamos torcer.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

3 Comments

  1. Eu moro longe do Rio, mas não deixo de ser tricolor, quando eu vejo o fluminense empatando com time pequeno, me dá uma angústia, porém meu autoestima estima nunca , FLUMINENSE TE AMAR É MINHA RAIZ

  2. Hola tricolores,
    Cara, tu bateu em cima no placar. E concordo com você : na atual conjuntura o maior reforço do FLU é manter os salários em dia!
    ST

    1. Iare, eu tenho sido meio “Mãe Dinah” dos placares tricolores. Tenho acertado vários, mas é mero acaso. Dá um confere nas minhas últimas colunas pra você ver kkkkk.

      Saudações Tricolores!

Comentário